Cartas

Com a palavra, o leitor

18 de julho de 2006

Fontes radioativas 1Gostaria de fazer três comentários sobre a edição de junho: primeiro, dizer da importância da matéria sobre as mil fontes radioativas que estão espalhadas aí pelo Brasil sem nenhum controle. Muito boa a reportagem e o relatório feito pela Comissão de Meio Ambiente da Câmara Federal; segundo, achei interessantíssima a entrevista feita com… Ver artigo

Fontes radioativas 1
Gostaria de fazer três comentários sobre a edição de junho: primeiro, dizer da importância da matéria sobre as mil fontes radioativas que estão espalhadas aí pelo Brasil sem nenhum controle. Muito boa a reportagem e o relatório feito pela Comissão de Meio Ambiente da Câmara Federal; segundo, achei interessantíssima a entrevista feita com o prof. Raymundo Garrido sobre Água Virtual. Um tema para mim inédito, mas oportuno de se discutir; e, terceiro, cumprimentar o poeta Thiago de Mello pelo belíssimo poema que compõe a capa da edição com a foto do planeta. Acho que seria fundamental que vocês (e também a grande mídia) continuassem esta reportagem sobre as fontes radioativas sem controle.
Maria Stella G. Coimbra
Goiânia – GO

Fontes radioativas 1
Impressionante grave esta denúncia que o jornal trouxe na edição de junho, sobre o descontrole que o governo tem sobre as fontes radiotivas. Mais de mil espalhadas por aí, prontas para explodir como o Césio 137 de Goiânia. Mas também quando se vê o descontrole da situação carcerária em São Paulo, aliás, no Brasil. E quando se vê tantos parlamentares que fazem do mandato uma fonte de renda e de negócios, nada mais surpreende. O que fazer? Como usar bem o voto com a falta de candidatos verdadeiramente compromissados com a causa Brasil?
Gregório F. Pace
Rio de Janeiro – RJ


Parque do Pão de Açucar
Como carioca e defensor inconteste da cidade do Rio de Janeiro, quero levar a toda equipe da FMA o meu abraço pela campanha que o jornal fez pela criação do Parque Municipal do Pão de Açúcar. Essa foi uma vitória do movimento ambientalista Grupo de Ação Ecológica e dos moradores da Urca que há muito tempo lutam para fazer do Pão de Açúcar uma Unidade de Conservação. Escrevo em nome de vários companheiros. Todos nós acompanhamos as várias reportagens que vocês fizeram sobre o Parque Cartão Postal.
Nelson B. Castro
Rio de Janeiro – RJ


Trilhas Aéreas
Belo trabalho realizado por Alexandre Curado, tanto no monitoramento do meio ambiente quanto na busca de imagens diferenciadas da região do Cerrado. Me encantei com a matéria e com a entrevista deste piloto de ultraleve.
Mag B. Valle
Belo Horizonte – MG


Apoio e agradecimento
Sou técnico de Turismo e como cidadão brasileiro gostaria de creditar a minha gratidão à Folha do Meio Ambiente, pelo imenso trabalho que faz na sensibilização ambiental dos brasileiros. A minha admiração é procedente porque percebo a grande abrangência de seu trabalho jornalístico, que alcança um padrão profissional elevado graças ao elo criado entre a ciência e a sociedade. Esta seriedade, aliada à paixão é, ao meu ver, a força que estagna o avanço da degeneração de Nossa Gaia. E mais: garante a virada de mesa em prol daqueles que promovem o desenvolvimento sustentável. Sucesso e parabéns a toda equipe!
José Galdino
uniormaisproximu@yahoo.com.br
Barbacena – MG


Influenciando
Acho esta Folha do Meio Ambiente interessantíssima. É realmente dez! Além de falar de um tema que muito me aguça pela sua abrangência e importância, as reportagens são bem feitas, didáticas e atuais. Parabéns pelo trabalho e saibam que vocês, de fato, estão influenciando muita gente para dar mais valor à questão ambiental.
vsiene@hotmail.com


