Cartas

11 de fevereiro de 2014

AVE DALGAS Assisti ao DVD AVE DALGAS!  Por alguns momentos fiquei muito emocionado, como naquela história do falcão, tratado e devolvido ao seu país de origem. Quanto respeito e dedicação para com um ser vivo, que sofre como nós. Agora o que mais me impressionou mesmo, foi constatar que muitos políticos ainda têm um lado… Ver artigo

AVE DALGAS
Assisti ao DVD AVE DALGAS!  Por alguns momentos fiquei muito emocionado, como naquela história do falcão, tratado e devolvido ao seu país de origem. Quanto respeito e dedicação para com um ser vivo, que sofre como nós. Agora o que mais me impressionou mesmo, foi constatar que muitos políticos ainda têm um lado sensível para as coisas da natureza. Confesso que o meu conceito de político é de um sujeito egoísta, prepotente, e essencialmente materialista. Pelo menos aqui no Brasil.
Acho que foi a tenacidade Johan Dalgas Frisch que conseguiu amolecê-los, a   ponto deles colaborarem de maneira tão importante para a preservação do nosso meio ambiente. Vou mostrar o DVD aos amigos. Assim, divulgando esse trabalho maravilhoso estarei ajudando para que mais pessoas tenham uma consciência voltada para preservação, tarefa difícil nos dias atuais, onde as pessoas “não têm tempo” para sentimentalismos. Considero “poeta” aquele que fala para a alma, para o espírito, então a partir de agora eu vou passar a chamar Dalgas de Amigo Poeta!
Francisco Baccelli  
fbaccelli@terra.com.br
 
 
 
Isso não é possível
Golfinhos em perigo. Acabei de ver uma notícia na imprensa peruana contando como pescadores matam 15 mil golfinhos todo o ano para produzir isca utilizada na caça de tubarões. Pior: os tubarões  também correm risco de extinção. Essa história me deixou enojada. Será que não há como fazer uma campanha internacional para acabar com esse pesadelo? Podem contar comigo.
Vejam o link: http://www.avaaz.org/po/dolphin_hunt_peru/?bdQkeab&v=33624
Marialva M. Morais – Curitiba – PR
 
 
 
Naturalistas Viajantes
Estou acompanhando com o maior interesse a série de reportagem sobre os estrangeiros que visitaram, estudaram e pesquisaram a biodiversidade brasileira nos anos 1800. Três exemplares do jornal eu emprestei para uma professora aqui da cidade que deu para os alunos fazerem trabalhos de aula. Pois, ninguém mais acha os jornais. Meu pedido: precisava adquirir, para a minha coleção, as seguintes edições: abril/2013, que fala de Marianne North; maio/2013 que fala de Charles Darwin; e a de setembro/2013 que tem a reportagem sobre Rugendas. Como proceder?
Saulo B. Quintão – Recife – PE
NR: Por favor, entre em contato com a Raquel por email < raquel@folhadomeio.com.br > 
ou por telefone 61-3322-3033. 
 
 
 
