PELO BRASIL

Caça às Baleias

21 de dezembro de 2009

ONGs latino-americanas pressionam o Japão e pedem proteção às baleias do Hemisfério Sul     Recentemente, 36 organizações da sociedade civil da América Latina que se dedicam a conservação das baleias, pediram aos seus governos ações diplomáticas para proibir a matança de baleias com “fins científicos” realizada pelo Japão. A posição das organizações é de… Ver artigo

ONGs latino-americanas pressionam o Japão e pedem proteção às baleias do Hemisfério Sul


 


 


Recentemente, 36 organizações da sociedade civil da América Latina que se dedicam a conservação das baleias, pediram aos seus governos ações diplomáticas para proibir a matança de baleias com “fins científicos” realizada pelo Japão. A posição das organizações é de que durante o complexo processo de negociação para definir o futuro da Comissão Baleeira Internacional (CBI), a continuidade das operações ‘sob autorização especial de caça à baleia’ (requerida pelo Japão) constitui-se em uma ferramenta de forte pressão, o que é inaceitável e ainda enfraquece os esforços para alcançar um acordo bem sucedido que beneficie a conservação dos cetáceos em longo prazo.
O pedido oficial surgiu diante da iminente partida da frota japonesa em direção a Antártica e foi assinado por 36 organizações da sociedade civil dos países do bloco latino-americano. As organizações esperam, assim, dar início às ações diplomáticas para salvar a vida de centenas de baleias no hemisfério sul.
Segundo as ONGs, apesar dos estatutos da CBI proibirem a caça às fêmeas com filhotes durante a última temporada de ‘caça científica’ no oceano Austral (2008/2009), o Japão chegou a capturar 679 baleias Minke, das quais 304 eram fêmeas. Destas fêmeas, 63% estavam grávidas e quatro delas estavam lactantes. Como as crias são totalmente dependentes das mães, provavelmente devem ter morrido depois da captura. As ONGs ainda denunciam que desde o início da moratória da caça comercial à baleia, o Japão já capturou mais de oito mil animais nas águas do Santuário das Baleias do Oceano Austral, sempre com o eufemismo de “fins científicos”.