Beija-flor

Biólogo cria flor de vidro para desvendar segredo da língua do beija-flor

26 de fevereiro de 2018

Pesquisador decidiu verificar como esses animais se alimentam de néctar – e a chave está na sua língua, que se divide como a de uma cobra.

 

 

Beija-flor se alimenta a cada 15 minutos (Foto: BBC Brasil)

Beija-flor se alimenta a cada 15 minutos (Foto: BBC Brasil)
 
 
 
 
 
Os beija-flores são considerados os pássaros mais velozes do mundo.
 
 
Um estudo publicado em 2009 revelou que eles chegam a voar mais rápido do que caças.
 
Mas isso tem um custo: esses animais precisam se alimentar a cada 15 minutos.
 
As batidas ultrarrápidas de suas asas (até 80 vezes por segundo) lhes permitem flutuar no ar e se alimentar do néctar das flores.
 
Mas como?
 
Pensava-se que o néctar era sugado para o bico por "capilaridade" ou "ação capilar", propriedade física pela qual fluidos sobem ou descem em tubos muito finos.
 
O biólogo Alejandro Rico-Guevara, da Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos, decidiu colocar em xeque essa teoria.
 
Para isso, criou uma flor feita de vidro.
 
E descobriu que a forma como os beija-flores se alimentam nada tem a ver com a "ação capilar".
 
Na verdade, a língua de um beija-flor se agita para dentro e para fora do bico 15 vezes por segundo.
 
Ela é dividida em duas, como a de uma cobra, e o néctar é sugado para dentro do bico.
 
Funciona como uma espécie de bomba de sucção.
 
No bico, a língua é comprimida e permanece assim até se expandir novamente.
 
Quando toca o néctar, se divide ao meio num movimento rápido e suga o líquido. Ao se contrair, toma a forma de dois cilindros, cheios de néctar.
 
Segundo Rico-Guevara, sua câmera filma mil quadros por segundo, permitindo registrar o momento em câmera lenta.