Coluna do Meio

18 de junho de 2009

regina@folhadomeio.com.br

Garantias sempre


• Nunca se desmatou tanto na Amazônia, garante o Greenpeace.
• Conseguimos o menor índice de desmatamento nos últimos 20 anos, garante o ministro Carlos Minc.
• O Brasil não consegue deter o desmatamento da floresta, garante líderes europeus.
• As nuvens estão impedindo nosso sistema de
detectar áreas desmatadas, garante o INPE.
• São tantas as garantias que não dá para esquecer a sabedoria de um cacique xavante:
• Uma árvore em pé já vale, hoje, mais do que uma árvore no chão. Imagina daqui a 10 anos – garante o pajé do Xingu.


São 20 anos…


•Pode ser coincidência, mas vale a pena registrar.
•No mesmo mês que o Ibama comemora 20 anos de vida,
a Folha do Meio Ambiente também faz aniversário.
•E olha que são os mesmos 20 anos de vida…


Eleitos para desmatar
•Tem muitos empresários que investem recursos altos por um mandato de  vereador, prefeito ou mesmo deputado.
•Mais do que servir a comunidade como representante político, o que eles querem mesmo é usar o mandato para servir suas próprias empresas.
•Por este motivo, policiais federais prenderam o prefeito de General Carneiro, Ivanor Dacheri (PSB), o vereador José Cláudio Maciel (PSB), também de General Carneiro, e o vice-prefeito de Coronel Domingos Soares, Volnei Barbieri (PSDB).
•Com um agravante: o crime é crime ambiental.


Desmatamento e eleição
•Os municípios ficam na região centro-sul do Paraná.
•Segundo a PF, todos têm madeireiras e são acusados de corte ilegal de reservas naturais, principalmente de araucária.
•É incrível mesmo: usar os cargos eletivos para o crime ambiental e fiscal, pois virou lugar comum usar licenças irregulares e notas fiscais falsificadas.


BNDES-A
•É hora do BNDES ir além do S de social e entrar de vez no A de ambiental.
•Para isto tem que deixar a retórica e incentivar, de fato, investimentos ambientalmente sustentáveis e de melhorar, em muito, a capacidade de análise de sustentabilidade de projetos.
•Com a criação de uma diretoria para a área de meio ambiente, o banco pode conseguir fazer o que nem o Banco Mundial conseguiu ainda.
•Sérgio Weguelin, o novo superintendente, tem um vasto caminho a percorrer na compensação de emissão de carbono, saneamento e tratamento de resíduos, reciclagem e alternativa de sustento para ribeirinhos e extrativistas.


O baque
• Governar nunca foi fácil. E cada vez complica mais.
• Aliás, quanto mais tempo passa mais controles, mais promotores dando palpites, mais detalhes administrativos, enfim, mais burocracias.
• Só isto pode justificar a posição de um prefeito da Bahia que fez de tudo junto ao Ministério Público para conseguiu uma verba do PAC – Plano de Aceleração do Crescimento.
• Teve até de assinar um Termo de Ajustamento de Conduta – TAC.
• Daí a faixa que um burocrata colocou na esquina da Prefeitura:
• “Faça um TAC, entre no PAC e espere o BAC”. Ou baque!