Furacão Delta

Furacão Delta ganha força após passar pelo México e segue em direção aos EUA

8 de outubro de 2020

    Imagem de satélite feita na quarta-feira (7) mostra o furacão Delta sobre a costa sudeste do México — Foto: Reprodução/Twitter/NHC       O furacão Delta voltou a ganhar força na madrugada desta quinta-feira (8) depois de passar pela Península de Yucatán, no sudeste do México. O fenômeno se aproxima da costa dos… Ver artigo

 

 

Imagem de satélite feita na quarta-feira (7) mostra o furacão Delta sobre a costa sudeste do México — Foto: Reprodução/Twitter/NHC

Imagem de satélite feita na quarta-feira (7) mostra o furacão Delta sobre a costa sudeste do México — Foto: Reprodução/Twitter/NHC
 
 
 
O furacão Delta voltou a ganhar força na madrugada desta quinta-feira (8) depois de passar pela Península de Yucatán, no sudeste do México. O fenômeno se aproxima da costa dos Estados Unidos e deve tocar o solo da Luisiana entre sexta-feira e sábado.
 
O Delta se mantém na categoria 2, de acordo com o Centro Nacional de Furacões (NHC), depois de reduzir brevemente sua intensidade. A escala de medida da gravidade dos furacões vai de 1 a 5, esta última como a mais destrutiva. O furacão que viaja pelo Golfo do México tem ventos de até 150 km/h.
 
 
 
Rota do furacão Delta nesta quinta-feira (8) — Foto: G1
 
 
Na quarta-feira (7), ele tocou o solo pela primeira vez na cidade de Puerto Morelos, próxima a Cancún e deixou um rastro de destruição, mas sem nenhum registro de vítimas. Autoridades locais haviam evacuado a região litorânea e transferido moradores e turistas para um abrigo ainda na terça (6).
 
 
 
Furação Delta atinge a costa sudeste do México e provoca destruição em comércios e residências na quarta (7) — Foto: Henry Romero/Reuters
 
Furação Delta atinge a costa sudeste do México e provoca destruição em comércios e residências na quarta (7) — Foto: Henry Romero/Reuters
 
 
 
O Delta se desloca em direção à costa da Luisiana, nos EUA. A região tem importantes reservas de petróleo e zonas de refino. Petroleiras norte-americanas já se preparam para o impacto em suas instalações.
 
A temporada atual de furacões no Atlântico bateu recordes e já registrou 26 temporais. A lista de nomes previstos para os ciclones e furacões se esgotou e os meteorologistas passaram a identificá-los com o alfabeto grego.