Boca no Trombone!

27 de setembro de 2004

Muro na praia de Juquehy  “O dinheiro é o Deus da Terra”, já diz sempre meu pai, Mauro Ferro, que já foi caçador, lavrador, pescador, e hoje é comerciante. Quero denunciar e, ao mesmo tempo, questionar, nossos órgãos e autoridades. Em Juquehy, São Sebastião, está sendo construído um muro de pedras, às margens do Rio… Ver artigo

Muro na praia de Juquehy
  “O dinheiro é o Deus da Terra”, já diz sempre meu pai, Mauro Ferro, que já foi caçador, lavrador, pescador, e hoje é comerciante. Quero denunciar e, ao mesmo tempo, questionar, nossos órgãos e autoridades. Em Juquehy, São Sebastião, está sendo construído um muro de pedras, às margens do Rio Juquehy, na praia, em frente a ponte de madeira. Exatamente, um muro na praia! Uma obra de grande porte ao lado do rio, com mais de 20 metros adentro da praia. Invadindo e destruindo o “JUNDU” e desestabilizando o curso do rio. E quando vierem as grandes chuvas, as trombas d’águas e a maré alta? Será que devemos deixar, pessoas de poder aquisitivo, mexer na natureza e desestruturá-la? Gostaria de saber qual órgão autorizou tal construção em área que pertence à Marinha do Brasil? O rico pode. Os pobres da colônia de pesca, que queriam construir um rancho de uso da comunidade, não podem. Foram impedidos. Chamo a atenção agora do sr. prefeito, Paulo Julião, do sr. Guilmer, presidente da colônia de pesca de São Sebastião, senhores fiscais do meio ambiente e autoridades da Marinha. Por favor, manifestem-se! Não é possível que privatizem nossas praias. Todos nós queremos saber se esse invasor paga os impostos direitinho. Alguns são proibidos até de acampar, outros fazem da área pública seu uso particular. A verdade é que “o dinheiro é o Deus da Terra”. Até quando vamos conviver com a omissão das autoridades?
Amanda Léa < amandalea12@hotmail.com > Rodovia Rio Santos, 167 (km 177) Juquehy – São Sebastião – SP


Ipojuca e o Chico Lapada
Atenção Ibama! Atenção autoridades! Estão despejando produtos químicos da usina Ipojuca, no rio Ipojuca e adjacências. É triste ver o que acontece nesta época do ano (outubro/novembro). Milhares de animais morrem todos os anos em conseqüência destes produtos que ameaçam cada vez mais as espécies que ali vivem. Denuncio este crime ambiental, porque os moradores da região temem represálias por parte do dono da usina, um tal de Chico Lapada. Os próprios moradores falam que os fiscais vão lá e nada fazem. Dizem que o dinheiro resolve tudo. Com essa denúncia estou tentando ajudá-los, pois sei que esse jornal é muito lido. Vou mandar fotos para provar o que estou dizendo.
alonne01@bol.com.br


Fim ao amianto
“O Partido Verde está pressionando governos e o parlamento para banir de veza exploração e uso do amianto, considerado cancerígeno e já proibido em São Paulo e em 34 países do mundo. A Sociedade Mineradora de Amianto S/A – SAMA, que explorou minas na Bahia, há décadas explora a maior mina deste minério, em Minaçu -GO. Apresentei requerimento propondo uma visita da Comissão de Meio Ambiente ao sudoeste da Bahia, para ver os males que uma mina abandonada pela SAMA, em Poções, continua produzindo na população e ao meio ambiente. Crianças e animais circulam numa região devastada. A água acumulada e contendo amianto está servindo ao consumo humano.  Ali, por mais de 20 anos se explorou o amianto, mineral causador de diversos tipos de câncer. Ainda hoje, ex-trabalhadores da mineração estão morrendo, contaminados pela exposição ao amianto, que chega a se manifestar até 20 anos depois”.
Deputado Edson Duarte (PV-BA) – Brasília – DF