Coluna do Meio

23 de maio de 2008

regina@folhadomeio.com.br

Carta de Marina


Em carta de duas laudas para os funcionários do MMA, Marina Silva deixou claro que com erros, acertos e muito aprendizado conseguiu pelo menos quatro diretrizes traçadas:
          1 – A busca do desenvolvimento sustentável;  2 – O controle e participação social;
          3 – Fortalecimento do Sisnama;  4 – A política ambiental integrada pela prática da transversalidade. Marina se despede dizendo que volta ao Senado na busca da sustentabilidade política para consolidação da agenda ambiental.






 Pleonasmo puro! Cuidado para não confundir os andares.
 MINC assume o MMA, prédio onde funciona também o MINC
.








  • Recado Amazônico
     Há perigo de “transbordamento” de guerrilheiros das FARCs na Amazônia.
     A hipótese foi levantada pelo coronel do Exército, Gustavo de Souza Abreu,  durante audiência na Comissão da Amazônia da Câmara.
     Abreu é assessor militar do Departamento de Política e Estratégia do Ministério da Defesa.
    Além da ameaça das FARCs, o coronel Souza Abreu fez outra revelação:
     Admitiu, sem qualquer cerimônia, que o contingente militar em atuação na Amazônia é insuficiente para proteger a região.
     O Exército tem apenas 25 mil homens na Amazônia, enquanto o contingente só no Rio de Janeiro é mais do que o dobro.

Águas de Zaragoza
 Zaragoza vai ser a sede do Instituto Internacional de Pesquisa sobre Mudança Climática e vai inaugurar uma Exposição Internacional que terá como tema central “Água e Desenvolvimento Sustentável”.
 A mostra vai durar três meses e no seu encerramento será divulgada a “Carta de Zaragoza”.
 O documento terá alcance internacional sobre as boas práticas de gestão da água e base para a futura concretização de uma Convenção Internacional Sobre o Uso Racional da Água.
 O alcaide de Zaragoza, Juan Alberto Belloch, entrou de cabeça no evento e pretende fazer da cidade espanhola a capital Mundial da Água.


Jornal de se ler com as mãos
 Meio ambiente é tudo que nos envolve, dizia Einsten.
 Portanto, cultura e inclusão social também são temas ambientais.
 E como é bom saber que o Diário de Pernambuco está sendo impresso em Braille.
 Na sua edição inicial, Antônio José Ferreira, 35 anos, cego desde os seis anos, publicou sua primeira matéria jornalística: contou um pouco de sua vida, de suas lutas, de seus desafios e como se tornou jornalista.
 O jornal em Braille é distribuído para entidades e organizações de pessoas com deficiência visual de todo  Pernambuco.
 Um belíssimo exemplo a ser copiado.



Mudança no Primeiro Mandamento


Estão corretíssimos os familiares das vítimas do acidente com o Airbus da Tam, quando criticam a empresa por adotar no site oficial a frase “nada substitui o lucro”.
 Para Dario Scott que perdeu a filha Thaís, de 14 anos, no fatídico vôo JJ-3054, o slogan da companhia aérea deveria ser: “Nada substitui a vida”.
 Pura verdade: nada substitui a vida…



PAS na floresta
 O Plano Amazônia Sustentável, depois de acabar com a paz da Esplanada dos Ministérios com o pedido de demissão de Marina Silva, promete R$ 1 bilhão para financiar projetos de reflorestamento.
 A madeira da floresta nativa poderá ser utilizada como ativo do proprietário rural e oferecida como garantia bancária.
 Financiamentos de projetos de reflorestamento terão prazo de até 20 anos para serem pagos.
 Os produtos extrativistas serão incluídos no programa de preço mínimo pela Conab.
 Enquanto a árvore no chão tiver mais valor do que a árvore em pé, não há floresta que resista.






“Infelizmente nós ainda não descobrimos como tirar valor real da floresta em pé!”


Do pesquisador Carlos Nobre, do INPE, ao explicar que a ciência tem mostrado que atrás das grandes obras de infra-estrutura na Amazônia vem um corredor de desmatamento.