El Niño

El Niño e seca provocam prejuízos e mudam vida de 50 mil pessoas no AM

9 de março de 2016

Quatro cidades banhadas pelo Rio Negro decretaram estado de emergência. Defesa Civil distribui 200 toneladas de ajuda humanitária nesta semana.

Bancos de areia se formaram em vários trechos do rio  (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)

Bancos de areia se formaram em vários trechos do Rio Negro (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)

 

A seca atípica no Amazonas por conta do fenômeno El Niño segue castigando e mudando a rotina de milhares de famílias no interior do estado. Quatro cidades da calha do Rio Negro já decretaram estado de emergência. A Defesa Civil informou que 200 toneladas de ajuda humanitária estão sendo distribuídas às cidades nesta semana. A previsão é que o nível do rio volte a subir no mês de abril.

 

Agricultora Maria do Rosário Rodrigues disse ter perdido plantação pela falta de chuvas (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)

Agricultora Maria do Rosário Rodrigues disse ter perdido plantação pela falta de chuvas (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)

 

A agricultora Maria do Rosário Rodrigues, 49, mora na Comunidade Piloto, no município de Barcelos, a 399 km de Manaus. Ela conta que a economia da comunidade é baseada no plantio de hortaliças e raízes colhidos no local e vendidos em Barcelos. No entanto, as poucas chuvas registradas no primeiro bimestre do ano dificultaram o cultivo dos produtos e reduziu ainda mais os ganhos dos moradores.
 
"O sol secou o solo todo e as mudas não vingaram. Antes a gente levava farinha, tapioca, verdura e alguns legumes duas, até três vezes pra vender, agora a gente tem que economizar muito, principalmente nas casas que têm muita gente", relata Maria do Rosário.

 

Maria Auxiliadora depende de plantio para sustentar a família (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)

Maria Auxiliadora depende de plantio para sustentar a família (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)

 

Com cinco crianças com idades entre um e 11 anos para sustentar, a agricultora Maria Auxiliadora Silva, 36, lamenta a perda dos produtos na roça.
 
"Todo ano a gente perde no tempo da cheia, na seca a gente faz o roçado em outro lugar, mas dessa vez não deu pra salvar. Até os peixes não estão vindo mais pra que esses lados. É muito difícil. Meu marido vai se virando, procurando trabalho pra manter a casa e nós vamos levando", conta a agricultora.
 
De acordo com o líder comunitário Genildo Canauá , 58 famílias moram na Comunidade Piloto. Juntas elas somam 245 pessoas.
 
 
Cestas de alimentos estão sendo encaminhadas para cidade afetadas (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)
Cestas de alimentos estão sendo encaminhadas para cidade afetadas (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)
 
 
 
Cidades em emergência
 
De acordo com a Defesa Civil do Estado, cerca de 10 mil famílias das cidades de Barcelos, Presidente Figueiredo, São Gabriel da Cachoeira e Santa Isabel do Rio Negro foram afetadas pela estiagem do Rio Negro. O levantamento aponta quase 50 mil pessoas afetadas nos quatro municípios.
 
Segundo o secretário executivo da Defesa Civil, Fernando Pires Júnior, 200 toneladas de ajuda humanitária estão sendo levadas aos municípios. Presidente Figueiredo foi a primeira cidade a receber os kits. As comunidades de Barcelos começaram a receber os kits nesta segunda-feira (7), em seguida são as comunidades de Santa Isabel do Rio Negro, e por último as de São Gabriel da Cachoeira. A meta é que todos os kits sejam entregues até sábado (12).
 
"Esse é um desastre em evolução, trabalhamos com a hipótese de aumentar a estiagem nesse mês. Os especialistas apontam que o rio deve começar a subir em abril, estamos preparados para passar bem por essa situação e criar uma cultura de resiliência", declarou o secretário executivo.
 
Além da ajuda humanitária, serão distribuídos 15 mil kits dormitórios, contendo redes, colchões e mosqueteiros, 10 mil frascos de hipoclorito, 100 caixas d'agua, 150 unidades de moto bombas com mangueiras e cinco mil kits de higiene e água potável.
 
Ainda segundo o secretário, Presidente Figueiredo decretou emergência  no dia 3 de fevereiro, São Gabriel da Cachoeira no dia 5 de fevereiro e no dia 15 do mesmo mês passado,  Barcelos e Santa Isabel do Rio Negro.

 

Água está abaixo de margem comum (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)

Água está abaixo de margem comum para esta época do ano (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)

 

Famílias cadastradas receberam cestas da Defesa Civil (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)

Famílias cadastradas receberam cestas da Defesa Civil (Foto: Suelen Gonçalves/G1 AM)

 

 

Fonte: Globo.com