Salvando as araucárias

10 de fevereiro de 2004

  Embora as plantações artificiais de araucária sejam importantes para a sobrevivência da espécie, o ecossistema constituído por essa árvore e também pelos Podocorpus e outras plantas, está à beira da extinção. Assim, o Ministério do Meio Ambiente constituiu uma comissão, à qual pertenço, para sugerir medidas que visem proteger os bosques naturais remanescentes de… Ver artigo

 

Embora as plantações artificiais de araucária sejam importantes para a sobrevivência da espécie, o ecossistema constituído por essa árvore e também pelos Podocorpus e outras plantas, está à beira da extinção. Assim, o Ministério do Meio Ambiente constituiu uma comissão, à qual pertenço, para sugerir medidas que visem proteger os bosques naturais remanescentes de araucária. Peço aos leitores que escrevam para a Folha do Meio Ambiente  sobre o tema e mandem sugestões, a fim de que eu possa encaminhá-las à Comissão Federal que estuda o assunto. Seria uma verdadeira tragédia ecológica o desaparecimento dos bosques naturais de araucária e das plantas associadas.
(*) Paulo Nogueira Neto é professor Titular de Ecologia. Emérito. Ap. Instituto de Biociência, USP.

N.R: As colaborações dos leitores sobre a preservação das araucárias podem ser remetidas para:
folhadomeio@folhadomeio.com.br — SRTV Sul, Quadra 701 – Centro Empresarial Brasília
Cep: 70340-907 Brasília – DF  (Fax: (61) 321-7357)