Gilbués, o deserto vermelho
A Folha do Meio Ambiente foi muito feliz em editar a reportagem “Deserto Vermelho de Gilbués”. Parabéns, mais uma vez, ao levantar a lebre, provocando os cientistas, e acabou gerando um belíssimo Globo Rural. A reportagem cutucou toda a comunidade científica brasileira e internacional, despertando o interesse dos estudiosos em conservação da água e dos solos. Para falar a verdade, minha adrenalina sobe quando releio esta matéria sobre Gilbués. (edição 161/setembro 2005)
 A verdade é que precisamos destinar atenções e esforços, além de exercitar teorias e práticas para resolver o problema.
Aquele deserto vermelho de Gilbués já é patrimônio natural da comunidade científica e deverá ser aberto democraticamente a todos grupos interessados em estudá-lo. Esta estratificação em sítios de pesquisas avançará e acelerará o processo de busca de soluções. Vocês jornalistas levantaram a bola e nos deixam enlouquecidos pelo desafio.
Luciano Cordoval – Pesquisador da Embrapa – Sete Lagoas-MG


Moto-ambiental
Sou manauara e piloto de motovelocidade. Estou em Brasília há dois meses para participar do Campeonato Brasileiro de motovelocidade. O Campeonato Brasileiro de motovelocidade é transmitido pela ESPN Brasil e, regularmente, tem a participação e cobertura da revista Moto. Escrevo porque tenho interesse em desenvolver um trabalho de conscientização ambiental, no sentido de divulgar para o Brasil e o mundo a importância da preservação da Amazônia. A relação dos homens com o meio ambiente é fundamental. Estou em busca de patrocínio para competir. Quem tiver interesse nesta parceria pode saber que fará um excelente trabalho. Sou piloto do Amazonas pronto para lutar pela preservação.
Davidson Jacaúna de Azevedo
davidson_mt@hotmail.com
Manaus – AM


Borboletários
Adorei o site, há tempos venho pensando em construir um borboletário, para fins educativos. Tenho inúmeras dúvidas, como autorização, plantas adequadas para alimentação das lagartas. Quem poderia me ajudar com estas questões?
Lilian Aparecida Marques de Oliveira – lilian@fundanet.br


NR – Lílian, a construção de um borboletário para fins de educação ambiental ou mesmo comercial deve obedecer alguns critérios. O ideal seria você visitar um destes borboletários que existem por aí. Em Belém do Pará, no Mangual das Garças, tem um borboletário maravilhoso. Também em Diadema, dentro do Jardim Botânico (11 – 4059-7600), tem um inaugurado no final do ano passado. Em Brasília, no Jardim Zoológico, (61-3345-3311 e  61-3345-3248) também tem um muito interessante.


Muda Vida
Nós da ONG Muda Vida queremos agradecer a FMA pelo apoio que deu à 26ª Exposição de Sobradinho, realizada na segunda semana de julho. Foi um apoio muito importante e valorizou ainda mais nosso esforço no sentido de conscientizar a população para as questões ambientais e melhoria da qualidade de vida. Abraço do geógrafo e ambientalista.
Nilton de Castro Lopes
Presidente Ong Muda Vida
Sobradinho – DF


Juiz de Fora
Parabéns pelo excelente jornal. Uma grande iniciativa pela divulgação da preservação ambiental. Moro em Juiz de Fora e faço parte da ONG AMAJF – Associação pelo Meio Ambiente de Juiz de Fora. Há três anos, estamos lutando contra a construção de um condomínio de luxo com 90 residências em uma área de Mata Atlântica. Gostaria de saber se vocês têm interesse em conhecer. Caso tenham, possuo bastante material em meio eletrônico para fornecer e tanto eu como outros membros da ONG poderíamos dar depoimentos.
José Aristides Coelho de Andrade – Tecnólogo em Meio Ambiente – Juiz de Fora-MG
andrade.scout@petrobras.com.br