Vespas

Apicultor espanhol morre após ser picado por vespa asiática

14 de maio de 2020

Homem de 54 anos morava em Santiago de Compostela e vistoriava sua criação de abelhas quando foi atacado pelo inseto.

 

 

Espécime da Vespa velutina, inseto é da mesma espécie que teria atacado o apicultor espanhol — Foto: Pexels/Arquivo

Espécime da Vespa velutina, inseto é da mesma espécie que teria atacado o apicultor espanhol — Foto: Pexels/Arquivo
 
 
 
 
Um apicultor espanhol morreu no domingo (10) após ser picado por uma vespa enquanto vistoriava as colmeias de sua propriedade. Daniel García Durval, de 54 anos, era morador de Santiago de Compostela, no norte da Espanha, e estava acompanhado de um amigo quando foi atacado.
 
A vespa asiática (Vespa velutina) não costuma atacar humanos, mas pode ser perigosa se ela se sentir ameaçada. O inseto, que pode chegar a medir 2 centímetros, é predador e as abelhas são seu alvo principal.
 
Segundo a agência de notícias EFE, o serviço de emergência foi acionado pelo colega do apicultor. García teria sido picado na sobrancelha e morreu enquanto esperava a chegada da equipe médica ao local. Não há confirmações de que a vítima fosse alérgica ao inseto.
 
O jornal "La Voz de Galícia" noticiou um aumento nos casos de reação alérgica às picadas de insetos na região. Segundo a publicação, ao menos 4 pessoas morreram por picadas de vespas desde 2015.
 
O inseto identificado na Espanha não é o mesmo encontrado nos Estados Unidos e noticiado há algumas semanas. Recentemente, o país norte-americano anunciou ter identificado uma invasão da espécie conhecida como vespa gigante asiática (Vespa mandarina), apelidada de "vespa assassina".
 
 
Espécies exóticas
 
A vespa asiática, na Espanha, é considerada uma "espécie exótica"; animais recebem essa classificação quando estão fora de sua área de distribuição natural. Uma parte deles pode se proliferar e ameaçar o ecossistema local. Quando isso acontece, elas passam a ser consideradas “espécies exóticas invasoras”.
 
As invasões biológicas já são a segunda maior causa de extinção de espécies em todo o planeta, atrás apenas da exploração comercial, que envolve caça, pesca, desmatamento e extrativismo, segundo a União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês).
 
A Plataforma Intergovernamental de Políticas Científicas sobre Biodiversidade e Serviços de Ecossistema da ONU lista as espécies invasoras como uma das cinco principais causas de mudanças de grande impacto na natureza nas últimas décadas.
 
 
Espécie mais voraz nos EUA

 

Close de uma Vespa Gigante Asiática, em foto divulgada pelo Departamento de Agricultura do estado de Washington — Foto: Washington State Department of Agriculture/Divulgação/Reuters

Close de uma Vespa Gigante Asiática, em foto divulgada pelo Departamento de Agricultura do estado de Washington — Foto: Washington State Department of Agriculture/Divulgação/Reuters
 
 
 
 
Após a comoção causada, principalmente em redes sociais, pela divulgação de que uma outra espécie de vespas foi encontrada pela primeira vez nos EUA. Entomologistas ressaltam que as chamadas vespas gigantes asiáticas (Vespa mandarina) podem ser perigosas para seres humanos, mas não costumam atacar se não forem incomodadas.
 
A maior ameaça do inseto – que chega a medir 5 centímetros – é para as comunidades de abelhas, que não tem mecanismos de defesas contra elas e são seu alvo principal. Segundo Sven-Erik Spichiger, entomologista do Departamento Estadual de Agricultura de Washington, apenas algumas Vespas Gigantes Asiáticas podem exterminar uma colmeia saudável inteira em poucas horas.
 
Outros entomologistas ouvido pela agência de notícias Associated Press se mostraram indignados pelo apelido.
 
Doug Tallamy, da Universidade de Delaware, reclamou: “Isso é 99% promoção da mídia e estou francamente ficando cansado disso. Vespa assassina? Por favor”.
 
Por e-mail, o especialista em abelhas Jerry Bromenshenk, aposentado pela Universidade de Montana, foi mais comedido, mas também reclamou. “Um ninho, uma vespa, esperamos, não causa uma invasão."