Baianos querem a “Chapada Sem Chamas”

17 de fevereiro de 2004

A campanha pretende despertar atenção das autoridades e da sociedade para a necessidade de se adotar políticas preventivas contra as queimadas

 






Zé Henrique



Ações preventivas devem ser implementadas para preservar a exuberância da Chapada Diamantina


                    O lançamento da Campanha Chapada Sem Chamas foi feito em Salvador e organizada pela ACVCD -Associação dos Condutores de Visitantes da Chapada Diamantina, com a participação do Prevfogo, Ibama-BA, CRA, Corpo de Bombeiros, Copa – Polícia Ambiental, Gambá- Grupo Ambientalista da Bahia e Barbado – Rede de ONGs da Chapada Diamantina. A campanha busca despertar a atenção das autoridades e da sociedade organizada para a necessidade de se adotar políticas preventivas, e não apenas combativas, de incêndios florestais. 







Acima, pessoas participam da campanha ?Chapada Sem Chamas?, em Salvador. Abaixo, fogo consome reserva florestal. Todo ano, incêndios como esse destroem parte significativa do nosso patrimônio biológico


Para o deputado Arthur Maia (PSDB), presidente do colegiado, a ação é urgente porque não se pode conceber que todos os anos o fogo queime áreas exuberantes do Parque Nacional da Chapada destruindo sua fauna e flora. Para o único representante do Partido Verde na Assembléia Legislativa baiana, deputado Edson Duarte, essa ação conjunta será muito importante para a introdução de novas políticas de preservação das nossas florestas. Os representantes do PV, na Chapada Diamantina, irão se articular para mobilizar as autoridades para o cumprimento do que ficou determinado na reunião, enfatiza o deputado verde. Preocupada com o rumo que os incêndios florestais vêm tomando na região e a falta de uma política preventiva, não só na Bahia como em todo o Brasil, a ACV-CD, entidade de cunho socioambiental que engloba todas as associações de condutores de visitantes existentes na Chapada Diamantina e demais entidades, resolveu encabeçar a Campanha “Chapada Sem Chamas” com o objetivo de diminuir os focos de incêndio realizando ações preventivas e educativas. A falta de conscientização do homem, que pratica ações criminosas contra as florestas, tem elevado, a cada ano, os focos de incêndios, com dimensões cada vez maiores e mais difíceis de se combater, diante da falta de estrutura das brigadas e do próprio Corpo de Bombeiros. “Precisamos fazer esse trabalho de conscientização junto à comunidade e aos visitantes”, diz o presidente da ACV-CD Homero Vieira dos Santos, que critica a política de investimento somente voltada para os combates, deixando ações preventivas e educativas, de lado. 


Incêndios incontroláveis – Na Chapada Diamantina existem cerca de 400 voluntários no entorno do Parque Nacional que, com seus 152.000 hectares ainda não regulamentados, sofre todo tipo de depredação, minimizado pelo reconhecimento comunitário. Os organizadores ressaltam a importância da iniciativa, vinda da própria comunidade. A Campanha é pioneira no Brasil e a ACV-CD espera que iniciativas deste cunho se alastrem pelo país, visto o grande índice de incêndios que destroem anualmente vários parques nacionais, a exemplo do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, que teve 1/3 de sua área queimada nestes últimos dias. A ACV-CD acredita que o assunto incêndio florestal no Brasil deve ser visto sob outra ótica política, já que, atualmente, só se toma providências após os incêndios estarem incontroláveis. “O Brasil está perdendo seu banco biológico sem necessidade. Grandes recursos financeiros poderiam ser poupados se existissem trabalhos preventivos no país, e teríamos nossas florestas ainda verdes, em vez de cinzas” , alerta o secretário geral da ACV-CD Rogério Mucugê. 


Quem quiser colaborar com a campanha, a ACVCD aceita ajuda de qualquer forma. Atualmente a campanha arrecada fundos através de uma conta bancária: Banco do Brasil de Mucugê-BA, conta corrente 8052-7, agência 1100-2.


Mais informações: ACV-CD: Homero Santos (75) 335-2126
acvchapadadiamantina@bol.com.br