FILATELIA E ECOLOGIA

O selo postal e a proteção ao meio ambiente

20 de abril de 2004

Comemora-se no dia 17 de julho O Dia da Proteção das Florestas. Floresta, num significado amplo, empírico e intuitivo significa um amontoado de  riquezas naturais em forma de flora e de fauna. Distribuídas por este imenso país, as florestas são tesouros da natureza que devem ser preservados para o bem estar do homem e o… Ver artigo

Comemora-se no dia 17 de julho O Dia da Proteção das Florestas. Floresta, num significado amplo, empírico e intuitivo significa um amontoado de  riquezas naturais em forma de flora e de fauna. Distribuídas por este imenso país, as florestas são tesouros da natureza que devem ser preservados para o bem estar do homem e o bem estar do planeta. Preservar as florestas é preservar o meio ambiente e meio ambiente sadio é o espaço que possibilita nossa sobrevivência, é o conjunto de todos os seres vivos de cuja sobrevivência equilibrada no reino da natureza todos dependemos.
Os Correios, imbuídos no compromisso da preservação do meio ambiente, tem divulgado por meio dos selos postais comemorativos e especiais que emite, a necessidade de preservação desse riquíssimo patrimônio de que nosso país foi agraciado em quantidade e variedade,  matas e florestas que ressaltam aos olhos alheios despertando-lhes o desejo de conhecê-lo e até mesmo explorá-lo. Assim, flores e florestas são destaques  nos selos. No ano 1979, assinalando o Dia Mundial do Meio Ambiente, foi emitida a Série Proteção à Natureza – Parque Nacional da Amazônia, compreendendo três selos divulgando as espécies  Vitória amazônica, Peixe-boi e Tartaruga amazônica. Com esta emissão, foi divulgada a maior unidade de conservação do sistema nacional, pois o Parque Nacional da Amazônia, como os outros Parques Nacionais brasileiros, tem o objetivo de preservar vários ecossistemas naturais, com finalidade científica, educativa e recreativa. Em 1985, com a Série Preservação da Flora, foi divulgado o Parque Nacional de Aparados da Serra, no Estado de Santa Catarina, criado em 1959   para proteger uma amostra daquela região de características tão singulares e de importância científica e educativa tão marcante. Em 1991, com o bloco e selos comemorativos Preservação da Mata Atlântica – BRAPEX 91, emitidos por ocasião da exposição filatélica que reuniu filatelistas brasileiros e do exterior, além do público em geral.
As emissões citadas são apenas exemplos de tantas outras já realizadas visando a conscientização para a necessidade de preservação deste patrimônio brasileiro.
Sobre as conquistas alcançadas alusivas ao objetivo acima descrito, vale informar que a emissão mais votada no Concurso Melhor Selo de 1998 realizado pelos Correios, foi  a “EXPO 98: Um Patrimônio para o Futuro”, que divulga a importância dos oceanos, do meio ambiente marinho e de seus recursos para a vida na Terra e para o desenvolvimento sustentável.
O meio ambiente sadio é um direito e um dever de todos, mas só o conseguiremos na medida em que construirmos em nosso País e  em todo o mundo uma verdadeira consciência ecológica social, que não será produto da ação isolada de um só órgão de política ambiental, pois dependerá da ação de todos em conjunto e de cada um em particular.
Mais informações:
Departamento de Filatelia dos Correios
End: SCS quadra 4 – Lote 36 – n0 256, Ed. Apolo – 70 andar, 70300-944, Brasília/DF
Tel: (61) 317-1805/1800; Fax: (61) 224-7460,
E-mail: defil1@correios.com.br

FILATELIA E ECOLOGIA

Selos postais valorizam a água no universo

19 de abril de 2004

Comemora-se no dia 7 de agosto o Dia dos Rios e das Águas. A água, considerada um recurso de fundamental importância para a sobrevivência do homem e a manutenção do equilíbrio do ecossistema terrestre está sendo ameaçada, embora o homem ainda não tenha se conscientizado da gravidade do perigo que se aproxima.Ao contrário do que… Ver artigo

