Empresas & Meio Ambiente

12 de abril de 2004

VolkswagenEntra agora nesse ano em operação na fábrica da Volkswagen, em Taubaté, SP, um equipamento para tratamento de gases, limpeza do ar e exaustão de estufas de pintura. A Volks está investindo R$ 11 milhões na aquisição dessa tecnologia, fornecida pela Haden (britânica) e pela Dürr (alemã). Com esse controle ambiental, reduz-se em 75% a… Ver artigo

Volkswagen
Entra agora nesse ano em operação na fábrica da Volkswagen, em Taubaté, SP, um equipamento para tratamento de gases, limpeza do ar e exaustão de estufas de pintura. A Volks está investindo R$ 11 milhões na aquisição dessa tecnologia, fornecida pela Haden (britânica) e pela Dürr (alemã). Com esse controle ambiental, reduz-se em 75% a emissão de partículas (tinta) elimina-se mais de 97% dos compostos voláteis (cheiro da tinta).
O complexo abre caminho para a conquista do certificado de qualidade ambiental (ISO 14002) pela fábrica e sua implantação exigirá a instalação de um conjunto de outros equipamentos e obras civis, que incluem até a instalação de incinerador com cerca de 8 metros de diâmetro.
Gás natural – Desde o início deste ano, a fábrica da Volks, em Taubaté, está usando o gás natural como fonte de energia, em substituição ao óleo combustível.
Água limpa – Além de zelar pela qualidade do ar, a Volks tem todo cuidado com o tratamento de efluentes. Toda água passa por rigoroso tratamento físico, químico e biológico. Em julho de 1999, a fábrica começou a operar com uma estação de reciclagem de água ativada por energia solar.
Mais informações:  (11) 753-5407 
e Márcio Lima (16) 2631180


Beach Tech
A sujeira nas praias, além de ameaçar o mar, os rios, e os peixes, ameaça também a saúde dos banhistas, os grandes responsáveis por essa prática de falta de civilidade. Por mais que as campanhas procurem conscientizar os freqüentadores para a poluição das praias, é incrível que muitas pessoas não liguem para o assunto, jogando comida, cigarro, latinhas e plásticos nas praias. A limpeza é sempre demorada e cara, limpando apenas a superfície. Acaba de chegar ao Brasil os equipamentos Beach Tech, fabricados na Alemanha, que são capazes de limpar mais do que o tamanho equivalente a um campo de futebol por hora, atingindo qualquer detrito a até 20 cm de profundidade. Vantagens:
=Raios ultra-violeta destroem as bactérias indesejáveis
=Possui esteira-peneira que separa automaticamente a sujeira da areia
=Tem proteção contra corrosão e baixo nível de ruído
Existem três modelos disponíveis e o menor pode ser conduzido por uma pessoa, como um cortador de grama. Tem modelo motorizado com velocidade de até 6 km/hora, ideal para clube particulares e hotéis resorts à beira mar.
Mais informações: 
fabricante: Kassboherer G. GmbH (Alemanha)
Representante no Brasil: IESC – Rua Corveta Camacuã, 235 SP Tel/fax: (11) 37440278
E-mail: iesc@ibm.net


Motorola 14000
Depois de promover uma rigorosa alteração de seu sistema de gestão ambiental, a Motorola do Brasil recebeu o certificado da ISO 14001. A avaliação foi realizada pelo British Standarts Institute (BSI).
Para Bill Griffin, Diretor de Manufatura do Campus Industrial e Tecnológico de Jaguariúna,  “uma das principais preocupações da Motorola é o bem estar da comunidade e a satisfação de seus clientes, além de aumentar a consciência ambiental de funcionários e parceiros”.
Para continuar oferecendo a garantia dos certificados conquistados, a cada seis meses a Motorola receberá a visita dos profissionais da BSI.
Mais informações: (11) 30305000 (19) 847-6000
Gazeta Mercantil
O mercado ambiental brasileiro é o maior da América Latina e recebeu mais de US$ 2 bi em investimento em 1997. Especialistas do setor estimam que o crescimento desse mercado, nos próximos 3 anos, deva ficar em torno de 8%. Também é crescente o número de empresas empenhadas em adquirir o certificado de gestão ambiental ISO 14000. O fato é que as empresas descobriram que é bom investir em meio ambiente e que vale muito, hoje, o conceito de ecoeficiência. Mais do que marketing é condição de sucesso perante a comunidade, os clientes, fornecedores e os próprios funcionários. Negócio moderno tem que dar lucro para a empresa e para a sociedade.
Com a participação de empresários, cientistas e autoridades, a Gazeta Mercantil e o site Ambiente Global promovem o Seminário Desenvolvimento Sustentável: Gestão e Negócios, a realizar-se no dia 24 de fevereiro, no Centro de Convenções da Gazeta Mercantil, em São Paulo.
Mais informações: (11) 547-3888
E-mail: cmeneghe@gazetamercantil.com.br


