Água

Seminário debate sistemas de água gelada

25 de fevereiro de 2016

Novas tecnologias de alta eficiência e baixos impactos ambientais buscam utilizar substâncias menos nocivas à camada de ozônio.

 
Divulgação/SMCQ/MMA
Sistemas de ar central: impactos devem ser reduzidos
 
 
 
Por: Luciene de Assis – Edição: Alethea Muniz
 
 
O uso de equipamentos de ar-condicionado central deve combinar a melhoria da eficiência energética das edificações com a maximização dos benefícios econômicos e ambientais. Essa é a abordagem do seminário sobre Sistema de Água Gelada, cujos aparelhos ainda utilizam em seus processos de refrigeração do ar as substâncias clorofluorcarbono (CFC) e hidroclorofluorcarbono (HCFC).
 
Organizado pela Gerência de Proteção da Camada de Ozônio (GPCO) do Ministério do Meio Ambiente (MMA), o evento acontece no Rio de Janeiro, nestas quarta e quinta-feiras, dias 23 e 24/02, no Hotel Windsor Atlântica, para engenheiros, profissionais de empresas de economia de eficiência energética e especialistas do setor de refrigeração e ar-condicionado.
 
Quando liberados na atmosfera, tanto o CFC quanto o HCFC danificam partes da camada de ozônio que protege o ser humano da irradiação nociva de certos raios solares, abrindo buracos nessa estrutura invisível a olho nu. O seminário abordará a instalação, manutenção e operação desses equipamentos, com foco na melhoria da eficiência energética das construções, além de maximizar os benefícios econômicos e ambientais.
 
 
MENOR IMPACTO
 
O evento faz parte do Projeto Demonstrativo para o Gerenciamento Integrado do Setor Chillers, coordenado pelo MMA e implementado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). O seminário integra as atividades brasileiras destinadas à proteção da camada de ozônio no âmbito das ações do Protocolo de Montreal, um tratado internacional que determina a redução de substâncias que destroem a camada de ozônio. O debate desse tratado surgiu durante a Convenção de Viena de 1985, mas foi criado, de fato, em 16 de setembro de 1987, em Montreal, no Canadá, e, hoje, é seguido por 197 países.
 
“Nosso objetivo é promover capacitação e disseminação de informações sobre sistema de água gelada, estimulando a adoção de melhores práticas de instalação, manutenção e operação, além de melhorar o conforto térmico sem prejudicar a camada de ozônio”, avalia o analista ambiental Frank Amorim, do Ministério do Meio Ambiente.
 
Segundo ele, o seminário abordará diversos assuntos técnicos voltados para sistemas de água gelada, tais como as novas tecnologias de alta eficiência e baixo impacto ambiental capazes de substituir o CFC e o HCFC; os processos de otimização, comissionamento e retrocomissionamento de sistemas de ar-condicionado; as normas técnicas, medição e verificação de desempenho, entre outros assuntos.
 
 
Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA): (61) 2028-1165