Cartas

Com a palavra, o leitor

18 de setembro de 2008

Entre AmigosFico feliz em poder desfrutar de ótimas amizades também na natureza humana. Poder publicar crônicas na FMA é uma responsabilidade a mais e também uma alegria saber que é uma forma de lutar em favor da conservação de todas as espécies vivas do planeta. Até mais ver.Jurandir Schmidt – Joinville – SC jurandirentreamigos@yahoo.com.br SensibilidadeO “segredo das… Ver artigo


Entre Amigos
Fico feliz em poder desfrutar de ótimas amizades também na natureza humana. Poder publicar crônicas na FMA é uma responsabilidade a mais e também uma alegria saber que é uma forma de lutar em favor da conservação de todas as espécies vivas do planeta. Até mais ver.
Jurandir Schmidt – Joinville – SC 
jurandirentreamigos@yahoo.com.br


Sensibilidade
O “segredo das garças brancas” é simplesmente o segredo da sensibilidade de uma pessoa muito especial como o senhor Jurandir Schmidt, de Joinville. Já li várias crônicas dele aqui mesmo na FMA. Fico encantada com sua alma de poeta, com o vôo rasante de seus pensamentos e com o perfume de suas palavras. Podem crer: é muito bom lê-lo.
Thereza M. Ruiz – Florianópolis – SC


Amazônia Azul
Pesquisando na net encontrei sua página falando sobre a Amazônia Azul. Meu interesse por esse assunto é porque sou professora de Ciências em uma escola municipal na cidade de Uberlândia MG e meus alunos da 8ª série escolheram esse tema para seu trabalho na feira de ciências desse ano.
A minha dúvida é: onde podemos encontrar um material rico com informações interessantes, imagens e ainda…como entrar em contato com a Petrobras. Já tentamos e não conseguimos. Espero poder contar com ajuda de vocês.
Renata Felix – Uberlândia – MG
renata_felix2006@hotmail.com 


Porto Alegre
Cada dia que resolvo caminhar pelas ruas da minha cidade, fico com uma forte sensação de perda.  Cada esquina, cada rua conta nossa história, mas fico a procurar os referenciais sem encontrá-los. É impressionante a onipotência de algumas empresas construtoras que avançam,  cobrindo os céus de cinza e matando o verde! Áreas verdes que nos humanizam e melhoram a qualidade de vida.
Hoje li num dos cartazes afixados em extensa área verde, próxima à Igreja Santo Antonio do Partenon, o seguinte:  Projeto de Mobilidade de Terra –  Remoção de  árvores…. dezenas…. Transplante de vegetais….centenas….
Medidas de compensação ambiental:  calçamento de ruas no entorno de praça, pagamento de caminhões-pipa, etc…,…..Tarefas pertinentes a qualquer Prefeitura que se preze! Não haverá nada que compense a mata nativa e o desmoronamento do morro que se ergue na altura do n.o 1900 da Av. Bento Gonçalves!  A Prefeitura e os vereadores não podem continuar colocando nossa cidade à venda!  Não é justo que só alguns obtenham vantagens! O argumento é de  que estão gerando empregos e promovendo o crescimento econômico. Quem vai pagar a conta depois que a cidade tornar-se inviável? 
O regime urbanístico ditado pelo atual Plano Diretor está impactando negativamente.  Faz-se urgente uma mudança no PDDUA de Porto Alegre, com a participação da comunidade como prega o Estatuto da Cidade.
Elisabeth Karam Guimarães bethkaram@globo.com
Rua Toropi, 126 – Porto Alegre  – RS



Borba da Mata
O Codema de Borda da Mata/MG recebia o jornal e há alguns meses paramos de recebê-lo. Talvez tenhamos deixado de pagar a assinatura. Infelizmente, o Codema não tem condição financeira, o que é uma pena pois a Folha do Meio é de grande ajuda nas pesquisas do nossos alunos. Temos uma biblioteca só com material didático sobre o meio ambiente. Se possível, gostaríamos de continuar receber o jornal que é uma das publicações mais requisitadas pelos alunos.
Antonio Cardoso Pinto Neto –  Presidente do Codema 
Borda da Mata – MG


Impacto ambiental
Sou estudante de Engenharia Civil da Escola de Engenharia Mauá. Estou realizando um trabalho de graduação voltado para a área do meio ambiente. Nosso tema é: Impactos Ambientais relacionados à construção do Rodoanel Mário Covas.
Gostaria de ver a possibilidade de realizarmos um artigo ou uma entrevista no jornal. Um tema sugerido é o encontro de uma espécie da bromélia Tillandsia lineares que estava considerada em extinção há 40 anos.
Gustavo Cassiolato – Mauá – SP gustavo@cabodeaco.com.br
NR: Gustavo, você e todos os que quiserem participar com artigo ou Ponto de Vista é só enviá-los para nossa redação. O tamanho nunca deve ser superior a três mil dígitos. Há sempre uma seleção, como acontece em qualquer jornal.


Ações e omissões
Morreu o tamanduá bandeira, morreu o lobo guará, morreram micos, passarinhos e filhotinhos em seus ninhos, morreram árvores, flores e as cores do Cerrado viraram cinzas. Literalmente! O fogo e a cinza tomaram conta de tudo. E a queimada teve início num simples toco de cigarro jogado pela janela de um carro. O motorista, a mais de 100 pela rodovia, ficou sem saber o estrago que deixou lá atrás. Uma pena! Mas os homens continuam com ações e omissões a deixar que a natureza morra aos poucos.
Saulo H. Cerqueira  -Paracatu – MG


Águas Emendadas 1
Sei que a Chapada dos Veadeiros é um lugar místico e maravilhoso para visitação, Sei também que o Cerrado brasileiro é cheio de veredas, cachoeiras e uma flora e fauna fantástica. Mas, sinceramente, não tinha grandes informações sobre Águas Emendadas, um sítio tão especial no coração do Brasil. Fiquei encantada com a matéria e com a história da região.
Clara M. T. Mello – Porto Alegre – RS


Águas Emendadas 2
Vocês que fizeram esta belíssima matéria sobre Águas Emendadas, bem que poderia monitorar melhor toda a área transformada em unidade de conservação porque tem gente entrando ali devagarinho, devagarinho. Vou fazer fotos e buscar provas para envia-las ao jornal.
A fiscalização passa por aqui de vez em quando… Área de preservação sem estar cercada e sem plano de manejo é um convite às invasões…
Alessandro G. Moraes  – Planaltina – DF


Desmatamento
Eu vejo tanta gente falar em combater o desmatamento na floresta amazônica, tanto político fazendo discursos pela preservação da floresta e tanta gente do governo dizendo que vai prender e acontecer em cima dos fazendeiros e madereiras que nem dá mais para acreditar. São discursos e só discursos… Uma pergunta: por que os políticos não se juntam e votam um projeto de moratória geral para a madeira da Amazônia? Assim, não fica dúvida. Qualquer corte de árvore é crime. Qualquer comércio é ilegal.
André G. Leão – Manaus – AM