Boca no Trombone!

Lago Paranoá

21 de outubro de 2005

“Estão construindo tantos prédios, tantos hotéis e tantos apart-hotéis, tantos clubes e tantas casas de festa às margens do Lago Paranoá, em Brasília, que valem três perguntas: os poços artesianos furados por esses projetos imobiliários são cadastrados? As bombas de sucção para pegar água do lago para aguar gramas e jardins são autorizadas? E como… Ver artigo

“Estão construindo tantos prédios, tantos hotéis e tantos apart-hotéis, tantos clubes e tantas casas de festa às margens do Lago Paranoá, em Brasília, que valem três perguntas: os poços artesianos furados por esses projetos imobiliários são cadastrados? As bombas de sucção para pegar água do lago para aguar gramas e jardins são autorizadas? E como é feita toda parte de saneamento que nós, pobres cidadãos, nem podemos conferir porque está debaixo da terra? Respostas para o Palácio do Buriti”.
Leo Chaves
Paranoá/Brasília
Distrito Federal


Asfaltamento em UC de Goiás
 “Moro em Piri há 12 anos. O atual prefeito é dono de pedreira e está em pé de guerra contra os ambientalistas e até mesmo os turistas, pois são atividades conflitantes. O governador comprou uma propriedade na serra dos Pirineus e está iniciando um projeto turístico. Esse fato é um dos motivos do asfalto. A estrada de terra da Serra dos Pireneus, que liga Cocalzinho de Goiás à Pirenópolis, e atravessa a APA e o Parque Estadual da Serra dos Pireneus está sendo asfaltada pelo governo de Goiás. É um desrespeito, pois a obra contraria a maioria dos conselheiros do Parque, dos moradores e dos ecoturistas. Um fraco EIA-RIMA foi apresentado e contestado pelas ONG’s locais”.
Rogério
rfsdias@brturbo.com.br
Goiás


Tema para debate
“Puxa! Veja o que estão fazendo com o mundo! Guerras, minas terrestres, bombardeios… E aqui no Brasil existe uma acomodação tremenda. Fala-se em preservação, mas pouco se faz. No  estado de S. Paulo o progresso é construir prédios, construir rodovias, duplicá-las… Daqui a pouco não teremos lugar para por tantos carros. É muito asfalto, é um sufoco… Vamos parar com isso. Solução? Ferrovias! Aliás, nossas ferrovias estão abandonadas e ninguém faz nada. O progresso sustentado está nas ferrovias. Todo este questionamento tem que partir da imprensa. A mídia tem que promover esse debate, discutir esse problema”.
Ari Rossi
ari.rossi@itelefonica.com.br
São Paulo