Poluição do ar

Londres proibirá carros no centro para estimular caminhadas e ciclismo na pandemia

15 de maio de 2020

Prefeito da cidade, Sadiq Khan, disse que objetivo é ajudar o transporte público a lidar com as restrições de distanciamento social.

 

 

Londres proibirá carros no centro para estimular caminhadas e ciclismo — Foto: Jonathan Brady / PA via AP

Londres proibirá carros no centro para estimular caminhadas e ciclismo — Foto: Jonathan Brady / PA via AP
 
 
 
 
Carros serão proibidos em ruas do centro de Londres para estimular caminhadas e ciclismo e ajudar o transporte público a lidar com as restrições de distanciamento social por causa do coronavírus, comunicou o prefeito da cidade nesta sexta-feira (15).
 
Sadiq Khan disse que o plano, que cobre grandes vias através da metrópole, transformará partes do centro de Londres em uma das maiores zonas sem carros de qualquer capital.
 
"A Covid-19 representa o maior desafio à rede de transporte público de Londres na história da TfL (Transporte para Londres)", afirmou.
 
"Exigirá um esforço monumental de todos os londrinos manter um distanciamento social seguro no transporte público à medida que as restrições do isolamento forem suavizadas gradualmente."
 
 
 
Objetivo do prefeito de Londres ao estimular o ciclismo é ajudar o distanciamento populacional no transporte público — Foto: Frank Augstein/AP Photo
 
Objetivo do prefeito de Londres ao estimular o ciclismo é ajudar o distanciamento populacional no transporte público — Foto: Frank Augstein/AP Photo
 
 
 
 
O número de passageiros na rede de metrô de Londres diminuiu 95% desde que o Reino Unido entrou em isolamento em março, e a quantidade de viagens de ônibus caiu 85%.
 
Mais cedo nesta sexta-feira, a operadora de transportes disse que obteve 1,6 bilhão de libras esterlinas (cerca de US$ 2 bilhões) de financiamento governamental para cobrir a falta de renda até outubro.
 
A TfL disse que a exigência de distância de dois metros entre as pessoas significa que ônibus e trens só circularão com 13-15% do número normal de passageiros mesmo quando os serviços tiverem sido completamente reativados.
 
Khan disse que, por isso, muitos londrinos terão que caminhar ou pedalar para manter a cidade em movimento.
 
As ruas entre a Ponte de Londres Bridge e Shoreditch, Euston e Waterloo e Old Street e Holborn podem ser limitadas a ônibus, pedestres e ciclistas, disse seu gabinete.