Cartas

Com a palavra, o leitor

24 de agosto de 2006

Gruta do Maquiné 1Já me programei para uma visita à Gruta do Maquiné, que sempre ouvi falar. Olha, queria registrar meu encantamento e minha admiração pelo texto didático e maravilhoso que vocês fizeram sobre a gruta de Cordisbugo. Foi uma idéia maravilhosa coletar o que disse Peter Lund e Guimarães Rosa sobre a Gruta do… Ver artigo

Gruta do Maquiné 1
Já me programei para uma visita à Gruta do Maquiné, que sempre ouvi falar. Olha, queria registrar meu encantamento e minha admiração pelo texto didático e maravilhoso que vocês fizeram sobre a gruta de Cordisbugo. Foi uma idéia maravilhosa coletar o que disse Peter Lund e Guimarães Rosa sobre a Gruta do Maquiné. É matéria para reler e guardar. Mas minha carta tem outro objetivo: quais as outras grutas em Minas que a gente pode visitar?
Marina B. Cavalcante
Campinas – SP


NR: Olha Marina, além da Gruta do Maquine, cujos dados você já leu na edição de julho, tem mais duas grutas próximas que vale a pena você visitar. A primeira é a Gruta da Lapinha, que fica em Lagoa Santa-MG, 50km de Belo Horizonte. Nesta gruta que foi encontrado fósseis, como o crânio do Homem de Lagoa Santa, que teria vivido na região há 10 mil anos. Também ali foram encontrados fósseis de animais pré-históricos, como o tigre dente-de-sabre e o tatu-gigante. A Lapinha tem 16 maravilhosos salões, nos seus  511 metros de extensão e 40 metros de profundidade. Além da Sala das Pirâmides e da Galeria da Noiva, tem o Salão da Catedral, onde se pode ver estalactites e estalagmites formando imagens de santos, púlpitos e nichos. E a segunda é a Gruta Rei do Mato que fica entre Lagoa Santa e Cordisburgo, na cidade de Sete Lagoas, a 60km de Belo Horizonte. Tem 998 metros de extensão, dos quais apenas 220 estão abertos ao público. Também possui estalactites, estalagmites e cascatas de pedra com brilho de cristal. Essa gruta ainda está em formação, por isso os cientistas a consideram como uma gruta “viva”. Dois salões chamam atenção: o Poço dos Desejos e o Salão das Raridades. O nome se justifica: aí se encontram colunas idênticas, paralelas, formadas de cristais de calcita, com diâmetro de 30cm e mais de 20m de altura.


Gruta do Maquiné 2
Apenas para dizer que na minha volta de férias do Rio de Janeiro acabei – por influência da matéria do jornal – parando para visitar a Gruta de Maquiné. Pude comprovar a beleza e o encanto da gruta e a competência do guia que nos atendeu. Acabamos visitando também a casa de Guimarães Rosa. Pena que não estava com meus filhos, mas vou trazê-los na próxima viagem. Aos leitores que ainda não conhecem este monumento de cristal, como diz o jornal, um conselho: visitem a Gruta de Maquiné e a casa de Guimarães Rosa. Vale a pena!
Cátia S. Oliveira
Taguatinga – DF


Material didático
Não há como deixar de cumprimentar toda equipe pela edição de junho por dois motivos fundamentais: primeiro, pela matéria didática e informativa dando o alerta geral para o tempo das queimadas. O que me chamou a atenção foi a forma que vocês editaram a matéria, explicando detalhadamente o que é queimada, o que é incêndio florestal, como acontece o descontrole do fogo e o que fazer para fazer uma queima controlada. Minha escola recebe apenas um jornal, caso seja possível, gostaria de receber outros exemplares para guardar em nossa biblioteca. É o tipo de matéria muito importante para nossas aulas de educação ambiental e que está sempre atual.
Professora Penha C. Azevedo
Palmas – Tocantins


