Boca no trombone

21 de março de 2012

Nova Módica: reserva ameaçada "Fiscalização mesmo, que é bom, não tem. Nem do Ibama, nem do ICMBio, nem da Secretaria de Meio Ambiente, nem da Polícia Florestal e nem da Polícia Federal. Quando alguém luta para preservar, vem os caçadores e traficantes de animais e invadem santuários protegidos e avançam sob canarinhos da terra, coleirinho… Ver artigo

Nova Módica: reserva ameaçada

"Fiscalização mesmo, que é bom, não tem. Nem do Ibama, nem do ICMBio, nem da Secretaria de Meio Ambiente, nem da Polícia Florestal e nem da Polícia Federal. Quando alguém luta para preservar, vem os caçadores e traficantes de animais e invadem santuários protegidos e avançam sob canarinhos da terra, coleirinho e trinca ferro para vender nas feiras e nas estradas. Aqui em Nova Módica-MG, tem uma fazenda na divisa com o município de Cabeceira dos Henriques, cujo proprietário, senhor Adolfo Mendes Cardoso, possui uma reserva ambiental cuidada há mais de 30 anos. O senhor Adolfo cuida com o maior carinho dos animais, muitos em extinção. Infelizmente caçadores estão invadindo a fazenda matando animais. O dono não consegue evitar as invasões. O comércio de animais se faz nas feiras e nas ruas de Nova Módica. Na cidade há muitos criadores (cativeiro) que vendem aves para Belo Horizonte e São Paulo. Será que os leitores da Folha do Meio Ambiente ou mesmo as autoridades que lêem este jornal poderiam fazer alguma coisa? Será que o Ibama ou o Ministério Público de Minas Gerais poderia mobilizar alguns fiscais para acabar com este crime ambiental que só aumenta, pois está cada vez mais impune"?

Andressa – andressabertolini@bol.com.br – (33) 3511-1327 – Dados: proprietário da reserva: Adolfo Mendes Cardoso – Avenida Frei Arcanjelo, 737 – Centro – Itambacurí – MG

Tráfico de animais

"O tráfico de animais silvestres continua a todo vapor nas estradas da Bahia e de Minas. Acho que só os fiscais do Ibama, do ICMBio e das secretarias de meio ambientes destes dois estados não enxergam. A Polícia Federal só quer fazer apreensão onde tem televisão por perto. Aí fica difícil, porque as equipes de tevês só estão nas cidades maiores. O Brasil tem que ter um fiscal para fiscalizar os fiscais".

Gabriella G. Almeida – Vitória da Conquista – BA

Os rios e esgotos

"Até quando o Brasil vai comemorar o Dia Mundial da Água ao mesmo tempo que o País aceita que seus rios continuem a fazer o serviço de receptador de esgoto? Nas grandes cidades do Norte, tipo Manaus, Santarém e Belém, o rio Amazonas é o grande receptador do lixo e esgoto. Acho que o jornal tem que denunciar isso e fazer uma grande reportagem para que a Presidenta Dilma crie um PAC só para saneamento básico. Menos discurso e mais ação.

Raimundo Nonato T. Pires – Belém-PA