Boca no Trombone!

14 de fevereiro de 2011

Vergonha na cara“Por que o ICMBio, o Ibama, o Ministério do Meio Ambiente e a Secretaria de Meio Ambiente do Piauí assistem indiferentes a destruição das matas da Serra Vermelha? Se quem deveria fiscalizar, adere e deixa a floresta da Serra Vermelha virar carvão, o que será da biodiversidade da Caatinga, do Cerrado e da… Ver artigo

Vergonha na cara
“Por que o ICMBio, o Ibama, o Ministério do Meio Ambiente e a Secretaria de Meio Ambiente do Piauí assistem indiferentes a destruição das matas da Serra Vermelha? Se quem deveria fiscalizar, adere e deixa a floresta da Serra Vermelha virar carvão, o que será da biodiversidade da Caatinga, do Cerrado e da Amazônia? Está faltando vergonha na cara de muita gente por aí”.
Ximenes – senemix13@hotmail.com  Teresina – PI


Crime ambiental
“É muito triste ver a foto de uma fileira de mais de 300 fornos fazendo carvão com a densa floresta da Serra Vermelha. E os caminhões continuam a sair carregados de carvão para abastecer siderúrgicas da região. Projetos na área continuam a ser financiados pelo governo por meio do BNDES, do Banco do Brasil, do Banco do Nordeste. Um crime! Uma afronta ao bom senso e à racionalidade”.
Laize Escoteiro – Fortaleza – CE



Grande imprensa
“Até que fim pude ver a chamada grande imprensa (Revista ÉPOCA, TV Globo, Correio Braziliense) engajar na defesa da Serra Vermelha. Parabéns a este jornal que desde 2007 luta contra os poderosos que querem fazer da floresta da Vermelha milhões de caminhões de carvão. Um lembrete: grande imprensa devia ser para esses jornais educativos, pequenos mas com grandeza para dizer o que deve ser dito e o que deve ser preservado”.
Lino B. Gomes 
Brasília – DF


Cigarro e educação
“Quem fuma já é mal educado consigo mesmo: não respeita sua própria saúde. Também é mal educado com quem está por perto, pelo mesmo motivo. E é também mal educado com o meio ambiente, pois os fumantes se sentem no direito de jogar a guimba do cigarro em qualquer lugar. E vem a chuva que leva as guimbas para os bueiros, que leva para os rios, lago ou mar. Um desrespeito!”
Valéria M. Mendes
Niterói – RJ