Lições de Parintins
Como amazonense de Itacoatiara e como profundo conhecedor da festa dos bois em Parintins, queria dizer que a reportagem “Encontro da Arte com a Cidadania” sobre o 41º Festival Folclórico de Parintins foi uma peça jornalística e educacional que raramente a gente encontra nos jornais.
Digo isto porque foi uma matéria simples de ler, fácil de compreender e muito importante como recado não só para as autoridades l estaduais e locais, mas sobretudo para os empresários. Impressionante o retorno que as empresas, como a Coca-Cola,  têm com o investimento que fazem em cultura e em meio ambiente. Aliás não foi surpresa ter lido uma matéria assim na Folha do Meio Ambiente, um jornal que assino há seis anos. Me impressiona a forma como vocês tratam a questão ambiental: vocês escrevem como se tivessem conversando coloquialmente com o leitor. Continuem assim.
Celso B. Antunes – São Paulo – SP


Pela paz
Percebo a postura que sustenta tamanha cultura de Paz que  a Folha do Meio Ambiente dissemina incessantemente. Por traz de um grande jornal ético, grandes pessoas. Ao contrário do que ocorreu na Guerra da Ruanda, na década de 90, quando o mundo  fechou os olhos para um conflito de ampla dimensão, já se pode ver no atual conflito no Oriente Médio uma articulação multi-organizacional mais consciente e holística. E os meus cumprimentos por vocês fazerem parte desta rede. Obrigado
José Galdino de Souza Júnior
juniormaisproximu@yahoo.com.br


NR – Meio ambiente é sinônimo de Paz, de harmonia e de tolerância. Para o que der e vier, pela paz já e pelo respeito à vida humana, estamos nessa corrente de solidariedade. O mundo não fechou os olhos só para o conflito em Ruanda, mas durante muito tempo também para o terrível conflito em Timor Leste.


Paisagismo
Somos arquitetos e paisagistas da Secretaria de Serviços Municipais e Meio Ambiente de Franca-SP.
Esse jornal é muito útil para nós e queremos abrir um canal de parceria que seja do interesse de vocês e desta secretaria. Grato e parabéns pelo trabalho.
Maria de Lourdes J. Pucci
 Serviço e Arborização e Paisagismo – Jardim Moema
Franca-SP
ABI
Recebemos a Folha do Meio de julho e quero cumprimentar e felicitar toda equipe pela qualidade da publicação.
Maurício Azêdo, presidente da Associação Brasileira de Imprensa – Rio de Janeiro – RJ


Chance à Paz
Olá pessoal da Folha do Meio. Resido em Assis, no interior de São Paulo e criei um “podcast” chamado “Rádio Chance à Paz”. Toda quinta-feira disponibilizo um novo programa. No desta semana meu destaque foi a Folha do Meio Ambiente no quadro “Em Paz com a Natureza”.
O endereço é http://www.podcast1.com.br/canal.php?codigo_canal=409 . É o programa quatro que como os demais está divido em duas partes, sendo uma dedicada ao Dia dos Pais.
Sílvio Luís de Carvalho
chanceapaz@bol.com.br –  Assis – SP


NR: Amigo leitor: podcast, como esse feito pelo Sílvio Luis, é um programa de rádio que se pode ouvir a qualquer hora, em qualquer lugar, do jeito e quantas vezes você quiser. O podcasting permite que qualquer pessoa com um microfone, um computador e uma conexão à internet publique programas que possam ser ouvidos por pessoas em qualquer lugar do mundo. Segundo explicações do Sílvio Luís, a  rádio Chance a Paz é espaço para se falar de Paz, de Amizade, de respeito mútuo e de atos e ações que levem a paz social.


Queimadas
Na viagem que fiz agora de Porto Seguro para Goiânia eu e minha família ficamos impressionados com a quantidade de focos de incêndio que a gente encontra pelas estradas. E ao longe, no horizonte, podem ser vistos muitos outros incêndios. Imagino como deve ser terrível as queimadas na região de Mato Grosso. Será que não existe um programa governamental de esclarecimentos para produtores rurais, a fim de evitarem a queima que eles fazem para se desfazer do lixo para a limpeza de suas propriedades?
Simone B. Seixas
Goiânia-GO