cartas

Com a palavra, o leitor

24 de maio de 2004

Obrigada sempreSenhor Silvestre Gorgulho: às vezes eu quero lhe escrever, mas minha vovó fala que o senhor é muito ocupado e não tem tempo para ficar lendo minhas cartas. Mas como vou deixar de escrever? Minha avó Adélia recebeu a Folha do Meio Ambiente e deixou no sofá. Quando cheguei, que surpresa bonita. Foi como… Ver artigo

Obrigada sempre
Senhor Silvestre Gorgulho: às vezes eu quero lhe escrever, mas minha vovó fala que o senhor é muito ocupado e não tem tempo para ficar lendo minhas cartas. Mas como vou deixar de escrever? Minha avó Adélia recebeu a Folha do Meio Ambiente e deixou no sofá. Quando cheguei, que surpresa bonita. Foi como um cartão de Natal… como sempre, tudo bem explicadinho. Tinha muitas coisas naquela FMA que nem mesmo minha vó sabia. O senhor lembra da FMA de setembro de 2000, com todos os “Dirigentes do Brasil desde a Independência?” Para meu trabalho de colégio, fiz com xerox um cartaz bem grande. Ficou tão bonito. Eu disse para minha vó que até os mais velhos como ela estão aprendendo muitas coisas sobre o meio ambiente, lendo as explicações para os estudantes como eu, porque é muito fácil de entender. Por isso agradeço a todos vocês aí da FMA. Já tenho 11 anos e passei para a 6a  série. Muito obrigada sempre.
Maria Cecília S. Cezário
São Paulo – SP
NR: Maria Cecília, você é tão competente e tão encantadora que estamos pensando em fazer uma Folhinha do Meio Ambiente, dentro do jornal, só para o público infanto-juvenil. E tenho certeza que você será nossa repórter-mirim em São Paulo. Obrigado pela cartinha.


G.E.VI.BRA
O Grupo Ecológico Via Brasil – G.E.VI.BRA agradece o recebimento da Folha do Meio que é o melhor jornal de informações sobre meio ambiente do Brasil. Há três anos recebemos este informativo que muito nos auxilia nos debates promovidos junto à sociedade e em nossos trabalhos de educação e conscientização ambiental. Os elogios recebidos de vários professores, como podemos ler na edição passada, referências recebidas ao longo do tempo, comprovam a importância da FMA para o Brasil. Infelizmente a grande maioria dos cidadãos brasileiros não tem acesso à FMA, bem como a grande maioria das escolas brasileiras. Nós somos privilegiados em receber este jornal, assim temos a obrigação de propagar as informações e ensinamentos aqui impressos e acima de tudo, a conscientização ecológica. Estaremos, desta forma, cumprindo nossa obrigação de cidadãos brasileiros. Desejamos sucesso a todos da equipe.
Carlos Henrique Fraga Ribeiro – Presidente G.E.VI.BRA Av. Vicente Simões, 43, Centro Pouso Alegre/MG CEP 37.550-000 Tel: (35) 3422-7358 grupoecologicoviabrasil@uaimail.com.br
gevibra@bol.com.b


Dias de sol
Acabo de receber a nova edição da Folha do Meio Ambiente. Excelente! Desde a edição anterior, eu gostaria de ter mandado um  e-mail para vocês, parabenizando toda equipe pela clareza, atualidade e excelência das matérias.
Na edição 145, fiquei muito impressionado com o editorial: “Como seria bom se a mídia cobrisse mais do que desastres, tragédias e violências. Também cobrisse os dias de sol…” Silvestre, quando estava formando em Administração de Empresas, fiz  alguns créditos complementares de horas-aulas, e na grade horária encaixava a disciplina Introdução ao Jornalismo. Fiz essa matéria, e confesso que fiquei chocado quando a professora ensinou que notícia, “não é o cachorro morder o homem, mas o homem morder o cachorro”. Que perspectiva desanimadora! Concordo com você, que se a mídia divulgasse mais os dias de sol, e tudo o que existe de bom nas pessoas, viveríamos em um mundo muito melhor. Mas, como somos irremediavelmente otimistas, quem sabe se com o correr da carruagem, não volte a ser notícia… o cachorro mordeu o homem…
Maurício do Valle
 Brasília – DF
Pau-Brasil
Sou poeta da natureza e sempre leio esse maravilhoso jornal. Estou escrevendo porque gostaria de contatar  alguém da  Fundação Pau-Brasil, em Recife. Vamos à poesia:
“Aonde a droga entra / a prosperidade sai / o sofrimento logo vem / e a saúde se vai. Água fonte de vida / Se for bem preservada / Mas se estiver poluída / Não vai servir pra mais nada.”
João Birico Filho
Floresta – PE


