Cartas

Com a palavra, o leitor

23 de maio de 2005

Boa leituraA Folha do Meio Ambiente de  abril, com a capa sobre a Semana dos Povos Indígenas – Paz e Solidariedade – foi uma agradável e proveitosa leitura. Ministro José Delgado – STJ – Brasília – DF KiotoQuero, além de cumprimentar a equipe do jornal, destacar, por sua importância e atualidade, a matéria sobre o… Ver artigo

Boa leitura
A Folha do Meio Ambiente de  abril, com a capa sobre a Semana dos Povos Indígenas – Paz e Solidariedade – foi uma agradável e proveitosa leitura.
Ministro José Delgado – STJ – Brasília – DF


Kioto
Quero, além de cumprimentar a equipe do jornal, destacar, por sua importância e atualidade, a matéria sobre o Protocolo de Kioto na edição de abril. “Negócios à vista” é uma reportagem que mostra uma demanda de negócios com crédito de carbono da ordem de R$ 300 milhões, salientando as negociações de contratos que começam a ser articulados no governo fluminense, através da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro.
Humberto Mota – Secretário de Desenvolvimento Econômico – Rio de Janeiro – RJ


Sertão Roseano 1
Que bela e instigante viagem fez Cuia Guimarães e Marcus Vinicius Andrade pelos sertões de Cerrado de Guimarães Rosa! Gostei muito do texto, das fotos e da forma como o jornal publicou. Uma bela reportagem para trabalhar com os alunos na sala de aula. Essa é uma forma de aprender literatura, geografia, história e meio ambiente. Como costumam dizer meus alunos, uma grande sacada. Gostaria de receber alguns exemplares desta edição para nossa biblioteca.
Christina B. Alencar – Belo Horizonte – MG


Sertão Roseano 2
Vou confessar para vocês a alegria e o prazer de ler esse jornal. A FMA, de fato, preenche muito de minhas tardes com uma leitura saudável, culturalmente muito rica e com mensagens concretas de educação ambiental. A matéria sobre o Parque Nacional Grande Serão Veredas me deixou com água na boca de visitá-lo, como o fizeram Miguel Flori Gorgulho,  Cuia Guimarães e Marcus Vinicius Andrade. Eu vi que vocês publicaram dados do Parque e distâncias das várias cidades. Eu sou da região, mas vim muito cedo para São Paulo. Caso tenham alguma dica de pousadas bem charmosas na área do parque, também gostaria de saber.
Celso F. Gastão – São Paulo – SP


Recursos Hídricos
É a quarta entrevista sobre água com o professor Raymundo Garrido que leio neste jornal, desde 2004. Todas foram muito interessantes. Uma delas, inclusive, sobre Água, Turismo e Lazer minha sobrinha me pediu para fazer um trabalho de faculdade, no curso de hotelaria e turismo. Uma outra entrevista sobre Água e Meteorologia também me chamou muito a atenção. Caso tenha outras entrevistas com este professor, gostaria muito de recebê-las. É só me dizer quantas são, quantos jornais são que mandarei o dinheiro.
Elzamaria Romanini Oliveira – Campinas – SP


NR: Cara Elzamaria, foram feitas 28 entrevistas sobre os mais variados temas e questões discutindo todos os aspectos dos recursos hídricos. Faltam apenas quatro temas para terminar esta série de entrevistas: Rede de organismos de bacia hidrográfica, Dessanilização, Grandes rios e lagos do mundo e Água virtual. Temos recebido muitas cartas e e-mail como este mesmo pedido seu. Daí nasceu a idéia de recuperar todas as entrevistas, atualizá-las e publicá-las num livro específico. Talvez ainda este ano. Tão logo o livro fique pronto, vamos anunciá-lo nas páginas do jornal.


