Com a palavra, o Leitor

5 de março de 2004

UNESCO Estou recebendo, aqui na Unesco, a Folha do Meio Ambiente, que sua equipe faz, edita e distribui com tanta competência. Pela importância das matérias publicadas, farei chegar cópias aos embaixadores dos países de língua portuguesa. Vou estudar a possibilidade de parcerias que poderão ser feitas com a Unesco, inclusive sobre a eventual existência de… Ver artigo

UNESCO

Estou recebendo, aqui na Unesco, a Folha do Meio Ambiente, que sua equipe faz, edita e distribui com tanta competência. Pela importância das matérias publicadas, farei chegar cópias aos embaixadores dos países de língua portuguesa. Vou estudar a possibilidade de parcerias que poderão ser feitas com a Unesco, inclusive sobre a eventual existência de prêmios onde a Folha do Meio possa concorrer. Meu abraço a você, Silvestre, e a toda equipe do jornal.

Paris, 07 de agosto de 2000
José Israel Vargas

Estou com vocês!

Acabei de ler a edição 106 da Folha do Meio e não quero demorar nem um segundo em escrever para vocês para dizer: assino embaixo a matéria "Basta! Paz para o Homem e o Meio Ambiente". É a pura verdade: a violência ambiental é silenciosa, cruel, mata aos poucos e muito mais do que o crime comum. Usei o jornal na sala de aula e meus alunos fizeram trabalhos maravilhosos que vou encaminhar aí para a redação da Folha do Meio. Tiro o chapéu para o trabalho de vocês!

Professora Maria Aparecida de Bulhões e Bragança
Rio de Janeiro, RJ

Queimadas

A série de reportagens da Folha do Meio Ambiente sobre como reduzir as queimadas nas pastagens, na agricultura e onde buscar dinheiro para recuperar pastagens degradadas estava simplesmente fantástica: bem explicada, fácil de ler e de entender. Gostaria de conseguir pelo menos mais uma centena do jornal para distribuir aqui para os agricultores da região, pois tenho que ficar tirando xerox e é muito caro. A Embrapa ou o Ministério da Agricultura bem que poderia reiprimir essa edição e distribuir para os fazendeiros.

José Teófilo da Silva Neto
Palmas, Tocantins 

Peugeot e o carbono

Fiquei feliz em saber que a multinacional Peugeot se enquadrou e resolveu continuar a implantação do Poço de Seqüestro de Carbono, em Mato Grosso, segundo as leis brasileiras e o bom senso ambiental. Estamos de olho na Peugeot e em outras empresas que fazem marketing ambiental de mentirinha.

João Pedro T. Muller (universitário)
Cuiabá, MT

Praias de rio

"Os rios são tão importantes, que mesmo quando suas águas baixam, tem alguma utilidade".

E imaginando a ainda pureza deste belo rio Tocantins, estampado em destaque, renovo minha admiração pela Folha do Meio Ambiente.

Jurandir Schmit – Joinville-SC

Embaixadas 

Muito agradeceria a gentileza de enviar-nos, se possível, 50 exemplares da Folha do Meio Ambiente para que possam ser encaminhados às nossas embaixadas nos países de língua portuguesa a fim de serem distribuídos a entidades da área e ambiental, acadêmica.

Aproveito a ocasião para parabenizá-los pela boa qualidade desse jornal que permanece há mais de 10 anos em circulação.

Cláudia Caputti Pereira – Depart. da África e Oriente 
Próximo do Ministério das Relações Exteriores
Brasília/DF

Guapimirim

Fala-se muito em ecologia, mas eu tenho um sítio em Guapimirim-Distrito de Barreira -RJ, em plena reserva florestal da Serra dos Órgão – Parque Nacional. Neste Distrito não há recolhimento de lixo, apesar dos insistente protestos feitos contra o prefeito de Guapimirim. Ocorre que alguns moradores insistem em despejar o lixo caseiro em um terreno baldio ao lado de minha propriedade, o que está causando a contaminação do solo e das nascentes da região inclusive que abastece meu ranário, piscina e lagos de peixes. O que fazer? A quem recorrer, se as autoridades se omitem? A verdade é que o desrespeito começa por quem tem o dever de criar mecanismos para proteção do meio ambiente.

Roderico Freitas
rodericofreitas@ig.com.br

Orquídeas

Segue anexo o poster "Orquídeas na Mata Atlântica", resultado de um trabalho de pesquisa realizado na Fazenda São Sebastião do Ribeirão Grande, no município de Pindamonhangaba (SP), uma importante área remanescente de Mata Atlântica.

Localizada na Serra da Mantiqueira, a Fazenda possui altitudes que variam desde o nível do rio Paraíba, até 1.800 metros, próxima à divisa da cidade de Campos do Jordão (SP). Por essa característica, foi possível registrar espécies das diversas altitudes em seus 1.706 ha, ampliando o interesse do trabalho. Esta Fazenda é uma das áreas de preservação mantidas pela VCP, que totalizam 30% de suas florestas, e nas quais são desenvolvidos estudos em conjunto com universidades e centros de pesquisa, além de atividades de Educação Ambiental com funcionários e comunidades próximas.

Afonso Champi – Comunicação Empresarial
São Paulo-SP

Agrinho

Sou Leitor assíduo da Folha do Meio Ambiente, elogiável jornal que retrata implacavelmente a problemática ambiental e, ao mesmo tempo, consegue transmitir aos leitores formas de difundir à população, meios concretos de enfrentar e amenizar os riscos e ameaças ao Meio Ambiente, através de ações possíveis, de serem desenvolvidas na prática.

