Mudanças Climáticas

Por que 11 países africanos estão construindo uma muralha de árvores

13 de outubro de 2017

O muro gigantesco se estende por 11 países com 8 mil km de comprimento e 15 km de largura e busca mitigar efeitos de mudanças climáticas no continente.

 

 

 (Foto: Reprodução/BBC)

(Foto: Reprodução/BBC)
 
 
 
 
 
A África está construindo um muro gigante – de árvores.
 
A barreira cruza o continente de leste a oeste – e o território de 11 países – e faz parte de uma tentativa de mitigar os efeitos de mudanças climáticas.
 
O plantio de árvores teve início em 2007 e o objetivo é fazer com que o muro atinja 8 mil km de comprimento e 15 km de largura.
 
Até agora, Senegal é o país que fez o maior progresso, com 11 milhões de árvores.
 
 
De acordo com Absaman Moudouba, líder de um vilarejo do sul do país que fica nas cercanias da chamada Grande Muralha Verde, o projeto está revertendo a desertificação.
 
“Quando não havia árvores, o vento escavava e desgastava o solo. Mas está mais protegido agora. As folhas viram compostagem e a sombra aumenta a umidade do ambiente – e assim há menos necessidade de água”, afirma.
 
“Antes, havia fome e seca generalizadas aqui. Então, começou a plantação de árvores e depois um jardim onde as mulheres fazem a cultura agrícola. Antes, as pessoas costumavam migrar, mas agora elas só seguem a linha da Grande Muralha Verde em busca de emprego. Elas não partem mais”, diz Moudouba.
 
O projeto começou em 2007 e o custo estimado é de U$8 bilhões (R$25 bilhões). Apesar de estar anos distante de ser finalizado, o Banco Mundial, a ONU, a União Africana e os Jardins Botânicos do Reino Unido seguem na busca de fundos para continuar o plantio.