Curso Seriado de Bonsai - Capítulo 4

Como obter plantas para bonsai

6 de abril de 2004

A partir de sementes, métodos vegetativos de propagação e compras em viveiros

Além da coleta na natureza ou "yamadori", conforme capítulo anterior, pode-se obter plantas para bonsai de diversas outras maneiras, todas elas comuns à horticultura tradicional.
A obtenção a partir de sementes, método utilizado para o pinheiro negro japonês, por exemplo, tem como principal vantagem a condução da planta desde a mais tenra idade, permitindo ao praticante moldá-la com maior intensidade. Assim, pode-se aproveitar a maior flexibilidade do caule e ramos (a curvatura do caule e movimentos mais radicais no formato são conseguidos mais facilmente, com uso de arame, pesos ou podas, na planta nova).
A desvantagem do cultivo a partir de sementes, especialmente para bonsaístas iniciantes, ávidos por resultados, é o longo tempo geralmente necessário entre o semeio e a planta pronta para compor o bonsai.  Tal demora, entretanto, não deve ser razão para se descartar este método, pois o plantio de sementes pode ser praticado em conjunto com outros métodos de resultados mais rápidos, como os que trataremos adiante.
De uma maneira geral (é importante considerarmos que há uma infinidade de espécies utilizadas para bonsai), as sementes retiradas dos frutos devem ser secas à sombra e semeadas em um substrato leve. A título de sugestão, pode-se utilizar uma mistura composta de uma parte de areia, uma parte de terra e uma parte de húmus de minhoca, em um vaso ou em um canteiro. Algum tempo após a germinação, as mudas devem ser removidas para saquinhos ou vasos individuais. Aproveitando a atual época do ano, experimente fazer o processo acima com sementes de pitanga, frutífera com ótimos resultados em bonsai e que se desenvolve com relativa rapidez.
Outros métodos largamente utilizados são os chamados de vegetativos, que utilizam partes de plantas (ramos, folhas e gemas) para obtenção de novos indivíduos. Dentre estas formas, destacam-se a estaquia, a alporquia e a enxertia. Tanto a enxertia quanto a alporquia, são métodos freqüentemente utilizados para obtenção de plantas para bonsai, bem como na fruticultura e jardinagem tradicionais.
Estes processos, entretanto, requerem um bocado mais de prática e espaço para serem explicados. Vários livros de fruticultura e alguns de bonsai descrevem em detalhes estes métodos que, apesar de um pouco mais trabalhosos, podem ser praticados por qualquer pessoa que se disponha a estudá-los com um pouco mais de tempo. Denomina-se estaquia a propagação por meio de galhos ou ramos (folhas em alguns casos) que, levados a enraizar, darão origem a novas plantas. Muitas plantas usadas em bonsai podem ser multiplicadas por estaquia que, como os demais formas de propagação vegetativa, tem a vantagem de reproduzir indivíduos com as mesmas características da planta mãe ou matriz, uma vez que o material genético é o mesmo.
Como outra sugestão de prática, corte ramos verdes de ficus (da espécie usada em cerca-viva), com a espessura de um lápis e aproximadamente 20 cm de comprimento, retire as folhas e enterre um terço da estaca em vaso ou canteiro (pode usar a mesma mistura sugerida para sementes), mantendo em um local sombreado e não  esquecendo de molhar todo dia. Depois de 30 a 40 dias, as estacar deverão estar enraizadas e emitindo nova brotação.
Apesar das diversas formas citadas para obtenção de plantas, a mais comum entre os bonsaístas, principalmente entre os amadores, é a compra de mudas em viveiros.
Próximo capítulo: a aquisição de bonsais em viveiros. 
 
O autor agradece os comentários, críticas e sugestões, que podem ser enviados para gaijin.bonsai@uol.com.br ou para:
End: SMDB Conjunto 24 Lote 03
71680-240 – Brasília – DF.