FORD ambiental
A Ford plantou, em 1996, o Prêmio Henry Ford de Conservação Ambiental. E todo ano colhe uma safra de elogios e reconhecimento público pela iniciativa. O Prêmio Ford reconhece os trabalhos mais importantes de preservação ambiental desenvolvidos. No Brasil, a iniciativa premia quatro categorias: Individual (quem ganhou foi Maria Teresa Pádua); Ciência e formação em Recursos Humanos (ganho pelo Museu de Biologia Prof. Mello Leitão); Negócios (Agência Mata’Dentro Ecoturismo); e Iniciativa do Ano (que quem faturou foi o Instituto Virtual da Biodiversidade). O Prêmio foi entregue no final do ano passado, em Recife, com a presença do Ministro Sarney Filho, do Meio Ambiente, e do Diretor de Estratégias de Meio Ambiente da Ford Motor Company, Andy Acho. O presidente da Ford do Brasil, Antônio Maciel Neto, reconhece a importância da inciativa e constata que em 99 teve um recorde de inscritos no Brasil: 100 projetos desenvolvidos. Espera muito mais inscrições para 2000.
Mais informações:  (11) 754-9585 ou Internet: www.ford.com.br/novidades


Cataguazes-Leopoldina
Para o presidente da Cia Força e Luz Cataguazes-Leopoldina, Ivan Botelho, a Usina Maurício, inaugurada em 1908, é símbolo da parceria da empresa com a natureza. Além de ser a sede do Museu Vivo da Eletricidade, a Usina Maurício teve a sua área florestal transformada em RPPN (Reserva do Patrimônio Particular Natural) onde está preservada sua fauna e flora numa  exuberante reserva da Mata Atlântica. O local se tornou um dos últimos refúgios do Gavião Real e abriga também preguiças, macacos, o lobo guará, jaguatirica e vários outros animais, devidamente cadastrados pela empresa. “Nós assumimos um compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atuamos. Isso significa harmonizar o crescimento econômico com a preservação de nossa natureza”, salienta Ivan Botelho.
Para o Ano 2000, a Cataguazes-Leopoldina produziu um belo calendário, onde o gravurista e professor da Escola Guignard da UFMG, Paulo Roberto Lisboa, retratou com a competência de sua pena a beleza das várias espécies encontradas na RPPN da Usina Maurício.
Mais informações: Cia Força e Luz Cataguazes-Leopoldina – fone: (32) 422-0196
CATAGUAZES, MG
Aracruz Celulose
A Aracruz Celulose tem planos para construir nova unidade industrial. As obras devem começar em março e a nova planta ficará pronta em 2002. Com investimento de US$ 700 milhões, a Aracruz Celulose vai aumentar sua produção em 700 mil toneladas anuais. A meta é chegar a 2 milhões de toneladas ano. Com esse propósito, a empresa já deu entrada no pedido de licenciamento ambiental. A Aracruz Celulose dispõe de 133 mil hectares no Espírito Santo para implantar a nova unidade e tem grandes plantios de eucaliptos no sul da Bahia. A preocupação da Aracruz é evitar os problemas que teve nos anos 80, com a primeira expansão industrial, quando foi tremendamente fustigada por ambientalistas contrários ao cultivo de eucalipto.