Comemora-se no dia 7 de agosto o Dia dos Rios e das Águas. A água, considerada um recurso de fundamental importância para a sobrevivência do homem e a manutenção do equilíbrio do ecossistema terrestre está sendo ameaçada, embora o homem ainda não tenha se conscientizado da gravidade do perigo que se aproxima.
Ao contrário do que sempre se imaginou, a água não é inesgotável e a sua capacidade de auto depuração é muito pequena se comparada com a rapidez em que se lançam os poluentes. O Brasil, apesar de reter em seu território 8% da água potável do globo, não está numa posição muito diferente da dos outros países que dispõem de um menor potencial hídrico. Os maiores problemas enfrentados pelo país estão na má distribuição da sua água ao longo de todo o território nacional e na falta de conservação das suas bacias hidrográficas. Sem dúvida, a falta de abastecimento deste bem fundamental, a água, afetará todas as formas de vida, além de gerar conseqüências secundárias como transporte, esporte, fonte de energia, etc.
Nesse sentido, os selos postais têm procurado conscientizar sobre a necessidade de preservação desse bem e as conseqüências de sua falta. Dentre outras emissões, em 1996 foi lançado o bloco comemorativo ao “Dia Mundial de Luta contra a Desertificação”, cuja imagem simboliza a esperança de que a tomada de consciência possa reverter as situações de desertificação, sugerindo que a  conscientização pode produzir ações salvadoras, regando a terra e a vida. Em 1997 foi emitido o selo assinalando o Dia Mundial da Água, cuja imagem é de compreensão imediata: a Terra dentro de um copo d’água, uma composição que alerta sobre a necessidade de proteção e sugere que a preservação da água, um recurso natural limitado como qualquer outro, que vem sendo comprometido pela poluição ambiental, está ao alcance de cada um de nós e deve começar dentro de casa, com medidas simples mas fundamentais, como a racionalização do consumo. Em 1990, com o selo “Rede Postal Fluvial da Amazônia” é mostrada uma embarcação em pleno rio sem a qual muitos ficariam sem comunicação. Em 1998, com a emissão “EXPO 98 – Oceanos: Um Patrimônio para o Futuro”, é apresentado um cenário magnífico composto por espécies, cetáceos e invertebrados, onde se destacam os recifes de coral, o peixe-boi, a baleia jubarte e a soltura da tartaruga marinha n0 2.000.000, espécies que se encontram ameaçadas de extinção. Esta emissão consolida esforços no sentido de preservar o rico patrimônio de nossos oceanos para geração futura.
Mais informações: ECT
SCS Q-4 – Lt. 36 n0 256, Ed. Apolo
70 andar, 70300-944, Brasília/DF,
Tel: (61) 317-1805/1800 – Fax (61) 224-7460
E-mail: defil1@correios.com.br

FILATELIA E ECOLOGIA

A criança na filatelia

14 de abril de 2004

A criança também é destaque nos selos que os Correios emitem. É por meio deles que os Correios divulgam mensagens visando a preocupação quanto à sobrevivência e a  formação da criança. E um grande desafio, perto do  30 milênio, mudar a qualidade de vida de muitas crianças, frutos de famílias cujas estruturas são deterioradas, sob… Ver artigo

A criança também é destaque nos selos que os Correios emitem. É por meio deles que os Correios divulgam mensagens visando a preocupação quanto à sobrevivência e a  formação da criança.
E um grande desafio, perto do  30 milênio, mudar a qualidade de vida de muitas crianças, frutos de famílias cujas estruturas são deterioradas, sob o peso da pobreza, do desemprego, da delinqüência e do uso indevido de drogas. Cabe à sociedade fazer seu papel e mostrar que essas crianças são a base das  gerações futuras.
A Campanha de Vacinação Infantil – Prevenção da Poliomielite e do Sarampo, emissão de julho de 1983, é mais um trabalho do Ministério da Saúde divulgado em selos.
Selo também é educação e divertimento. Com esse espírito foi lançada em 1994 a emissão “Centenário do Primeiro Livro Infantil no Brasil – Contos da Carochinha”.
Preocupação com a criança é também atenção com a formação familiar, pois é nela que está o esboço do jovem. A emissão Família Brasileira e o Ano Internacional da Família, de agosto de 1994, mostra os grandes desafios da família em cumprir plenamente seu papel social.
Os Correios têm dado ênfase para as questões críticas na atualidade brasileira da criança, sobretudo no que diz respeito à igualdade, ao amor e à ternura, ao ingresso na escola, à gestação saudável, ao direito de ser feliz, à amamentação, à qualidade de ensino, ao direito  de brincar, à convivência familiar e comunitária, ao respeito à dignidade. Esses temas foram motivos de selos que os Correios emitiram, em 1977, Criança e Cidadania. São 16 selos promocionais, criados por ilustradores infantis, e que tiveram também a função de angariar verba para o Fundo Nacional para a Criança e o Adolescente.
Com a emissão 50 Anos do Fundo das Nações Unidas para a Infância, UNICEF, foi lançado um selo comemorativo, divulgando o trabalho sem fronteiras daquela entidade, visando a sobrevivência, o desenvolvimento e a proteção da criança.
Muitas outros selos apresentam crianças como tema príncipal ou motivo complementar, demonstrando a preocupação que os Correios, por intermédio da filatelia, possuem com relação aos grandes problemas e ao bem-estar da sociedade.
Quer na área da saúde, da educação ou da cidadania, os selos postais cumprem o objetivo de divulgar, de informar e de conscientizar.
Mais informações
SCS – Quadra 04 – Lote 36
n0 256, Ed. Apolo – 70 andar
70300 – 944  Brasília/DF
Telefones: (61) 317-8005/1800
Fax: (61) 224-7460
e-mail: defil1@correios.com.br

