Acre

Acre quer zerar desmatamento ilegal até 2020, diz secretário de Meio Ambiente

9 de março de 2018

Plano Estadual de Prevenção e Controle de Desmatamento e Queimadas foi atualizado e apresentado, nesta quarta-feira (7), em Rio Branco.

 

 

Reunião para apresentar novo plano estadual ocorreu nesta quarta-feira (7) em Rio Branco (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Reunião para apresentar novo plano estadual ocorreu nesta quarta-feira (7) em Rio Branco (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)
 
 
 
 
 
O estado do Acre quer zerar o desmatamento ilegal em seu território até o ano de 2020. A informação foi confirmada pelo secretário de Meio Ambiente do Acre (Sema), Edgar de Deus, nesta quarta-feira (7), durante reunião de apresentação do novo Plano Estadual de Prevenção e Controle de Desmatamento e Queimadas.
 
Disponível para consulta pública desde o início de fevereiro, o plano foi apresentado aos Conselhos de Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, Florestal Estadual e de Desenvolvimento Rural Florestal Sustentável.
 
“Esse é um plano que pretende chegar ao desmatamento ilegal zero até 2020. Então, para isso, tem uma série de ações na área de comando e controle, que chamamos de fiscalização e monitoramento, um segundo eixo que é de produção sustentável e o terceiro que é a regularização fundiária e estruturação do território”, informou Edgar.
 
O secretário falou sobre a novidade do atual plano. O primeiro documento foi lançado em 2009 e passou por atualizações.
 
“Posso destacar que a novidade desse plano é que foi incorporado, além do desmatamento, também as queimadas e incêndios florestais. Isso porque nos últimos três períodos, 2005, 2010 e 2016, tivemos eventos extremos de secas. Então, houve a necessidade de incorporar todo procedimento de investigação dos danos que as queimadas e incêndios florestais estão causando no nosso território”, disse o secretário.
 
Sobre os resultados do plano desde sua implantação no estado, o secretário destacou que vem reduzindo os números de desmatamento ao longo dos anos. Segundo ele, nos últimos 14 anos, o Acre reduziu em 66% o desmatamento.
 
“Saímos de um patamar de 500 quilômetros quadrados, que equivale a 50 mil hectares, por ano, para 280 a 250 km quadrados, o equivalente a cerca de 28 a 25 hectares. No último ano, reduzimos em 34% comparados a 2016”, destacou.
 
O secretário de Agricultura e Pecuária, José Carlos Reis, falou sobre a importância de participar da reunião. Ele afirmou que o estado vem apresentando bos exemplos em relação à integração lavoura e pecuária.