ONU

Mexicana é indicada para liderar gestão de mudança climática da ONU

4 de maio de 2016

Diplomata Patricia Espinosa é atual embaixadora do México em Berlim. Secretário-geral da ONU fez nomeação, que terá que ser ratificada.

Da EFE

 

Patricia Espinosa em foto de 2011 (Foto:  Luis Galdamez/Reuters)

Patricia Espinosa em foto de 2011 (Foto: Luis Galdamez/Reuters)

 

A diplomata mexicana Patricia Espinosa, atual embaixadora do México em Berlim, foi indicada pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, para liderar a Convenção Marco das Nações Unidas sobre a Mudança Climática (UNFCCC), com sede em Bonn, na Alemanha.
 
Em comunicado, o organismo explicou que Ban Ki-moon concluiu o processo de seleção com a escolha de Espinosa, o que abre um processo de consultas que conduzirá à ratificação definitiva da nomeação.
 
Espinosa substituirá como secretária executiva da UNFCCC a costa-riquenha Christiana Figueres.
 
Ex-chanceler do México, ela era um dos dez candidatos listados pela ONU para assumir o posto de chefe da diplomacia climática internacional.
 
 
Trajetória
 
Nascida na Cidade do México em 1958, Espinosa ingressou no Serviço Exterior Mexicano em 1981 e seu primeiro destino dentro da carreira diplomática foi o de agregada de Economia da Missão do México nas Nações Unidas com sede em Genebra.
 
Após ocupar diversos cargos em missões diplomáticas mexicanas, em 2001 chegou à Alemanha como embaixadora para ser nomeada em junho de 2002 representante de seu país para Áustria, Eslováquia e os Organismos Internacionais sediados em Viena.
 
Ela deixou estes últimos destinos no final de 2006, momento em que o então presidente do México, Felipe Calderón, a pôs à frente da Secretaria de Relações Exteriores.
 
Após seis anos no cargo, em 2013 Patricia Espinosa retornou a Berlim como embaixadora de seu país.