Entretanto, lendo atentamente a matéria contida no expediente de Janeiro/Fevereiro-2000, sobre o Programa desenvolvido pelo SENAR-PR, com denominação "Agrinho sai em defesa da Natureza", onde o relator, em seu documentário interpretou erroneamente os objetivos do Programa. Ao contrário, o Agrinho é um dos melhores programas já implantados no país, onde milhões de analfabetos, usam, manuseiam os agrotóxicos sem noção da dimensão dos perigos.

Preocupados com o Meio Ambiente, o Município de Matelândia desenvolve um Programa denominado Florestas Municipais e Educação Ambiental abrangendo todos os níveis (crianças e adultos).

Anacleto Luiz Perondi – Secretário Mun. da Agricultura e Meio Ambiente
Matelândia-PR

Turismo Amapá

O governador do estado do Amapá vem aprimorando a idéia de implantar museu a céu aberto sobre a II Guerra Mundial na antiga Base Aérea do Amapá, construída e operada pelos norte-americanos.

A implantação de um Museu nas dependências daquela Base Aérea é um anseio da população da região. Nesse sentido o governador do estado vem desenvolvendo o "Museu da Base Aérea da 2ª Guerra Mundial". Tal projeto em fase de elaboração, não prima só pela restauração e revitalização do que restou daquela Organização Militar Americana, testemunha material da identidade cultural da região, mas, especialmente, pela contribuição sócio-cultural que este empreendimento trará para o município de Amapá, além de ser mais uma alternativa turística e de lazer para a região.

Alfredo Oliveira – Ger. Projeto de Transformação
da Base Aérea do Amapá
Amapá-AP

Amigos de Embu

A Sociedade Ecológica Amigos de Embu, atuando em nosso município há mais de 25 anos, foi, no Brasil, a primeira entidade a se ocupar com a preservação do meio ambiente e da qualidade de vida. Fundada em 1973, conta com um passado de lutas memoráveis, como aquela luta vitoriosa contra a construção do aeroporto internacional em Caucaia, em plena ditadura militar, contra a "passarinhada" do prefeito da cidade, o "lixão", as invasões de áreas de mananciais e, agora, 1) contra o Rodoanel, cujo traçado foi alterado para invadir justamente nossa área de mananciais, passando por sobre a várzea do Embu-Mirim e exatamente ao lado desse rio que fornece à Guarapiranga 20% da água que abastece São Paulo; 2) contra a monstruosa Transportadora Schlatter, que já devastou 1.600.000 m2 nessa mesma várzea, com a conivência da prefeitura municipal, e das próprias Secretarias de Meio Ambiente, daqui e do Estado; 3) contra a desapropriação para construção de casas populares do Parque Ecológico do Pirajuçara, única área de Mata Atlântica que nos restava ainda do santuário ecológico que era Embu. Esta foi, apesar de tantas vitórias, a nossa grande derrota e decepção, pois a Lei de APA que protegia aquele Parque Ecológico, conseguida a duras penas após 8 anos de luta, foi revogada, traiçoeiramente, pelo próprio prefeito de Embu.

Estamos em luta diuturna para conseguir reverter esses processos e recuperar ainda as áreas que nos foram roubadas. Pedimos, portando, o apoio de todos leitores da Folha do Meio em nossos embates.

Prof. Dr. Antonio Luiz Cagnin – Pres.
Embu-SP

Cabral

A Folha do Meio Ambiente continua incomparável. Conte comigo.

Senador Bernardo Cabral
Brasília-DF

Desenvolvimento Sustentável

Informo a instalação do Fórum Permanente para o Desenvolvimento Sustentável do Brasil, realizado em 12 de dezembro de 1999, no Auditório da Anatel, em Brasília-DF.

Essa reunião foi um marco para o desenvolvimento sustentável no país, pois estabeleceu um locus para a integração dos agentes econômicos que, de alguma forma, contribuem para a formulação e implementação de políticas que levem a sustentabilidade ambiental, econômica e social.

Aproveito para informar que esta Secretaria estará promovendo na segunda quinzena do mês de setembro a 2º Reunião dos membros do Fórum.

Sérgio Braga – Secretário de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável
Brasília-DF

Edições avulsas

Visitei o site da Folha do Meio Ambiente e gostaria de saber onde posso adquirir as edições avulsas na cidade de São Paulo. Achei o trabalho de vocês muito interessante e que, certamente, me trará informações valiosas. 

Paula Camargo 
macam99@osite.com.br

Colômbia

Sou uma divulgadora do Brasil aqui na Colômbia há 17 anos e desejo enviar meus parabéns a toda a equipe da Folha do Meio Ambiente que conheço há muito anos. Mas agora na Internet, isso é ótimo. Os jornais que chegam aqui na embaixada são poucos, tamanho é o interesse pelo tema.

Nora Ronderos – Setor de Imprensa e Divulgação
 Emb. do Brasil na Colômbia

prdivulg@colomsat.net.co

Outras correspondências: VI Encontro Nacional de Educação Ambiental em Áreas de Manguezal (Parnaíba-PI); João Antunes de Oliveira – Prefeito de Diamantina; Entre Amigos (Joinville-SC); Revista Imprensa (São Paulo-SP); Jornal ANJ (Brasília-DF); Maria Jeni Gervasio Freitas – Departamento de Assinaturas da a hora veterinária (Porto Alegre-RS); Revista Ação Ambiental (Viçosa-MG); The British Council – Howard Thompson – Diretor Brazil;