Cartas

Com a palavra, o leitor

24 de abril de 2008

ABIAgradeço a gentileza da remessa e felicito toda equipe da Folha do Meio Ambiente pela qualidade e seriedade da publicação.Maurício Azedo – presidente da ABI – Rio de Janeiro – RJ GalizaEscrevo-lhes de Galiza, em Espanha. Casualmente encontrei este jornal na Embaixada e me sinto no dever de contactá-los. Gostaria que me remetessem outros exemplares…. Ver artigo

ABI
Agradeço a gentileza da remessa e felicito toda equipe da Folha do Meio Ambiente pela qualidade e seriedade da publicação.
Maurício Azedo – presidente da ABI – Rio de Janeiro – RJ


Galiza
Escrevo-lhes de Galiza, em Espanha. Casualmente encontrei este jornal na Embaixada e me sinto no dever de contactá-los. Gostaria que me remetessem outros exemplares. Estou escrevendo um livro e preciso destas informações para um trabalho de documentação. Além das informações, quero comparar a escrita do português do Brasil com o nosso galego espanhol.
Manoel Guilhâm Bessada – COU, 65 36989  09Robe  –
Pontevedra – Galiza – Espanha
Agua de Lastro
Sou Estudante de Engenharia de Pesca cursando quarto semestre na Universidade Federal do Ceará. Li a reportagem que foi feita por Silvestre Gorgulho entrevistando o Engenheiro Raymundo Barrido, professor da Universidade Federal da Bahia. Achei bastante interessante, pois justamente estou fazendo uma pesquisa sobre o assunto (Água de Lastro) para um trabalho universitário. Queria saber se a Folha do Meio Ambiente – ou os próprios leitores – tem algum material alem da tal reportagem sobre o assunto.
 Ícaro. C. Fernandes icarocf_@hotmail.com


Serra Vermelha
Queremos registrar nossos aplausos, ainda que solitário, a esta brava equipe da Folha do Meio Ambiente, especialmente à Tânia Martins e ao André Pessoa, pela coragem com que enfrentam os poderosos do Piauí na ânsia de salvar a região de Serra Vermelha. Mas, ao contrário do que diz a reportagem do jornal, Serra Vermelha ainda não está salva. Tem muito interesse político e econômico em jogo. Esta carta – é a primeira vez que escrevemos em conjunto para um jornal – é para animá-los a não desistir da luta. Vocês merecem um prêmio pelo trabalho que estão fazendo. A sociedade brasileira precisa reconhecer e incentivar todos aqueles que entraram numa guerra destas para salvar nosso patrimônio natural e cultural. Fazemos uma advertência e um apelo aos demais leitores do jornal: vamos unir nossas forças para salvar este patrimônio piauiense chamado Serra Vermelha.
Fátima Salles, Bete Custódio e Bruna Alencar – Teresina – PI



Arara-azul-de-lear
Li a matéria da Josélia Menezes sobre a Arara-Azul-de-Lear. Que beleza! A Folha do Meio  mostra que existem ONGs sérias como a Biodiversitas que podem realizar pesquisas e ações de vulto junto às comunidades. Isto por mais isoladas que estejam estas comunidades. A educação ambiental não tem limite de tempo e nem de espaço.
Geraldo Gentil – Brasília – DF



Transposição do
São Francisco

O Debate na TVE sobre a Transposição do São Francisco não passou de uma tremenda farsa do governo. Nossa pergunta, colocada no ar, que reproduzo logo abaixo, não foi respondida e aproveitada pelo deputado da Bahia para defender seus interesses junto aos grandes empreiteiros. Minha pergunta continua sem resposta: “Sou engenheiro. Por 35 anos participei da construção de todos os reservatórios do São Francisco, exceto Três Marias. Pergunto: Se 127 m3. de água satisfaz a 14 milhões de miseráveis do nordeste setentrional e se a taxa demográfica é de 100%/12anos, em 2014 seremos 24 milhões, teremos de dobrar o volume de água? E as demais regiões do Semi-árido em igual situação têm o mesmo direito de transposição?”
Cláudio Vianna –
laudioyan@hotmail.com – Salvador – BA


Machado – MG
Faço gestão ambiental, em Machado-MG. Li a reportagem “A farsa do Ecodiesel no Piauí”. Achei pertinente essa matéria, porque o biodiesel é o fim do nosso ecossistema. Só não entendo porque o Lula defende tanto esse projeto de “energia limpa”. Não sabemos o que pode acontecer com tantas matas sendo derrubadas para a plantação de canas, mamonas etc… Aqui em Machado, estão instalando uma usina de biodiesel na escola agrotécnica federal. Vamos ver no que vai dar… Parabéns a toda equipe pela reportagem.
Botazini Júnior – Machado-MG
botazinijunior@uol.com.br


GEO Juvenil Brasil
Em nome do Grupo Interagir e da Coordenação do projeto GEO Juvenil Brasil, gostaria de agradecer pela oportunidade de publicarmos o texto referente ao lançamento da publicação GEO Juvenil Brasil.
A edição do jornal foi muito oportuna, já que o livro acaba de sair da gráfica e está pronto para o efetivo lançamento e posterior distribuição.  Assim que houver oportunidade, será um privilégio poder entregar um exemplar da publicação aí na redação. O livro deverá se tornar uma referência na área de meio ambiente e juventude, por ter ótimo conteúdo, estar respaldada por instituições e pessoas relevantes e por ter sido gerada em um processo participativo e realmente nacional.
Mateus Fernandes -Brasília – DF
mateus@interagir.org.br


Aves Brasileiras
Quero parabenizar o jornalista Silvestre Gorgulho  pela redação do livro “Aves Brasileiras Minha Paixão”, que estou lendo atualmente. Sou professora e trabalho no Colégio Santa Cruz. Há três anos realizamos um projeto sobre as aves brasileiras com crianças de 6 anos. Este ano resolvi estudar um pouco a vida de quem estuda as aves e acabei encontrando o Dalgas Frisch.
Foi um  verdadeiro alento ao meu trabalho. Já fiz contato com ele que vai inclusive responder algumas perguntas feitas pelos meus alunos. Mostrou-se muito disponível e interessado em nos ajudar.
Uma graça! Tenho intenção de que o colégio assine a Folha do Meio Ambiente, pois os temas tratados no jornal são pertinentes ao uso em sala de aula. No entanto, gostaria de saber se há a possibilidade de obter reportagens anteriores, ou seja, aquelas que constam na parte final do livro “Aves Brasileiras e Plantas que as Atraem”.
Daniela Gorgulho – São Paulo – SP
Amazônia e a Copa de 2014
O grave fracasso do processo de ocupação da Amazônia, cedo ou tarde, irá trazer inquietações que ecoarão na eternidade. Além disso, a floresta amazônica, objeto mais precioso da república brasileira, tem sido savanizada de forma imprudente numa atitude alheia à realidade e necessidades mundiais.
O desafio de conter a expansão irracional da fronteira agropecuária sobre a massa florestal sul-americana depende do esforço sinergético dos países amazônicos para a implantação de “faixas de segurança ecológica militarizadas”. Uma inovação na economia-mundo responsável. Planejar o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014, em Manaus, é uma ótima oportunidade para impulsionar o turismo regional e obter recursos para obras focadas no terceiro setor da economia que, apesar de requererem estruturas caras, são pouco extensivas. Com essa alavancada financeira seria plausível pensar na possibilidade de gerir um mega-projeto de desenvolvimento que fosse capaz de preservar o imenso patrimônio natural e cultural da região.
Prof. Mário Vieira –
 Ave. Presidente Vargas, 10 – Rio de Janeiro – RJ