Meio Ambiente

Morcegos praticam distanciamento social quando estão doentes, aponta estudo

27 de outubro de 2020

    Morcegos-vampiros são animais sociais que gostam de cuidar uns dos outros e compartilhar comida — Foto: Getty Images via BBC     Uma nova pesquisa aponta que morcegos se distanciam socialmente quando estão doentes, passando menos tempo perto de outros e interagindo menos companheiros de grupo.   O comportamento já havia sido observado… Ver artigo

 

 

Morcegos-vampiros são animais sociais que gostam de cuidar uns dos outros e compartilhar comida — Foto: Getty Images via BBC

Morcegos-vampiros são animais sociais que gostam de cuidar uns dos outros e compartilhar comida — Foto: Getty Images via BBC
 
 
Uma nova pesquisa aponta que morcegos se distanciam socialmente quando estão doentes, passando menos tempo perto de outros e interagindo menos companheiros de grupo.
 
O comportamento já havia sido observado em laboratório, mas pesquisadores da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, agora verificaram o mesmo com morcegos-vampiros selvagens em Belize, na América Central. O estudo foi publicado na revista Behavioral Ecology.
 
Os cientistas monitoraram um grupo de morcegos que vivia dentro de uma árvore oca, equipando-os com minúsculos sensores de proximidade para descobrir como eles interagiam socialmente.
 
Os pesquisadores ainda injetaram em 16 morcegos uma substância chamada lipopolissacarídeo, que fez seus sistemas imunológicos reagissem temporariamente como se estivessem doentes, para ver se seu comportamento mudaria.
 
No total, havia 31 morcegos na árvore. Os 15 animais restantes receberam injeções de solução salina que não interferiram com seu sistema imunológico.
 
Os pesquisadores dizem que nenhum dos morcegos foi ferido durante o experimento.
 
 
Menos interação social
 
Foi observado que os morcegos "doentes" interagiram com cerca de quatro morcegos a menos do que os animais saudáveis.
 
Eles não queriam participar dos rituais e cuidados recíprocos, moviam-se menos e agiam de forma mais sonolenta do que os outros.
 
Essa diferença comportamental diminuiu seis horas após a injeção e quando os morcegos dormiam ou saíam em busca de comida.
 
Após 48 horas, os efeitos da injeção desapareceram completamente, e os morcegos voltaram a ser tão sociais quanto antes.
 
Ao se sentir mal, os morcegos reduziria a probabilidade de espalhar um vírus ao passar menos tempo com morcegos saudáveis, afirmam os pesquisadores.
 
O principal autor do estudo, Simon Ripperger, chama isso de "distanciamento social passivo" e acredita que esse comportamento pode ser mais comum no reino animal do que sabemos.
 
"Os sensores nos deram uma janela nova e surpreendente para como o comportamento social desses morcegos mudava de hora em hora e mesmo de minuto a minuto durante o dia e a noite, mesmo enquanto eles estavam escondidos na escuridão de uma árvore oca," disse Ripperger.
 
O distanciamento social passivo é comparado ao que humanos fazem ao ficar de cama quando se sentem mal, em vez de estar perto de outras pessoas.
 
O comportamento é útil para a saúde geral de um grupo de animai,s porque torna menos provável que uma doença se espalhe.