Coluna do Meio

25 de maio de 2009

regina@folhadomeio.com.br

Arte também é meio ambiente.
 Melhor dizendo, cultura é meio ambiente. E é muito bom quando a cultura ocupa este espaço, pois sem uma mudança cultural não há salvação.
 Das telas e dos palcos direto para o Congresso Nacional, Christiane Torloni, Juca de Oliveira e Victor Fasano fizeram uma vigília, em Brasília, em defesa da Amazônia.
 Os atores chegaram a ocupar o plenário para discutir estratégias de desenvolvimento sustentável, combate ao desmatamento e defesa da legislação ambiental com suas excelências.
 Durante a audiência pública, o movimento Amazônia para Sempre apresentou um manifesto com mais de 1,1 milhão de assinaturas pedindo empenho às autoridades na defesa da floresta.


 


“Continuamos um povo
irresponsável. O desmatamento e o
incêndio são o símbolo da nossa
incapacidade de compreender a
delicadeza e a instabilidade do
ecossistema amazônico e como tratá-lo”.


Do documento apresentado pelo
Movimento Amazônia para Sempre.


                    
Vitória de Pirro
 Duas perdas e uma meia vitória.
 Este é o saldo das brigas do ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, dentro do governo.
 Duas perdas: gorou a intenção de criar a Guarda Florestal Nacional e empacou a pretensão de contratar 3 mil fiscais.
 Meia vitória: o ministro Minc conseguiu contratar mil fiscais para combater o desmatamento na Amazônia.
 Metade para o Ibama e metade para o ICMBio.


 


Majestade ameaçada
 Um filhotinho nasceu há um mês. O outro acaba de nascer.
 A Floresta Nacional de Carajás-PA está em festa.
 Um brinde à vida do gavião-real (Harpia harpya), uma das mais imponentes e ameaçadas aves de rapina existentes no Brasil.
 O motivo da ameaça é o de sempre, explica a bióloga Tânia Sanaiotti: a substituição da floresta por pastagem, os garimpos, incêndios florestais e plantações de arroz ou soja.


Inimigo das onças
 Mais uma onça pintada atropelada no Parque Nacional do Iguaçu.
 A BR-469 que corta aquela Unidade de Conservação precisa de um sério monitoramento e uma fiscalização mais dura.
 Segundo o diretor do Parque, morrem em média 20 animais por mês. Quase um por dia.



Por dentro d?água
 A ANA disponibiliza dados diários sobre o nível dos rios amazônicos.
 Qualquer cidadão, pesquisador ou curioso, acessando o site da ANA, pode saber sobre o nível de três importantes rios amazônicos, que cortam três capitais: Manaus-AM, Porto Velho-RO e Rio Branco-AC.
 São os rios Negro, Madeira e o rio Acre.


Flagelo deste século


-Nem AIDS, nem gripe avíaria e muito menos gripe suína.


-A maior ameaça para a saúde são as mudanças climáticas.


-Motivo: o degelo, ondas de calor, falta de alimento e, para paises tropicais como o Brasil, um avanço da malaria, cólera e da dengue.


-A solução esta longe de apenas reduzir as emissões de CO2.


-O foco e: como tirar milhões da pobreza e mudas o padrão de vida da classe mais rica?


 


Veras ambientais


-Em Editorial, o estadão mostrou que as caras ambientais não são necessárias apenas na Amazônia.


-O jornal acha a idéia criar-se varas especializadas em julgamentos de processos relacionados a meio ambiente, muito oportuna.


-Diz o editorial: “A intenção inicial e especializar em direito ambiental as caras de Manaus e Belém, com o objetivo de tornar mais ágeis os processos judiciais sobre devastação florestal na região – que tem se multiplicado em proporção equivalente a velocidade com que se da o próprio desmate”.


-De fato, a rapidez na punição dos responsáveis pelas praticas que degradam a natureza seria uma decisiva contribuição da Justiça à qualidade de vida da sociedade.


-Desestimular os contumazes predadores ambientais e o que importa e o que funciona.