FILATELIA E ECOLOGIA

Os 500 anos do Brasil nos selos

7 de abril de 2004

Desde 1996 o governo brasileiro vem envidando esforços no sentido de que projetos, à altura desse marco histórico, os 500 anos de descobrimento do Brasil, fossem desenvolvidos no decorrer desse período. Em adesão  à medida  do governo, os Correios vêm emitindo selos postais divulgando o evento. Em 1996, a imagem do selo propôs uma síntese… Ver artigo

Desde 1996 o governo brasileiro vem envidando esforços no sentido de que projetos, à altura desse marco histórico, os 500 anos de descobrimento do Brasil, fossem desenvolvidos no decorrer desse período. Em adesão  à medida  do governo, os Correios vêm emitindo selos postais divulgando o evento.
Em 1996, a imagem do selo propôs uma síntese dinâmica da descoberta do Brasil. Formas e cores do selo conduzem à Bandeira Nacional, renovando-se em um espaço de extrema expresão visual e de clara dialética expansiva.
Na emissão de 1997, o selo estabelece uma metamorfose virtual da forma em relação à emissão precedente, de 1996. O selo propõe uma mensagem de equilíbrio, visualizado na sua cor e na sua tipografia. Em sua dinâmica síntese visual, em sua forma e em suas cores nos reconduz à Bandeira Brasileira, símbolo da Nação, enquanto a tipografia visualiza a significação do evento. Assim, nas emissões de 1996 e 1997 ficou enfatizado o caráter cívico, por meio da representação estilizada da Bandeira Nacional.
Em 1998, as imagens dos selos nos reportaram à chegada de Pedro Álvares Cabral à costa brasileira. A composição da imagem foi baseada em dois significativos documentos do tempo do Descobrimento. O primeiro é o mapa "Terra Brasilis", de autor desconhecido, datado de 1519, que ilustra o cenário do país naquela época, uma terra habitada por índios, de vegetação exuberante e fauna diversificada. O outro importante documento é o desenho alusivo às treze embarcações da armada de Cabral, também de autor desconhecido, que descreve o modelo das naus e caravelas da expedição.
Em 1999 foi emitido um bloco comemorativo focalizando o índio, o branco e o negro, as três culturas principais formadoras da riquíssima etnia brasileira, marcada pela fusão de múltiplas raças e culturas, que resultou em uma diversidade cultural expressa por meio das artes, da culinária, das crenças e do próprio modo de ser dos brasileiros, cujo maior tributo, reconhecido internacionalmente, é a alegria.
Fechando a série do 50 Centenário do Descobrimento do Brasil, os Correios lançarão no ano 2000 uma folha compreendendo 24 selos, focalizando dados importantes da nossa história. Os temas a serem abordados serão  o resultado de uma votação popular de diversos temas apresentados , o que representará a participação do povo brasileiro em tão significativa celebração.
Na oportunidade, externamos o orgulho dos Correios em promover estes lançamentos, ao tempo em que compartilhamos com nossos irmãos do Brasil e de Portugal e com todos os povos que contribuíram para a formação da nação brasileira, esse momento propício para se pensar no compromisso de nos tornarmos numa sociedade cada vez mais justa e mais feliz.

Mais informações:
 Departamento de Filatelia
End: SCS, Quadra 4, Lote 36, bloco A, n0 256 – 70300-944 – Brasília/DF
E-mail: defil1@correios.com.br
Tel: (61) 317-1805/1800 fax: (61) 224-7460

FILATELIA E ECOLOGIA

O Natal nos selos postais

6 de abril de 2004

Anualmente os Correios emitem selos assinalando o Natal, dando aos mesmos os mais diversos enfoques alusivos à maior festa da cristandade. Neste ano, 1999, o enfoque abrange um novo prisma, a divulgação dos dois mil anos do nascimento de Jesus Cristo. Trata-se de uma sextilha, seis selos unidos pelo picote, destacando seis grandes momentos da… Ver artigo