Ping-Pong
=GM – A General Motors fez reflorestamento com plantio de árvores de macadâmias no Campo de Provas Cruz Alta, em Indaiabuba (SP). Foram plantadas 10 mil árvores da noz, em uma área de 60 hectares.
=SAÚDE – O Banco Mundial aprovou empréstimo US$ 30 milhões para ampliar serviços de saneamento de tratamento de água no Brasil. Para Gobind Nankani,  Diretor do BIRD, as pessoas de baixa renda ainda não têm acesso aos serviços de esgoto e tratamento de água e o empréstimo será importante para melhorar a qualidade de vida dessa gente.
=PAPELCARTÃO 1 – Com o objetivo de identificar os produtos em papelcartão de empresas preocupadas com o meio ambiente, foi criado um selo para identificar embalagens ecologicamente corretas. Segundo o presidente do Comitê da Campanha do Papelcartão, Edgard Avezum Jr. para usar o selo é necessário que a empresa assuma um termo de responsabilidade ética em relação ao meio ambiente.
=PAPELCARTÃO 2 – Respeitar a legislação ambiental e não empregar mão-de-obra infantil são condições essenciais para ter o selo. A campanha é liderada pela Suzano, Ripasa, Papirus, Ibema, Miguel Forte, Nobrecel e Klabim. Mais detalhes é só ligar para (11) 549-3707 / 5081-3468.
=GRADIENTE – A Gradiente Eletrônica recebeu recomendação para certificado ISO 14000. É a primeira empresas nacional, não governamental, a receber o certificado na Zona Franca de Manaus. 
=NOVA DUTRA – O Ministro Sarney Filho, do Meio Ambiente, reforçou o pedido de inquérito da prefeitura de Resende (RJ) contra a concessionária da Via Dutra, por causa de danos causados pela rodovia ao meio ambiente e à saúde da população. Motivos: falta de medidas para contenção de encostas, prevenção de queimadas e incêndios e replantio de árvores em áreas devastadas por obras.



“Não se conquista a riqueza
aperfeiçoando-se
o que já é conhecido,
mas agarrando-se de forma
imperfeita ao desconhecido”.
Do Cartão de Natal do empresário José Carlos Pedreira de Freitas, citando Kevin Kelly.


Silvestre Gorgulho
sgorgulh@zaz.com.br

Empresas & Meio Ambiente

6 de abril de 2004

Volks/Audi =O tratamento de efluentes é de suma importância nas indústrias modernas. A fábrica da Volkswagen/Audi, em São José dos Pinhais (PR) investiu US$ 2 milhões em equipamentos para tratamento de efluentes. A estação, com capacidade de 100 m3/h, trata o esgoto industrial e sanitário da fábrica, além dos efluentes sanitários das 13 empresas fornecedoras… Ver artigo

Volks/Audi
=O tratamento de efluentes é de suma importância nas indústrias modernas. A fábrica da Volkswagen/Audi, em São José dos Pinhais (PR) investiu US$ 2 milhões em equipamentos para tratamento de efluentes. A estação, com capacidade de 100 m3/h, trata o esgoto industrial e sanitário da fábrica, além dos efluentes sanitários das 13 empresas fornecedoras instaladas no terreno da montadora.
=A fábrica busca a norma ISO 14000, por isso foi concebida e projetada para não causar danos ao ambiente, além de oferecer um sistema de gestão ambiental. O sistema de pintura é à base de água,  que reduz em 60% o volume de solventes utilizados no processo.
=Também são isentas de solventes as borrachas e colas usadas na montagem dos automóveis.
Fone: (41) 381-3542 – fax: (41) 381-3548  Estrada PR 25 km 6,75 – Cep: 83183-000  S. José dos Pinhais, PR

Delboni Auriemo
=No Brasil, bem poucos hospitais e municípios estão preocupados com o gravíssimo destino dado aos resíduos hospitalares. A grande maioria dos laboratórios e hospitais desconhecem os procedimentos corretos para esterilizar, armazenar e destruir o lixo. O laboratório Delboni Auriemo de análises clínicas faz o tratamento completo do lixo, antes de colocá-lo em um aterro sanitário.
=O laboratório investiu cerca de US$ 250 mil na construção de uma miniusina de tratamento de lixo, no Núcleo Tecnológico Operacional, em Alphaville, SP, que é responsável pela esterilização diária de 2 mil litros de resíduos.
=Segundo Maurício Viécili, Superintendente do Delboni Auriemo, a tendência mundial é de que os resíduos perigosos sejam tratados pela própria fonte produtora, tirando a preocupação das prefeituras.
=A próxima etapa do laboratório paulista é a implantação de equipamentos de trituração e compactação dos resíduos para produção de blocos e tijolos que terão destino social.
Telefax: (11) 7295-3008 – Av. Juruá, 434 – Alphaville/SP

