Sustentabilidade

A cidade que dá cerveja e sorvete grátis a quem usa bicicleta ou transporte público

25 de outubro de 2018

Sistema de “recompensa” pelo uso de alternativas de transporte que reduzem a poluição no planeta foi implantado pela cidade de Bolonha, na Itália, e tem feito o maior sucesso. BBC

 

 

Há quem faça a adesão pelos benefícios de fazer exercício físico, pedalando, mas os prêmios também têm servido de motivação — Foto: Skitterphoto/Creative Commons

Há quem faça a adesão pelos benefícios de fazer exercício físico, pedalando, mas os prêmios também têm servido de motivação — Foto: Skitterphoto/Creative Commons
 
 
 
 
Andar de bicicleta nunca havia sido tão gratificante.
 
A cidade de Bolonha, no norte da Itália, criou um sistema de recompensa para os cidadãos que usam bicicleta ou transporte público em vez de carro particular – como forma de conter a poluição provocada pela emissão de gases causadores do efeito estufa que têm cada vez mais impulsionado o aquecimento do planeta.
 
É assim, por meio da iniciativa, que muitos ciclistas recebem cervejas, ingressos de cinema e outros "brindes" em troca de viagens que realizam pedalando.
 
Tudo é feito por meio de um aplicativo, chamado Bella Mossa, que pode ser traduzido como "Bom Trabalho".
 
O idealizador é o italiano Marco Amadori, um urbanista que lançou a ideia no ano passado para tentar tornar os transportes ecologicamente sustentáveis ​​mais atraentes.
 
"Pela primeira vez fomos capazes de envolver todo mundo. Todos têm a possibilidade de trocar uma viagem de carro por uma de bicicleta ou ônibus e receber uma recompensa", explicou Amadori a uma equipe da BBC que viajou para Bolonha
 
 
Como funciona
 
O sistema é simples. O usuário baixa o aplicativo, registra as viagens que faz em transporte público ou de bicicleta e, em seguida, troca os pontos por produtos nos estabelecimentos que aderiram ao programa.
 
Mas, cuidado: o aplicativo também detecta trapaças. Com um sistema de GPS, ele consegue rastrear a velocidade e a duração da viagem para conferir se estão de acordo com os selecionados no aplicativo.
 
Além disso, o sistema não recompensa a distância percorrida, mas a assiduidade.
 
Desta maneira, os pontos são obtidos por viagem, e não por quilometragem, para estimular os participantes a usarem o meio de transporte mais limpo o maior número de vezes possível.
 
Até quatro viagens podem ser registradas por vez pelo usuário.
 
Ao final do trajeto, o aplicativo mostra o quanto de CO2 (dióxido de carbono) – um dos gases causadores do aquecimento global – deixou de ser emitido por terem escolhido o meio alternativo de locomoção.
 
Uma equipe da BBC viajou a Bolonha para verificar como funcionava o mecanismo e averiguou que são necessárias aproximadamente oito viagens para se obter um sorvete grátis.
 
 
Resultados
 
O sistema, financiado com recursos da União Europeia e da prefeitura de Bolonha, funciona apenas seis meses por ano, mas em 2017 o sucesso foi indiscutível.
 
Ao longo do período, foram registrados 3,7 milhões de quilômetros e até 16 mil cupons foram trocados.
 
Para o sucesso da iniciativa, é vital a colaboração do comércio local – com mais de uma centena de estabelecimentos cadastrados no programa -, mas também a participação dos cidadãos.
 
"Ela estimula as pessoas a fazerem uma atividade física e isso é sempre bom para a saúde", defende uma usuária chamada Elisa. Outro, Fabio, afirma que aderiu "porque é divertido, mas também pelos pontos" que ganha em troca.
 
* Esta reportagem é uma adaptação de um vídeo produzido por Amelia Martyn-Hemphill e Nicola Kelly para o BBC World Hacks, canal online da BBC que apresenta ideias para tornar o mundo melhor e verifica se elas funcionam.