Boca no trombone!

19 de abril de 2013

    Tambaba: estupro anunciado “Os paraibanos têm história na preservação de seu litoral. João Pessoa é a única capital brasileira que não deixou a especulação imobiliária tomar conta da orla urbana litorânea. Não existem prédios altos nos quarteirões próximos ao mar. Um privilégio! Como os paraibanos agora estão deixando destruir a APA de Tambaba?… Ver artigo

 

 
Tambaba: estupro anunciado
“Os paraibanos têm história na preservação de seu litoral. João Pessoa é a única capital brasileira que não deixou a especulação imobiliária tomar conta da orla urbana litorânea. Não existem prédios altos nos quarteirões próximos ao mar. Um privilégio! Como os paraibanos agora estão deixando destruir a APA de Tambaba? Não consigo entender. Sou frequentador de Tambaba e torço para que esta praia não seja estuprada. Parabéns à Folha do Meio Ambiente pela coragem em denunciar este estupro anunciado”.
Meg C. Oliveira – Recife – PE
 
 
Crime em Tambaba
“Repercutiu intensamente aqui na Paraíba a reportagem que a Folha do Meio Ambiente publicou sobre a intensamente bela praia de Tambaba e, ao mesmo tempo, as ameaças à desenfreada especulação imobiliária na área. O crime ambiental implica em danos irreparáveis àquela maravilha da natureza. Informo que estamos nos habilitando para acionar o Ministério Público Federal visando a anulação do ato irresponsável da Prefeitura do Conde que, para aprovar os projetos imobiliários, ditos turísticos, na área de Tambaba, decretou todo aquele entorno como área urbana, num ato claramente absurdo.
Pena que num país pretensamente governado por gente que se diz progressista, atos como esse podem ocorrer oficialmente, sem que qualquer autoridade se manifeste em contrário a projetos demolidores como o que ameaça no momento a praia de Tambaba e o seu entorno. Parabéns pela reportagem”.
Heitor Cabral – professor da UFPB aposentado/economista/advogado – João Pessoa-PB
 
 
Exploração em Tambaba
“Extremamente oportuna e mais do que pertinente, a ampla matéria externada pelo articulado jornalista Reginaldo Marinho na Folha do Meio Ambiente. Ela traduz a real crueldade e agressão sem tamanho com a APA de Tambaba, uma das reservas remanescentes da mata atlântica no litoral paraibano, demonstra desprezo com projetos que possam conviver em harmonia com a preservação do meio ambiente e com o desenvolvimento sustentável, além da prática do “turismo verde”.  Uma verdadeira vergonha a gestão ambiental e descabida operação para tirar do mapa, uma das áreas que vem sofrendo com golpes sucessivos de desmatamento e crimes ambientais do mais diversos, visando exploração e especulação imobiliária. A conservação da área precisa e deve ser bem estudada e discutida amplamente para não causar mais danos irrecuperáveis às futuras gerações humanas e ao ecossistema”.
Ferdinando Lucena – ferdinandolucena@hotmail.com