IPAR
=A IPAR – Recicladora de Papel Ararense – fecha o ano com receitas de R$ 28 milhões, desempenho 75% maior do que no ano passado. Cerca de 50% desse crescimento é creditado à produção e comercialização do Kaeté, papel reciclado para finalidades nobres. Para Liana Baggio, diretora da IPAR, antes do Kaeté, os consumidores recorriam a produtores artesanais, cujo custo é alto comparado à fabricação em escala.
=A demanda do produto já atingiu o Mercosul e atende empresas como a Fiat, Volkswagen, Boticário, HSBC e Mac Donalds. "Descobrimos um nicho de mercado moderno e integrado às aspirações de preservação ambiental que a sociedade tem hoje", diz Liana Baggio.
=Cada tonelada de papel que é reciclada evita que 25 árvores sejam derrubadas.
Fone: (19) 541-2322  fax: (19) 5417535 
email: ipar@siteplanet.com.br

Mercedes-Benz
=A Alemanha assumiu a dianteira do desenvolvimento da tecnologia limpa e da preservação ambiental. A Mercedes-Benz não podia ficar atrás, por isso tem se preocupado com a causa ambiental há muito tempo. Lá e cá. Em São Bernardo, Campinas e Juiz de Fora, a Mercedes-Bens está investindo, nestes últimos 3 anos, cerca de R$ 16 milhões na implantação do Sistema de Gerenciamento Ambiental.
=Desde 1998, a empresa faz Coletiva Seletiva e Reciclagem de Materiais, recolhendo mais de 100 ton/mês entre papel, plástico e vidro; cartuchos e tonners de impressoras recebem tratamentos diferenciados; há uma forte campanha "Diga Não ao Desperdício";
=Agora a Mercedes-Benz expande seus programas ambientais: com base na Lei da Natureza, a empresa está realizando auditorias ambientais em seus fornecedores. Dos 3.000 fornecedores da Mercedes, pelo menos 400 serão auditados.
Fone: SP (11) 758-7574 Juiz de Fora (32) 219-2013 – fax: SP (11) 758-7420  Juiz de Fora (32) 219-2003

TOP ECOLOGIA '99
Em solenidade realizada no Memorial da América Latina, dia 14 de dezembro, a Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing – ADVB premiou as empresas que investiram em desenvolvimento sustentável. Elas procuraram garantir o crescimento econômico em consonância com o meio ambiente. Entre os 19 cases apresentados, estes foram os vencedores do TOP Ecologia 1999:
=Fundação Bradesco – "Boto em Perigo"
=Van den Bergh/Michelon – Case: "Carretas ECO"
=Solvay Indupa – Case: "A Excelência Ambiental em 7 Passos"
=Governo da Bahia/Conder – Case: "Projeto Metropolitano"
=Eletropaulo – Case: "Verde também é Energia"
ADVB: Telefax (11) 3021-6684 / 9516 
 
Helamin
=Recém instalada no País, a Helamin do Brasil inicia operação com sistema de tratamento de águas industriais não agressivas ao ambiente. O sistema Helamin de tratamento biodegradável de águas de caldeiras e circuitos de resfriamento começa a ser oferecido às indústrias interessadas na redução dos riscos à saúde do trabalhador, danos ambientais e do custo de manutenção e operação industrial.
=Os meios convencionais usados até agora no Brasil são à base de aplicação direta de produtos químicos como hidrazina (que é cancerígeno) e fosfatos (que são responsáveis pela deterioração de veios d'água pela proliferação de algas).
=O sistema Helamin, desenvolvido pelo químico Anton Graf, encontrou há 25 anos um meio não agressivo ao ser humano e ao ambiente. Esse sistema de tratamento de águas industriais é um inibidor de corrosão e crostas compatível com o meio ambiente.
Telefax (11) 8280701/9301  www.helamin.com
 
Ping-pong
= O consumo de fertilizantes no mundo subiu de 12 para 80 milhões de ton/ano nas últimas três décadas.
= Os aspectos econômicos na gestão do Ecoturismo: a adaptação das fazendas para atividades turísticas; o mercado do ecoturismo; treinamento e capacitação de pessoal e um grande fórum de investimento no setor, tudo isto estará no Seminário World Ecotour 2000, a ser realizado em Salvador, de 5 a 8 de abril.
= Desde 1970, o consumo mundial de pescados triplicou. Cerca de 60% dos estoques pesqueiros estão sendo explorados no limite do excesso.
= A Rodada do Milênio foi, na verdade, a Roubada do Milênio. Seattle, não a cidade mas o velho Chefe Pele Vermelha, deve ter dado sua força para que o comércio mundial respeite mais o meio ambiente.

"Nenhuma folha seca cai, sem que tenha conseqüências eternas".
Cacique Seattle

Silvestre Gorgulho – sgorgulh@zaz.com.br