Cordilheira do Espinhaço
Gostei da matéria sobre a Cordilheira do Espinhaço e sobre a cachoeira do Tabuleiro – como vocês dizem, o Tabuleiro de Deus e dos homens. Estive visitando por duas vezes a serra do Cipó, o Tabuleiro e a região do Espinhaço na década de 90. Depois de ler essa reportagem, me deu vontade de ir lá de novo.
É muito bom saber que tem alguém cuidando de um lugar tão bonito e tão místico. A natureza, a vida e as futuras gerações agradecem e vão retribuir esse zelo.
Robson Aquino Leão
Rio de Janeiro – RJ

Nascente do S. Francisco 1 A matéria sobre a nascente do rio São Francisco (edição 146) está, realmente, muito boa e abrangente. Ela mostra com precisão o histórico e a importância deste rio para o desenvolvimento social e econômico do País. Nós de Furnas sentimos satisfação em poder apoiar um veículo de comunicação, como a Folha do Meio Ambiente, que se caracteriza pela seriedade e pela correção dos assuntos tratados. Gostaria de também fazer referência à reportagem “Chuva: Bênção ou Tragédia”, na edição 145, que retratou com fidelidade e rigor jornalístico a reunião realizada em São Lourenço e mostrou a posição de Furnas diante de um problema tão importante para a região do sul de Minas. A matéria esclareceu muito bem nosso projeto de ações preventivas às enchentes, por meio de barragens regionalizadas. Marcos Lima – Diretor de Relações Institucionais de Furnas Rio de Janeiro – RJ Nascente do S. Francisco 2 Li e reli a matéria sobre a nova nascente do rio São Francisco. Brilhante a reportagem! Mais uma vez a Folha do Meio mostrou que jornalismo se faz com seriedade e boa informação. Discordo, apenas, da frase inicial do jornalista Silvestre Gorgulho quando diz: “A César o que é de César, a Deus o que é de Deus e ao São Francisco o que é do São Francisco…”. Acho que deveria ser assim: “A César o que é de César, a Deus o que é de Deus, e ao Samburá o que é do Samburá…”. Toda equipe merece um abraço de parabéns. Sérgio M. Romão Belo Horizonte – MG Nascente do S. Francisco 3 A matéria da nova nascente do rio São Francisco, o canastrão, está ótima; a entrevista com o professor Raymundo Garrido, sobre Mineração e os Recursos Hídricos, está brilhante. Beth Fernandes – Brasília – DF Nascente do S. Francisco 4 Passei a vida decorando que o São Francisco nasce da serra da Canastra e meus professores de geografia cobrando o nome da cachoeira (Casca D}Anta) onde nasce o Velho Chico e não sei mais o quê e vem vocês agora e dizem que tudo que eu decorei estava errado!? Essa vida de aula na base do “decoreba” não está com nada mesmo. Belíssima reportagem. Carmem M. Lage Poços de Caldas – MG Escoteiros 1 Um movimento em movimento – o maior grupo de voluntários do mundo congrega 28 milhões de jovens de 217 países, formando cidadãos preocupados com o meio ambiente, com a qualidade de vida, com a cidadania e a boa ação por esse mundo afora. Como escotista e como pai de dois adolescentes escoteiros, fiquei feliz em ler uma reportagem com tanto conteúdo e recheado de emoções. Felippe Andrade Filho Campinas – SP Escoteiros 2 Vocês, com esta belíssima matéria, fizeram um bem enorme ao movimento de voluntários no Brasil. Parabéns! Sérgio, Lígia e Rubens Curitiba – PR