Boca no Trombone!

Às vezes, não dá para segurar. Só mesmo o desabafo para protestar e exigir respeito ao meio ambiente.

24 de agosto de 2006

Biodiesel e a (má)mona! “Biodiesel – longe de nós ser do contra, mas será que só nós somos sabidos? Em 1972, eu trabalhava com as grandes barragens do São Francisco, com seus assentamentos rurais e urbanos. Resolvemos cultivar a mamona e vender para uma grande multinacional norte-americana a Sambra. Pegamos mudas selecionadas fornecidas pela Sambra… Ver artigo

Biodiesel e a (má)mona!
“Biodiesel – longe de nós ser do contra, mas será que só nós somos sabidos? Em 1972, eu trabalhava com as grandes barragens do São Francisco, com seus assentamentos rurais e urbanos. Resolvemos cultivar a mamona e vender para uma grande multinacional norte-americana a Sambra.
Pegamos mudas selecionadas fornecidas pela Sambra e fomos buscar sementes híbridas na UNICAMP. Para encurtar conversa:  em cinco anos nossa terra estava totalmente esgotada. Não servia nem para plantar macambira. No replantio tivemos os maiores cuidados. Até removemos a terra com trator de arado, incorporando o vegetal. Já os nossos caboclos, depois da safra, queima o pé para adubar com as cinzas. Procurei os agrônomos da Sambra e o pessoal da Unicamp. Aí veio a descoberta: a mamona esgota totalmente o solo de nitrogênio, degradando-o em pouco tempo. Daí que Estados Unidos proíbe o plantio de mamona. Mais grave ainda: os técnicos diseram que os norte-americanos e a própria Sambra só incentivavam o plantio de mamona na África e no Brasil. As terras, onde plantei mamona, morreram. Técnicos da Embrapa me garantiram que as terras precisam descansar uns 20 anos para sua revitalização.
  Último recado: por favor, salvem o rio São Francisco para nossas futuras gerações. Rio vivo, povo vivo!”
Cláudio Vianna –  Frente Sobradinho – Salvador-BA – laudioyan@hotmail.com

Candidatos e a poluição
 "Corrupção é poluição… sujar as vias públicas com cartazes e material de campanha é poluição… fazer promessa e não cumprir é poluição… mentir aos eleitores é poluição… não levar em conta a questão ambiental antes e depois de eleito é poluição… ou seja, eleição tem muito a ver com meio ambiente.
Se cada eleitor também levar em conta e retirar da vida pública os poluidores morais e os maus gestores de causa pública, tenho certeza que esse País vai melhorar. (…) Deixamos aqui nosso sinal de alerta!”
Estudantes participantes do Movimento Eleição Transparente – Bairro Calafate – Belo Horizonte – MG