Anualmente os Correios emitem selos assinalando o Natal, dando aos mesmos os mais diversos enfoques alusivos à maior festa da cristandade.
Neste ano, 1999, o enfoque abrange um novo prisma, a divulgação dos dois mil anos do nascimento de Jesus Cristo. Trata-se de uma sextilha, seis selos unidos pelo picote, destacando seis grandes momentos da vida, obra e ressurreição de Jesus, maior exemplo de amor para toda a eternidade: o anúncio do Anjo Gabriel à Maria, a encarnação de Jesus e a adoração dos Magos, a apresentação de Jesus no Templo, o batismo de Jesus por João Batista, a evangelização – Jesus e os Apóstolos e a morte e ressurreição de Cristo.
Segundo os cristãos, o anúncio do Anjo à Maria é o ato mais significativo da intervenção divina na história humana. É Deus que decide enviar seu próprio Filho para resgatar para si a humanidade. A encarnação de Jesus é a grande notícia, Deus se fez carne e armou sua tenda entre nós, levando-nos a contemplar sua generosidade fantástica e amorosa por nós, e a adoração dos Magos, simbolizando toda a humanidade chamada a reconhecer, no menino deitado na manjedoura, o presente universal de Deus. A apresentação do menino Jesus no Templo é como aquele que cumpre a profecia e realiza a esperança dos justos, dos pobres, dos idosos e das viúvas. O acolhimento de Jesus pelo profeta Simeão e pela profetisa Ana significa aos mesmos a salvação. O batismo de Jesus marca o começo de sua missão pública, da sua pregação e da sua prática libertadora. Evangelização é tornar presente na sociedade a Boa Notícia da vinda definitiva de Deus junto da humanidade. A vida, paixão e morte de Cristo só podem ser entendidas à luz de sua Ressurreição. Depois desse evento maior da fé cristã, a morte deixou de ser a palavra final. A Ressurreição do Cristo é o grande sol da justiça, que brilha durante todo o verão, aquecendo e eluminando toda a humanidade.
São muitos os selos já emitidos sobre o Natal. Monte sua coleção, seu álbum ou sua cartela. Entre no nosso site na Internet www.correiosonline.com.br. Conheça nossa Loja Virtual.
Mais informações: defil@correios.com.br
Tel: (61) 317-1805/1800 ou fax: (61) 224-7460

FILATELIA E ECOLOGIA - Departamento de Produtos e Filatelia - ECT

Dia Mundial da Agua

1 de abril de 2004

Água potável: o Brasil precisa acabar com a cultura da abundância

 







A filatelia mostra a importância da água. Atualmente, mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo não têm acesso à água potável e mais de 2 bilhões não contam com saneamento adequado

Ao contrário do que muitos acreditam, a água é um recurso natural não-renovável, quando é poluída ou contaminada. Apesar de ser utilizada por várias pessoas como se fosse uma fonte inesgotável, cedo ou tarde, a água potável, disponível no planeta, se tornará extremamente escassa e, então, a população enfrentará sérios problemas causados pela falta desse precioso líquido.


Menos de 3% da água existente na Terra é potável, encontrando-se a maior parte na forma de gelo polar ou em camadas profundas e inacessíveis do planeta, enquanto os outros pouco mais de 97% são de água salgada. Apesar de o Brasil ser detentor de uma das maiores reservas mundiais de água doce, hoje muitos estados brasileiros já enfrentam o problema da falta de água potável.


Atualmente, mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo não têm acesso à água potável, mais de 2 bilhões não contam com saneamento adequado e, pelo menos, 6 mil crianças morrem diariamente nos países em desenvolvimento, vítimas de doenças provocadas pela água contaminada. A escassez de água potável, assim como a poluição e a contaminação das fontes, ultrapassou todas as fronteiras que separam as diversas regiões do mundo, preocupando não só as autoridades governamentais, mas, também, entidades e órgãos não-governamentais do mundo inteiro.


Apesar de termos a impressão de que a água do planeta está diminuindo, a sua quantidade é praticamente a mesma há milhões de anos. A escassez decorre do aumento da população, do uso crescente da água em processos produtivos e da poluição, que torna a água indisponível para o uso. É preciso usar a água com parcimônia, principalmente na agricultura, que consome cerca de 70% da água disponível no planeta.


Com esta emissão, os Correios têm por objetivo colaborar com entidades envolvidas com a preservação do meio ambiente, conscientizando a população no sentido de se evitar o desperdício da água, e educá-la para que não haja poluição e contaminação das fontes ainda existentes.


Jerson Kelman
Diretor-Presidente
da Agência Nacional
de Águas – ANA