AVES

Curso de Anilhamento de Aves

1 de setembro de 2016

Inscrições abertas e interessados podem se inscrever até 23 de setembro.

 

 

O anilhamento é de suma importância para toda comunidade científica e visa pesquisar, proteger e conservar as aves em seu habitat natural.
 
O Parque Nacional de Brasília, pelo ICMBio, vai oferecer entre 17 e 21 de outubro, um curso de anilhamento de aves silvestres. As inscrições podem se feitas até 23 de setembro. O treinamento vai abordar as principais técnicas de marcação de aves e suas aplicações na pesquisa e monitoramento de aves silvestres.
 
São oferecidas 15 vagas.
 
O curso é dirigido a estudantes e profissionais de biologia ou áreas afins que tenham interesse em desenvolver atividades de pesquisa e monitoramento de aves em áreas consideradas importantes para conservação dessas espécies aves no Brasil.
 
Como trata-se de um curso básico de anilhamento, não serão aceitas inscrições de anilhadores sêniores, uma vez que estes já possuem domínio da técnica de anilhamento. Além disso, por se tratar de um curso de introdução à técnica de anilhamento, com carga horária reduzida (40 horas), a participação do aluno não o habilitará a se tornar um anilhador sênior.
 
 
 
Existe toda uma técnica para se fazer o anilhamento. Daí a importância do curso do Cemave.
 
 
 
 
SELEÇÃO E CONFIRMAÇÃO – DETALHES SOBRE A INSCRIÇÃO
 
O curso é organizado pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A divulgação da lista dos selecionados será feita no dia 27 de setembro (até às 18h).
 
Os candidatos selecionados deverão confirmar participação pelo e-mail cemave.inscricoes@gmail.com, até às 23 horas e 59 minuto (horário oficial de Brasília/DF) do dia 10 de outubro. Em caso de desistência, será convocado o primeiro suplente da relação.
 
 
 
 
O curso é dirigido a estudantes e profissionais de biologia ou áreas afins que tenham interesse em desenvolver atividades de pesquisa e monitoramento de aves em áreas consideradas importantes para conservação das espécies.
 
CURSO GRATUITO
 
O curso é gratuito. Para se inscrever, os interessados devem apresentar carta de intenções, currículo ou endereço do curriculo lattes (CNPq). Será admitida a inscrição com o envio da documentação solicitada somente via internet, pelo endereçocemave.inscricoes@gmail.com, entre o período de 12/09 até as 23 horas e 59 minutos (horário oficial de Brasília/DF) do dia 23 de setembro .Não serão consideradas as inscrições que tiverem documentação incompleta ou enviada fora do prazo estabelecido.
 
A seleção ocorrerá mediante análise da carta de intenções e currículo. Serão priorizados os profissionais de Biologia e áreas afins, que desenvolvam ou tenham interesse em desenvolver atividades de pesquisa e monitoramento de aves em áreas consideradas importantes para conservação dessas espécies e em locais com lacunas de conhecimento, sobretudo, das espécies ameaçadas de extinção.
 
PARQUE DE BRASÍLIA
 
Material necessário para melhor aproveitamento
 
O curso será realizado integralmente no Parque Nacional de Brasília, sendo composto de aulas teóricas e práticas em campo. Para isso, todos os participantes deverão custear suas despesas de transporte, alimentação e hospedagem.
 
Nos dias das práticas de campo, os participantes deverão estar no Parque Nacional de Brasília (Base do Cemave/Brasília), às 5h30. Cada participante será responsável por seu deslocamento entre o local do curso, hotel, locais para alimentação.
 
Os organizadores pedem que cada participante traga em sua bagagem os seguintes materiais: protetor solar, repelente, tênis ou bota de campo, roupas para campo em cores em tons fechados, perneira, capa de chuva, lanterna de cabeça ou de mão e demais itens pessoais necessários para prática de campo.
Os organizadores sugerem ainda que, caso disponham, os alunos levem também binóculos e máquina fotográfica, uma vez que estão previstos alguns momentos para observação de aves no parque durante o curso.
 
 
ENCONTRO COM AVES ANILHADAS
 
Segundo o presidente do ICMBio, Rômulo Mello, hoje apesar do Sistema Nacional de Anilhamento de Aves Silvestres (SNA) contar com cerca de 1 milhão de dados de anilhamento armazenados, uma taxa de apenas 1% é recuperada e relatada. O número ainda é pequeno comparado com as taxas americana e europeia, que chegam a 5%. Apesar de várias campanhas já feitas pelo CEMAVE, para que os cidadãos relatem o encontro de aves anilhadas, essa taxa sempre se manteve baixa. 
 
Técnicos do Cemave sempre estão solicitando o apoio das unidades descentralizadas do ICMBio, divulgando em suas áreas de abrangência a importância de relatar o encontro de aves anilhadas.
 
Ao relatar o encontro de uma ave anilhada, o cidadão estará contribuindo com a pesquisa e a conservação das aves brasileiras. Rômulo Mello explica que é pelo  anilhamento que o Cemave consegue fazer um monitoramento amplo de várias espécies. “Esse trabalho é de suma importância para toda comunidade científica mundial que visa conservar as aves em seu habitat natural”, afirma.
 

 

A anilha é um “bilhete de identidade”. A anilhagem consiste na identificação individual de aves, através da colocação de uma anilha na sua pata.
 
 
COMO RELATAR O ANILHAMENTO
 
Para relatar o encontro de uma ave anilhada é necessário preencher o formulário que está disponível no site do CEMAVE, em “Anilhamento”. A pessoa que encontrou a ave anilhada deve preencher corretamente os dados solicitados e depois clicar em gravar. É muito importante informar o código correto da anilha (letra e números) e, se possível informar as coordenadas geográficas do local ou algum ponto de referência (rio, lago, morro, rodovia, rua, etc.). O formulário também pode ser acessado diretamente, na página do Sistema Nacional de Anilhamento de Aves Silvestres. Quando uma ave é recuperada, o anilhador recebe um Aviso de Recuperação e o recuperador (pessoa que relatou o encontro da ave anilhada) recebe um Certificado de Agradecimento. As anilhas estrangeiras também podem ser relatadas através deste formulário, cabendo ao CEMAVE enviar as informações ao Centro de Anilhamento Responsável.