Paixão pelas árvores
Bom ver quem sabe valorizar uma árvore, pois estão confundindo alhos com bugalhos. Dizem que à medida que se envelhece é bom se apaixonar por alguma coisa. Pode ser por um lugar, pessoas, músicas, dança, animais, natureza…
Tenho paixão por árvores. Quando eu era criança tinha uma relação  especial com uma amoreira que ficava do lado direito da minha casa. Nela subi inúmeras vezes, me acomodei em seus galhos, respirei em suas folhas, contei-lhe em silêncio meus segredos , meus sonhos, minhas paixões de criança e em muitas ocasiões me refresquei em sua sombra. Ficava ali contemplando-a, admirando sua perfeição, sua natureza solitária, mas ao mesmo tempo sua grandiosidade e solidariedade abrigando os pássaros que cantam nos seus galhos. Galhos que balançam ao vento e proporcionam o vai e vem das folhas para que todas possam ver e receber o sol. Ainda sou apaixonada por árvores. Em frente a minha casa, em Itajubá, cuidei com muito carinho da árvore frondosa que havia na calçada.. Lá meus filhos aprenderam a subir em árvore e a valorizá-la. Ela é o símbolo máximo da eternidade, pois ela representa a morte e a vida.  Ela também simboliza a esperança e a garantia do renascimento. 
Assim… a Árvore de Natal é o símbolo do eterno retorno da vegetação, da vida. Colocar luzes e bolinhas coloridas representa a vida e suas dificuldades, mas principalmente representa a luz que retorna aos poucos, renova e ilumina a vida de cada um. A estrela colocada no alto das árvores é o símbolo máximo da luz de Deus em todos nós.
Mas hoje, se eu fosse uma Árvore de Natal estaria triste. Triste ao ver que não teria valor algum, que não existe pudor, não existe respeito com ela e que está descaracterizada. Em dezembro, vi uma árvore toda enfeitada. Sabe de quê? De camisa 10 da Seleção de futebol, de bonecos dos jogadores, de bolas, apitos…  Fiquei paralizada me perguntando: o que fizeram com o espírito de Natal? Que confusão é essa? O que estão querendo dizer com isso? 
Não entendo mais nada. Só sei que continuarei apaixonada por elas.
Bernadete B. Gorgulho Vergueiro  São Paulo – SP
 
 
 
 
AS GARÇAS
Estava lendo a Folha do Meio Ambiente de novembro e vi seu poema sobre as garças. Que bonitos ver
sos! Fiquei aqui voando nas saudades. Um dia, quando eu for a Brasília, combinaremos um passeio a São Lourenço para participar do “Entardecer com as Garças”, no Parque das Águas. Aqui no Ceará, quando vou a um sítio de uma família amiga, vejo garças lindas na lagoa de Messejana. 
Ana Miranda – Aquiraz – CE
 
NR: Ana Miranda, as garças continuam nesta edição. Na página central está justamente o ninhal da Ilha dos Amores do Parque das Águas. Gostaria muito que um dia você, uma escritora internacionalmente respeitada e ambientalista de primeira grandeza, possa conhecer esse lugar. 
Em tempo: seu livro “O Peso da Luz – Einstein no Ceará”, que fala da eclipse de 29 de maio de 1919 que provou a Teoria da Relatividade de Einstein, em Sobral, também indiretamente fala de São Lourenço. O capítulo Azáfama Total, página 78,  conta a história da eclipse de outubro de 1912,  quando cientistas do mundo inteiro correram para Sul de Minas, Passa Quatro e Cristina, onde seria o lugar de melhor observação. Pois São Lourenço fica justamente entre as duas cidades, a 24 km de Cristina.
 
 
 
 
Voz de Tiradentes

Minha mensagem de um Feliz 2014 vai para dois jornalistas ambientalistas que merecem   o maior respeito e admiração: Silvestre Gorgulho e Hiram Firmino. Silvestre, valorizo demais a sua amizade e seu apoio que começou   com uma visita sua a Tiradentes. Não imagino a vida sem receber  a Folha do Meio Ambiente.  
Hiram, fiquei   contente em poder trocar algumas ideias com você  em Tiradentes.  “O Ecólogo” acompanha a “Folha do Meio” no hotel,  creio que ambos ganham novas assinaturas  e, às vezes,   algumas denúncias chegam às pessoas  que podem influenciar o assunto.   Aqui em Tiradentes  o novo prefeito PV, Ralf Justino   passou um ano difícil e sem dinheiro, mas iniciou  bons projetos. Espero ter boas notícias para divulgar  no decorrer do ano.  O que mais  me agrada nas informações ambientais são as notícias positivas, por mostrarem os bons exemplos e as ações que fortalecem a causa ambiental. As denúncias e os crimes cometidos também ajudam a conscientizar e educar. 
Os escândalos precisam ser levados a público para evitar que se repitam. Desejando o sucesso que merecem neste ano de 2014, esperamos a visita de vocês a Tiradentes.
John Parsons – Solar da Ponte – Tiradentes – MG
www.solardaponte.com.br