Meio Ambiente

Uma de cada oito mortes na Europa está ligada a poluição e outros fatores ambientais, diz UE

8 de setembro de 2020

    Uma de cada oito mortes na Europa está ligada a poluição e outros fatores ambientais, diz UE Imagem: JOHANNES EISELE/AFP       Fatores ambientais, como poluição atmosférica e ondas de calor exacerbadas pela mudança climática, contribuem para cerca de 13% de todas as mortes na Europa, disse a AEA (Agência Europeia do… Ver artigo

 

 

Uma de cada oito mortes na Europa está ligada a poluição e outros fatores ambientais, diz UE - JOHANNES EISELE/AFP

Uma de cada oito mortes na Europa está ligada a poluição e outros fatores ambientais, diz UE
Imagem: JOHANNES EISELE/AFP
 
 
 
Fatores ambientais, como poluição atmosférica e ondas de calor exacerbadas pela mudança climática, contribuem para cerca de 13% de todas as mortes na Europa, disse a AEA (Agência Europeia do Ambiente) hoje.
 
Um total de 630 mil óbitos nos 27 países da União Europeia mais o Reino Unido foram atribuídas a fatores ambientais em 2012, o ano mais recente com dados disponíveis, disse a AEA em um relatório.
 
"Estas mortes são evitáveis e podem ser reduzidas significativamente por meio de esforços para melhorar a qualidade ambiental", explicou. A poluição atmosférica é o maior risco ambiental na Europa, contribuindo para mais de 400 mil mortes prematuras a cada ano.
 
A exposição prolongada a poluentes pode causar diabetes, doenças pulmonares e câncer, e indícios precoces levam a crer que a poluição atmosférica pode estar ligada a taxas de óbito maiores entre pacientes de covid-19.
 
Os níveis de poluição europeus despencaram durante os isolamentos impostos em reação à pandemia de coronavírus, mas se acredita que a queda será temporária e a maioria dos países do bloco dificilmente cumprirá suas metas de corte de poluentes atmosféricos na próxima década.
 
A AEA disse que a pandemia de coronavírus ressaltou a conexão entre o meio ambiente e a saúde humana, demonstrando o risco crescente de transmissão de doenças de animais para humanos em resultado da degradação ambiental e da produção de carne.
 
"A covid-19 foi mais um despertar, tornando-nos agudamente cientes do relacionamento entre nossos ecossistemas e nossa saúde", disse a chefe de saúde da UE, Stella Kyriakides, em um comunicado.