COLUNA DO MEIO

21 de março de 2012

silvestre@folhadomeio.com.br

Ano 2030: perguntas e respostas

• O fato é: em 2030, 60% dos habitantes do planeta estarão vivendo nos centros urbanos.

• Isto significa que daqui a 18 anos, a atual população da Terra (7 bilhões de pessoas) vai estar morando nas cidades.

• Como vai estar a internet para atender 4 bilhões de internautas? E o sistema de transporte? Enfim, como estará a autosustentabilidade para o ser humano e para os seres vivos da Terra?

• As perguntas ficam para os cientistas que, num encontro em Podsdam, na Alemanha, são categóricos: terão que ser investidos 10,5 trilhões de Euros em tecnologias verdes.

• É aquela velha história: quando você tem certeza que sabe todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas.

 

O ralo das ONGs suspeitas

• E a Controladoria Geral da União – CGU divulgou a relação de 164 ONGs que assinaram convênios com 13 ministérios e não fizeram o dever de casa.

• A CGU mostrou que tem mais ONGs sendo "barriga de aluguel" do que cumprindo seu papel para atendimento sociocultural da população.

• O Ministério do Trabalho está no topo das maracutaias onguistas. O próprio Ministério da Justiça aparece em segundo lugar com 38 contratos suspeitos.

• É muito dinheiro pelo ralo das ONGs.

 

Salas de Situação

• A ANA começa a equipar sete estados com estas tais salas para prevenção de cheias e secas.

• Os estados escolhidos são: Acre, Bahia, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima e Sergipe.

• A previsão é que suas Salas de Situação sejam inauguradas até o final de abril, para monitorar a situação de alguns rios que dão mais dor de cabeça na temporada de chuvas. Exemplo:

• Na Paraíba: rios Parnaíba, Poti e Uruçuí-Preto. Em Roraima: rios Branco, Iacatu e Uraricoera. Em Sergipe: rios São Francisco, Poxim, Vaza Barris, Capivara, Piauitinga e Cotinguira.

 


"O que não se pode aceitar é que os países desenvolvidos considerem que nós temos que repensar o que é padrão de consumo de classe média. E eles, não".

Embaixador André Aranha Corrêa do Lago, referindo-se às negociações da RIO+20.

 


 

Chegou a vez do Ceará

• Ainda este ano, técnicos do Serviço Florestal e da Secretaria de Meio Ambiente do Ceará começam o inventário dos recursos florestais, com a visita de 350 pontos no Estado.

• Em cada amostra, técnicos vão colher informações sobre altura, diâmetro, espécies, vitalidade e quantidade de árvores lá existentes.

• Também vão coletar amostras de plantas e solo, e registrar informações sobre a paisagem, como tipos de uso do solo, fragmentação florestal e situação da vegetação remanescente.

• Até entrevistas com moradores próximos aos locais de amostragem são feitas.

• O estado de Santa Catarina foi o primeiro a finalizar o inventário. No Distrito Federal, a coleta de dados já foi concluída.

• O levantamento completo vai ajudar o Brasil não só na preservação florestal, mas também no cálculo dos estoques de carbono.

 

 

ICMBio X IBAMA

• Há mais divergências do que convergências na vida funcional e burocrática entre os dois órgãos.

• Qualquer hora explode…