EUA

EUA vão derrubar metas de consumo de combustível criadas na era Obama

3 de abril de 2018

Agência federal diz que objetivo estabelecido para 2025 ‘não condiz com a realidade’. Ideia era que carros fizessem, em média, 21 km/l. Ainda não foram divulgados novos padrões.

 

 

CEO da GM, Mary Barra (esq.), e da FCA, Sergio Marchionne (dir.), se reuniram com Trump em janeiro de 2016. Na época, presidente prometeu rever limites de emissão de poluentes dos carros no paí  (Foto: REUTERS/Kevin Lamarque)

CEO da GM, Mary Barra (esq.), e da FCA, Sergio Marchionne (dir.), se reuniram com Trump em janeiro de 2016. Na época, presidente prometeu rever limites de emissão de poluentes dos carros no paí (Foto: REUTERS/Kevin Lamarque)
 
 
 
 
A agência de proteção ambiental do governo dos Estados Unidos (EPA) vai derrubar a meta de eficiência energética dos carros determinada na era Obama. Segundo ela, até 2025, a frota de veículos dos EUA deveria rodar uma média de 21,2 km com 1 litro de combustível.
 
A média, em 2017, foi de 13,1 km/l.
 
A decisão de revogar a medida foi anunciada pelo diretor da EPA, Scott Pruitt, nesta segunda-feira (2).
 
A revisão das metas foi pedida pelas montadoras. No ano passado, quando se reuniu com as principais fabricantes do país, o presidente Donald Trump já tinha prometido que iria rever os limites de emissões, para ajudar a indústria dos EUA a voltar a crescer.
 
 
 
Em comunicado, Pruitt disse que a administração Obama errou ao supor metas "que não condizem com a realidade", e elevar demais os padrões.
 
 
 
Ele não explicou quais serão os novos limites.
 
Disse apenas que eles serão determinados pela agência juntamente com o departamento de transportes dos EUA (NHTSA), e que permitirão que as montadoras façam carros que as pessoas desejem e possam comprar, ao mesmo tempo em que os benefícios para segurança e meio ambiente sejam expandidos.
 
 
 
É uma atitude com motivação política para enfraquecer os padrões de veículos "limpos" sem qualquer documentação, evidência ou amparo legal, declarou o governo da Califórnia.
 
 
 
O estado deverá travar uma batalha com o governo federal para manter o direito de estabelecer seus próprios níveis de emissão, mais restritos. Atualmente, 12 outros estados seguem as métricas da Califórnia.
 
Foi a partir delas que foi descoberto o escândalo dos motores a diesel da Volkswagen, que poluiam mais na prática do que o que era averiguado nos testes de laboratório.
 
Desde 2012, o governo Obama estabeleceu novos parâmetros para a emissão dos carros.