Biogrilagem na Amazônia

“Text Mining” aplicado ao abuso internacional sobre os produtos fármacos da floresta amazônica.

20 de junho de 2006

Um projeto de pesquisa que tem como principal objetivo defender o Brasil da Biogrilagem na Amazônia, a nível de Pós-Doutorado, está sendo desenvolvido na ?Università degli studi di Modena e Reggio Emilia?, na Itália, em parceria com o Programa de Engenharia Civil da COPPE/UFRJ, representado pelo Professor Nelson Ebecken. Neste estudo são utilizadas modernas técnicas… Ver artigo

Um projeto de pesquisa que tem como principal objetivo defender o Brasil da Biogrilagem na Amazônia, a nível de Pós-Doutorado, está sendo desenvolvido na ?Università degli studi di Modena e Reggio Emilia?, na Itália, em parceria com o Programa de Engenharia Civil da COPPE/UFRJ, representado pelo Professor Nelson Ebecken. Neste estudo são utilizadas modernas técnicas de Text Mining ou de Mineração de Textos, que são capazes de ler, analisar e extrair informações de muitos documentos automaticamente.
A pesquisa é supervisionada pelo professor Alessandro Zanasi, que integra o corpo docente da Universidade de Modena e também é consultor e especialista na área de Mineração de Textos.
O que se pretende com esse projeto de pesquisa? Simples. Pretende-se descobrir as patentes de fármacos que se apropriaram do conhecimento tradicional e do patrimônio genético brasileiro. A metodologia proposta baseia-se em três etapas:
a) Coleta de documentos – Essa coleta é feita em agências ambientais brasileiras, contendo as seguintes palavras-chave: plantas medicinais, princípio ativo, fitoterapia, homeopatia, indústria farmacêutica, patentes, conhecimento tradicional, governo brasileiro, Amazônia, biodiversidade, biogrilagem e outros relacionados ao problema.
Ler e analisar estes documentos usando as ferramentas de mineração de textos e extrair informações do tipo: uma determinada doença (A) é curada com uma planta medicinal (B) relacionando o princípio ativo extraído da planta medicinal.
b) Coleta de patentes – Essa coleta é protocolada na indústria farmacêutica mundial, que relaciona o princípio ativo à cura de uma determinada doença. Ler e analisar estes documentos usando as ferramentas de mineração de textos e extrair informações do tipo: uma determinada doença (C) é curada com o princípio ativo (D)
c) Descoberta de correspondências – Descobrir correspondência entre (A) e (C) e (B) e (D) usando as ferramentas de mineração de textos e também de mineração de dados. Estas correspondências podem concluir que, por exemplo, um determinado laboratório X tenha usado o conhecimento tradicional dos índios brasileiros para desenvolver um determinado fármaco Y, e patenteou este fármaco Y de forma injusta.
Este tipo de descoberta pode fornecer subsídios para o governo brasileiro mobilizar instrumentos para uma melhor harmonização dos sistemas de propriedade intelectual em relação às assimetrias tecnológicas, econômicas e de aparato legal entre o Brasil e as empresas de países estrangeiros.
Nesse sentido, medidas acionáveis podem ser tomadas em prol da proteção do patrimônio genético brasileiro, contribuindo para a nossa biotecnologia produzir mais medicamentos por um menor custo, e possibilitando o tratamento acessível a um maior número de doentes.
Assim, solicito ajuda para a criação de uma coleção de documentos digitais (teses, artigos, jornais, revistas, leis, acordos etc) com os seguintes temas: flora medicinal, plantas medicinais, fitoterapia, homeopatia, patentes de fármacos e princípio ativo.


Os documentos digitais podem ser concedidos de acordo com a melhor conveniência:
a) copiando os documentos para uma pasta criada com a sigla de sua instituição seguida da UF, exemplo Amazonlink_AC, e copie esta pasta para o endereço:
ftp://morgana.unimo.it/ (user: souza, password: satz1x)
b) disponibilizados na WEB criando-se um ?FTP? próprio;
c) enviados para este e-mail souza.fabio@unimo.it  ou  para fabiocoppe@yahoo.com.br ;
d) enviados em discos (CD?s, diquestes, pen-drive) para o endereço abaixo e aos meus cuidados.
Cabe ressaltar que esta mensagem pode ser repassada a outros profissionais que possam colaborar. Serão enviadas, continuamente, listas de  resultados parciais do projeto, como prêmio de participação. Uma última informação: o supervisor do projeto é o prof. Alessandro Zanasi e o representante brasileiro é o prof. Nelson Ebecken (Coppe/UFRJ).


(*) Fábio Teodoro de Souza
Tel. 00.39.334.8747.996 – Viale Berengario 51
41100 – Modena – Itália
Università degli studi di Modena e
 Reggio Emilia – Italia
http://www.canalciencia.ibict.br/pesquisas/
pesquisa.php?ref_pesquisa=224