Cartas

11 de junho de 2011

Valparaiso, cidade largada Sempre vejo árvores sendo podadas ou cortadas totalmente por pessoas não especializadas, não credenciadas. São pessoas comuns, sem experiência. Ou são contratadas por algum morador ou simplesmente um morador incomodado com a natureza decide cortar árvores. Existe alguma regulamentação para esse tipo de atividade? Há na prefeitura de Valparaíso alguma secretaria responsável ou… Ver artigo

Valparaiso, cidade largada


Sempre vejo árvores sendo podadas ou cortadas totalmente por pessoas não especializadas, não credenciadas. São pessoas comuns, sem experiência. Ou são contratadas por algum morador ou simplesmente um morador incomodado com a natureza decide cortar árvores. Existe alguma regulamentação para esse tipo de atividade? Há na prefeitura de Valparaíso alguma secretaria responsável ou algum órgão fiscalizador ao qual se possa remeter esse tipo de problema? Valparaíso é uma cidade largada, não só pelos governantes locais como pela própria população que pouco se manifesta e que tem em sua maioria pessoas que parecem se beneficiar dessa desorganização.


ri-bus@hotmail.com



Museu do Ninho


Fiz a Caminhada de Nhá Chica, entre São Lourenço e Baependi, pela segunda vez. Como sempre, foi muito bom. Mas me lembrei da reportagem que a FMA fez no ano passado sobre “Arquitetura Animal “A arte de morar”, abordando mais os ninhos de passarinhos. Matéria de muita sensibilidade. Resolvi, então, depois da Caminhada, ir ao município de Soledade de Minas conhecer o Museu do Ninho. Achei muito interessante e até espantoso como as aves diversificam a forma e os materiais usados para construírem seus ninhos.


Ana Diniz –  Belo Horizonte –  MG



Foto histórica


Queria parabenizar este jornal pela forma que abordou a questão do Código Florestal e, sobretudo, pelo destaque que deu à foto de todos os ex-ministros do Meio Ambiente com a presidente Dilma Rousseff, com o presidente do Senado e com o presidente da Câmara. Esta é uma foto histórica. Por ela se pode contar a trajetória do ambientalismo no Brasil, a começar pela figura do professor Paulo Nogueira Netto. Aliás, devo acrescentar uma coisa importante: a matérias sobre os quilombolas e a entrevista com José Antônio Ventura. Este jornal deveria estar em todas as bibliotecas das escolas públicas brasileiras.


Carmem Rosário T. Bairros – RJ


O fato e a foto


Não tirando o valor da reportagem de capa e nem desmerecendo a edição (muito boa por sinal) sobre quilombolas e sobre o Código Florestal, preciso informar que vocês cometeram uma falha técnica. A foto da capa de fato é inédita e importante. Mas, na foto, além dos ex-ministros de Meio Ambiente e da presidente Dilma Rousseff, também está a atual ministra Izabella Teixeira. A legenda omitiu-a. Não posso dar nota dez! Fica com nota nove.


M. Marcondes –  Brasília –  DF



FMA: 22 anos


Um jornal de educação ambiental sobreviver 22 anos, sem ser ONG e sem ter uma empresa ou governo por traz dando sustentação financeira, isto é inédito neste País. Por isto quero deixar aqui registrado minha admiração, meu apoio e meu profundo respeito para todos os responsáveis que conseguiram fazer da FMA um instrumento de cidadania nestes anos todos. Imagino por quantas dificuldades vocês passam para sobreviver no dia a dia de nossa sociedade que quer mais parecer que faz do que realmente fazer. Sou professora primária e assino este jornal há 15 anos. Durante todo este tempo este jornal me acompanha nas minhas aulas de português, ciências e geografia. E a criançada adora. Parabéns pelo aniversário.


Margarida M.B. Alencar-MG



 


Gruta de Maquiné


Estou fazendo um trabalho escolar e preciso muito de uma reportagem que a FMA fez, há cinco anos, sobre a Gruta de Maquiné, em Cordisburgo-MG. Vi a matéria na internet e não tenho mais o jornal. Preciso do exemplar de julho de 2006. Como poderei consegui-lo?


Márcia Costa – Por e-mail


NR: Entre em contato com Catarina na nossa redação: 61-33223033.


 


Usina de Belo Monte


Não é contraditório um jornal como a Folha do Meio, que tem 22 anos de história e que tem compromisso com a natureza aceitar um anúncio da Norte Energia sobre a viabilidade da Usina de Belo Monte? Vocês não podem aceitar publicidade que vá contra a posição dos ambientalistas. No anúncio a Norte Energia justifica a construção da Usina, fala do início das obras e diz que nenhuma terra indígena será inundada.


Saulo M. Boaventura – Niterói – RJ


 


Desmatamento


Uma vergonha este governo que está aí há sete anos não conseguir fazer uma moratório do desmatamento. Uma vergonha, ainda hoje, a gente ler pela imprensa que o desmatamento está aumentando, que a Floresta Amazônica vai para o chão e as matas ciliares de nossos rios estão sendo dizimadas. Não quero acreditar em tamanha criminalidade contra a Pátria e as futuras gerações brasileiras.


Sérgio – sergiohbd2009@hotmail.com – Cuiabá – MT


 


Apoio à carta dos ex-ministros Meio Ambiente


Mais uma vez, nós povo brasileiro, sendo lesados em nosso maior patrimônio que é a nossa floresta, em detrimento da vontade de ruralistas e políticos gananciosos. Que país é esse que ao invês de defender o Patrimônio Público Brasileiro, entrega-o nas mãos daqueles que mandam matar pessoas que são a favor da Floresta? Parabéns aos ex- ministros pela carta. Ainda bem que existem pessoas que ainda estão preocupados com essa questão. A mídia precisa fazer o que a FMA fez: divulgar a carta. Precisamos de uma divulgação maior para sensibilizar a população e alertá-la sobre o roubo e rombo da ossa Floresta. Que país é esse? Que políticos são esses?


Kátia Coutinho – katiacouti@hotmail.com


 


Editorial: negritude


Ao tempo que parabenizo o jornal pelos 22 anos e pelo conteúdo fantástico que mantêm, na FMA, esta luz que consegue nos emocionar e conscientizar para as causas ambientais, quero fazer um pedido: gostaria de reproduzir em nosso boletim mensal o editorial da edição 219 sobre Negritude e também a matéria “Plantas que Migram”, que saiu na edição de setembro de 2010. Sinceramente, fiquei extremamente impressionado em ler sobre a migração das plantas na renovação dos ecossistemas. Este texto pode ser base para um documentário interessantíssimo.


Bárbara M. Linhares – Amigos da Natureza – Campinas-SP


NR: Obrigado pelo email. Não há problema na reprodução das nossas reportagens. Só pedimos para citar a fonte e nos enviar, se possível, o seu boletim para nosso arquivo.