Aves

Pela primeira vez em 15 anos, Encontro Brasileiro de Observadores de Aves será virtual

17 de maio de 2020

Destaque global, Minas projeta para julho sua versão presencial

 

 

Atividade une ciência, turismo e preservação, com grande potencial no estado
(foto: Eduardo Franco/Divulgação)
 
 
 
 
Minas Gerais é um monumental paraíso de aves e, portanto, um vasto campo para quem gosta de dar asas à imaginação e observar pássaros no céu, nas árvores ou simplesmente embelezando ainda mais a natureza. Para se ter uma ideia, há quase 2 mil espécies catalogadas no país pelo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (CBRO), sendo que o estado abriga 40% delas, ou cerca de 800 espécies. A fim de valorizar esse patrimônio, está ocorrendo, até amanhã, o Encontro Brasileiro de Observadores de Aves (Avistar), que, pela primeira vez nos últimos 15 anos, será virtual (Avistar Conecta), “dando oportunidade, portanto, a gente do mundo inteiro de acompanhar as atividades”, como informa o organizador Guto Carvalho. Ele destaca que a atividade associa ciência, turismo e conservação.
 
Se a pandemia do novo coronavírus permitir, com redução de casos e flexibilização do isolamento social, está prevista para julho uma versão mineira do evento, desta vez presencial, diz o biólogo belo-horizontino Eduardo Franco, guia de observação de aves. A iniciativa pretende discutir aspectos do universo ornitológico e levar brasileiros e estrangeiros a admirar cenários como a Serra do Cipó, o Parque Estadual do Rio Doce e outros. “Uma vez por mês, levo grupos ao Santuário do Caraça (com terras entre Santa Bárbara e Catas Altas, na Região Central) e os estrangeiros, principalmente, ficam encantados com o que veem”, conta Franco.
 
 
 
 
 
Território mineiro é considerado campo privilegiado para os praticantes, inclusive do exterior, por concentrar 40% das cerca de 2 mil espécies catalogadas no país
(foto: Eduardo Franco/Divulgação)
 
 
 
 
A 15ª versão do Avistar, realizada em São Paulo e considerada o maior encontro do país no gênero, terá uma série de atrativos, sem perder o foco na preservação ambiental. Afinal, incêndios florestais, destruição dos recursos naturais ocasionada pelo rompimento de barragens e outros fatores põem em risco a vida silvestre. “A observação de pássaros é também um poderoso gerador de renda, pois movimenta o turismo, atraindo gente do mundo todo”, explica Guto Carvalho. “Em Minas, o potencial é enorme”, afirma o organizador da Avistar. Um dos expoentes está na Serra do Espinhaço, reserva da biosfera que vai da Região Central ao Norte de Minas.
 
Nesse território, há muitas surpresas para pesquisadores e visitantes, a exemplo da rolinha-do-planalto. “Essa espécie ficou desaparecida por mais de 70 anos e foi redescoberta, em 2015, aqui em Minas. A única população conhecida no mundo, com apenas 25 indivíduos, está no município de Botumirim, no Norte mineiro”, acrescenta Eduardo Franco.
 
DINÂMICA Segundo os organizadores do Avistar, maio é o mês em que os observadores de passarinhos se reúnem para trocar informações e experiências. Desta vez, como vem ocorrendo com muitas outras atividades, o encontro será pela internet. O objetivo é juntar diversão e ações colaborativas, com painéis, jogos, apresentações e rodas de bate-papo. “O evento está sendo construído por um coletivo de observadores e vem cheio de inovações, incluindo novos formatos para participação durante as apresentações on-line para que todos sejam protagonistas”, ressalta Guto Carvalho. Haverá debates com participantes do Brasil e do exterior e alguns painéis foram pensados, de modo especial, para atrair os iniciantes na observação.
 
 
 
 
 
(foto: Eduardo Franco/Divulgação)
 
 
 
 
 
O evento terá acesso livre e gratuito, pelos canais do YouTube e do Facebook do Avistar. Em cada canal haverá um moderador dedicado a receber e encaminhar perguntas, de modo a garantir total interatividade. “Os assuntos consideram a necessidade de comunicação e reflexão que o momento traz. Especialmente o turismo e a conservação, que são muito afetados pelo contexto da pandemia. O evento é orgânico, pertence a um coletivo de pessoas que participam e se movimentam há muito tempo em função desse tema. O que fazemos é simplesmente oferecer um canal para esse fluxo. E o resultado foi surpreendente, com adesão e colaboração.”
 
INOVAÇÃO Além do caráter inovador, já que será totalmente on-line, o Avistar também traz novidades ligadas à nova configuração de distanciamento social. “Um bom exemplo é o festival de câmeras em comedouros de aves por todo o Brasil. Esse é um modelo completamente inovador. Convidamos comedouros em várias partes do país, da Bahia ao Ceará, passando por Manaus, Florianópolis e São Paulo. Todos estarão ao vivo em uma sala interativa, onde as pessoas poderão entrar e escolher qual observar.”
 
Além das salas de bate-papo e das apresentações virtuais, o Avistar Conecta terá mostra de filmes ligados à conservação. Para participar do evento não é preciso se inscrever, basta acessar os canais nas redes sociais. Para mais informações, visite o site do evento: avistarbrasil.com.br.