Cartas

22 de novembro de 2012

  Jardim Botânico RJ Eu acho que os políticos perderam totalmente a vergonha. Quando não é um mensalão direto é um mensalão indireto.  O caso do discurso do deputado petista Edson Santos sobre a inutilidade do Jardim Botânico, só pode ser uma grande piada. É até difícil de acreditar. Não é que o nobre deputado… Ver artigo

 

Jardim Botânico RJ
Eu acho que os políticos perderam totalmente a vergonha. Quando não é um mensalão direto é um mensalão indireto.  O caso do discurso do deputado petista Edson Santos sobre a inutilidade do Jardim Botânico, só pode ser uma grande piada. É até difícil de acreditar. Não é que o nobre deputado (guarde o nome dele gente) Edson Santos (PT-RJ) teve a ousadia de subir à tribuna da Câmara para fazer um discurso em que defende a estranha tese de que o povo carioca não precisa do Jardim Botânico? Esse tal deputado já foi até ministro de Estado no governo Lula. E sabe o motivo do discurso? Porque a família dele é invasora do Jardim Botânico. Sua família tem residência dentro do Parque. Quem não acreditar no que estou dizendo, vá ao You Tube e pega o discurso. Temos que lembrar bem desse nome em 2014. Não merece nosso voto. A campanha agora é tirar voto dele entre a comunidade negra. Tudo tem limite!
Kellen G. Madureira 
Gávea – Rio de Janeiro – RJ
 
 
 
Nascente do Velho Chico
Sou aluna do Curso de Turismo da Faculdade de Jaguariúna e  estou realizando um trabalho acadêmico sobre o Parque Nacional da Serra da Canastra. Gostaria de saber se é possível me informar onde encontro informações confiáveis sobre a verdadeira nascente do Rio São Francisco. Segundo uma entrevista de Geraldo Gentil de 2004, na Folha do Meio Ambiente, a real nascente está na cidade de Medeiros e não no PARNA Serra da Canastra em São Roque de Minas.
Roberta Torquato Morais 
beta_torqmorais@hotmail.com 
 
NR: Flávia, de fato esse trabalho pioneiro foi publicado na Folha do Meio Ambiente < www.folhadomeio.com.br >   em 2004 e repercutiu bastante. O tema é matéria especial desta edição. Veja a capa e as páginas 8, 9 e 10.
 
 
 

Promotor Carlos Paganella
Parabenizo o Promotor Carlos Paganella, da Promotoria do Meio Ambiente de Porto Alegre, que constatou grave irregularidade nas compensações vegetais. Ao caminhar pelas ruas da cidade, deparei-me com centenas de quadros afixados pela SMAM, autorizando compensações vegetais, movimentação de terra, derrubada de árvores centenárias ou mesmo transposição de algumas espécies em extinção. O que mais me surpreendeu nestas “trocas” foi o tipo de “moeda” em que nossa Saúde sai perdendo sempre! Já li nestes cartazes que seriam feitos benefícios de calçamento de Praça próxima ao local da obra, caminhões-pipa para regar as mudas plantadas, e por último, pasmem os senhores, li que a troca seria em pecúnia! Nosso Patrimônio Ambiental está sendo trocado por benfeitorias de responsabilidade da Prefeitura! O Espaço Urbano de Porto Alegre está sendo agressivamente explorado, impactando negativamente a qualidade de vida de seus habitantes. Uma cidade deve se configurar sob o marco da pluralidade de interesses e não somente os de natureza exclusivista que tem no lucro o seu principal objetivo. Esse decreto, que “flexibiliza” o plantio compensatório e “barateia” o corte de árvores na cidade, precisa ser revogado com urgência! É sabido que, muitos políticos, em troca de apoio em suas campanhas eleitorais, aliam-se a grupos de grande poder econômico, mesmo que, para isso, tenham que agir ao arrepio da legislação e da ética.
Elisabeth Karam Guimarães  bethkaram@folha.com.br – Porto Alegre-RS
 
 
Eufemismo
Estou horrorizado com esta história de Mensalão, que mistura dinheiro sujo para a campanha do PT, que mistura assassinato do prefeito Celso Daniel, de Santo André-SP, que está ligado à compra de deputados federais, que passa pelo Banco do Brasil, Banco Rural e outros bancos de várias praças do Brasil. O Brasil tem que acabar com esse jeito de fazer política. Ninguém entende porque um partido político briga tanto para fazer um simples superintendente de estatal para receber um salário que é 25% do valor de mercado. Só pelo salário, ninguém quer trabalhar no governo. Quais serão as outras vantagens? O brasileiro quer saber. O que o STF fez foi dizer com todas as letras: isso aqui é corrupção, aquilo ali é caixa dois (também corrupção), aquilo lá é lavagem de dinheiro. Pedir dinheiro para campanha política é o maior eufemismo de roubalheira neste Brasil velho de guerra. 
Wanda B.M. Leite – Gama – DF 
 
 
 
 

Denúncia ambiental
Olha, tem algumas situações aqui na minha cidade que preciso denunciar aos órgãos competentes. Mas eu quero saber como denunciar um fato para que a denúncia seja verdadeiramente averiguada. E também quero acompanhar ou rastrear a denúncia feita para não deixá-la emperrar. Eu acho que não basta denunciar. Há que acompanhar as denúncias e cobrar uma ação efetiva da fiscalização. Seja o fiscal do município, do estado ou federal.
Arantes Netto – Belém – PA
 
NR: Quem responde é o próprio Ibama. Primeiro, para que sua denúncia possa ser atendida é necessário fornecer algumas informações cruciais para a fiscalização. São elas: dados do denunciado (nome e/ou identificação), localização (endereço, locais com referências, mapas, croquis ou coordenadas geográficas. Atenção: denúncias sem identificação do local ou sem roteiro de acesso e/ou coordenadas geográficas e/ou endereço não poderão ser atendidas, assim como denúncias que não identificam o possível dano causado ou a ser causado. Um dado importante. Para denuncias ligadas às podas em árvores, poluição sonora, lavajato que não estejam em postos de combustíveis, maus tratos de animais e aplicação de agrotóxicos, no caso podem ser feitas por telefone. Número 155.