Escoteiros
Pela segunda vez lemos reportagens sobre o movimento de escoteiros. Acho muito legal. Nosso grupo também gostaria de escrever sobre esse tema, pois além de fazer muitas atividades interessantes, a gente quer divulgá-las para atrair mais jovens para o nosso lado, aqui em São Paulo. É a primeira vez que a gente vê um jornal tratar deste assunto de forma tão didática e tão proveitosa. A gente queria dar os parabéns para quem está escrevendo as reportagens e para a equipe do jornal pela sensibilidade em tratar de um movimento de juventude que é  considerado a maior ONG do mundo.
Sílvio Campos, Jane Costa e Meire Pontes – São Paulo – SP


Libreville
Quero agradecer muito à Folha do Meio Ambiente pela oportunidade de me ter dado espaço na página 2 (Com a Palavra, o Leitor). A publicação de minha carta foi muito interessante. Mesmo antes de receber o jornal, aqui no Gabão, já havia recebido várias correspondências do Brasil.
Boris N’Dong Nguema
<n.boris3@caramail.com>
Libreville – Gabão


Jogos Indígenas
Atenção leitores da Folha do Meio, preciso de uma ajuda. Sou estudante de Educação Física da Universidade Federal de Goiás, estou desenvolvendo uma pesquisa (monografia) sobre os jogos indígenas, tentando estabelecer uma relação com o processo esportivo. Pretendo, em minha pesquisa detectar quais os conceitos de jogo e como está inserido em uma determinada sociedade. Se esses jogos se sustentem ainda nos ritos ou já estão se aproximando de esportes, já que existem olimpíadas anuais. No que se asssemelha com o esporte do homem branco, tendo como base a competição. Estou precisando de ajuda no que diz respeito a textos, artigos. Também contatos com pessoas (e-mails) que pesquisam sobre assuntos semelhantes.
Alessandro Dias de Oliveira – Goiânia-GO
< dias_fef@hotmail.com >


Sobradinho
O Centro de Ensino Fundamental de Sobradinho -DF, solicita um apoio do jornal para que nossos alunos desenvolvam, em classe, atividades relacionadas à educação ambiental.
Temos a maior admiração pelo trabalho de vocês e a Folha do Meio Ambiente cumpre um papel importantíssimo nas nossas atividades pedagógicas. Desde já muito grato pela atenção.
Geraldo dos Santos Lima – Vice-diretor do
Centro de Ensino Sobradinho – DF


Políticos espertos na ECT
Olha, dá nôjo de ver esses políticos brigando por cargos como foi o caso do PTB com os Correios. Dá nôjo ver esses administradores que parecem ser dirigidos por controle remoto, por uma mão nem tão invisível assim, para arrumar dinheiro para os partidos políticos fazerem caixa de campanha.  Dá nôjo ver políticos eleitos se aproveitando de uma situação para chantagear empresas estatais, para chantagear o próprio governo e para tirar proveito pessoal do seu cargo dentro do partido ou dentro da Câmara Federal. Olha, o Brasil ainda não foi passado a limpo. Todos nós esperávamos que o PT fizesse isso, mas não, o PT entrou na ciranda do conchavo e fecha os olhos para essas mazelas. Triste, muito triste. Não votei no Lula para resolver problema da dívida externa e nem para abaixar o dólar. Votei no Lula para que a corrupção tivesse fim no meu País. Se o Presidente Lula resolver jogar pesado contra os políticos picaretas, tanto da Câmara Federal como das Assembléias Estaduais, pode saber que vou “pintar a cara” a favor dele. E levo muita gente comigo.
Carmem C. A. Gomes – Petrópolis – RJ


Desmatamento
É incrível como a sociedade brasileira assiste anestesiada à destruição da Floresta Amazônica! Será que os brasileiros não têm condições de barrar esse crime de lesa Pátria? É inacreditável como uma ministra que foi eleita senadora na Amazônia fique apenas nesse discursinho chove-não-molha meio evangélico, meio onguista e totalmente alheio à gravidade dos fatos.
Toni Marques F. Júnior – São Paulo – SP