Groenlândia

Iceberg gigante ameaça vilarejo na Groenlândia

14 de julho de 2018

Receio de que o bloco de gelo se parta e provoque um tsunami fez com que moradores fossem retirados de perto do iceberg.

 

 

Receio de que o bloco de gelo se parta e provoque um tsunami fez com que moradores fossem retirados de perto do iceberg (Foto: Reuters)

Receio de que o bloco de gelo se parta e provoque um tsunami fez com que moradores fossem retirados de perto do iceberg (Foto: Reuters)
 
 
 
Um iceberg gigante, com rachaduras e buracos, ameaça um vilarejo no oeste da Groenlândia, que está em estado de alerta.
 
Moradores foram retirados de suas casas com o receio de que o enorme bloco de gelo se parta, provocando tsunamis e inundações. Apesar de assustar os moradores da vila de Innaarsuit, o iceberg não se moveu à noite, segundo a imprensa local.
 
No ano passado, quatro pessoas morreram depois que ondas inundaram casas na Groenlândia, após um tremor.
 
Blocos de gelo que se desprendem do círculo polar durante o verão passam com frequência pela Groenlândia, região autônoma da Dinamarca que é banhada pelo Oceano Glacial Ártico. Mas autoridades da Groenlândia afirma que nunca viram um bloco de gelo tão grande e tão perto.
 
Os 169 moradores cujas casas estavam mais perto do iceberg foram levados para áreas mais seguras, segundo informou a agência de notícias dinamarquesa Ritzau.
 
 
Rachaduras e buracos no iceberg
 
"Há rachaduras e buracos (no iceberg) que nos fazem temer que possa partir a qualquer momento", disse Susanne Eliassen, membro do conselho local, ao jornal Sermitsiaq.
 
A estação de energia do vilarejo fica perto da costa, assim como tanques de combustível. Por isso, o receio de que o iceberg gigante cause danos ainda maiores à região.
 
Em junho, cientistas da Universidade de Nova York divulgaram imagens de um imenso iceberg que se desprendeu de uma geleira no leste da Groenlândia.
 
Alguns especialistas alertaram que o desprendimento de grandes blocos de gelo pode se tornar cada vez mais frequentes devido às mudanças climáticas. Isso, por sua vez, aumenta o risco de tsunamis e inundações.