Coluna do meio

22 de agosto de 2012

silvestre@folhadomeio.com.br

Efeito borboleta

 

• Ninguém ainda sabe o que vai acontecer em relação à saúde humana.

• O fato é que o acidente nuclear de Fukushima, no Japão, já contaminou as borboletas da área do desastre. Os efeitos, que incluem asas de tamanho desigual ou amarfalhadas, antenas com pontas duplas e olhos malformados, já foram identificados pela equipe do cientista Atsuki Hiyama, da Universidade das Ilhas Ryukyu.

 

 
 
Recursos e gestores
 
 
• Serão R$ 12,6 milhões em ações de combate à desertificação e recuperação de áreas degradadas. • Recife sediou o primeiro encontro para debater esta questão e nivelar o conhecimento entre os gestores das ações.
 
• Marcos Del Prette, do MMA, explicou que os repasses fi nanceiros virão do Fundo Clima.

 

Teatro da sustentabilidade

• O nome é Teatro Mata Viva.

• A iniciativa consiste em apresentações teatrais sobre conscientização e preservação ambiental destinadas ao público infanto-juvenil.
 
• O programa constou de 18 apresentações gratuitas que reuniu cerca de 2.500 estudantes.
 
• O objetivo foi transmitir a mensagem sobre a importância da sustentabilidade de forma lúdica. 
 
• Fomentar a cultura e a conscientização ambiental, pelo viés do entretenimento, traz uma certeza: contribuir para que as crianças se tornem adultos conscientes de seu papel na sociedade.
 
•Belíssimo exemplo.
 
 
Depois da eólica, a solar
 
• O investimento de R$ 1,1 bilhão em fi nanciamentos para projetos de energia eólica neste ano dinheiro do BNDES – prevê aumento da capacidade instalada 500 MW para 1.600 MW.
 
• Antônio Tovar, responsável pelo programa do BNDES, espera analisar logo o primeiro projeto de energia solar no banco de fomento.
• Segundo Tovar, o mais provável é que o projeto seja de uma fábrica de placas solares. 
 
 
 
Mudanças climáticas e governança global

 

“Os modelos matemáticos do aquecimento global são meros exercícios acadêmicos. É obvio que o Co2 não controla o
clima global. Reduzir as emissões, a um custo enorme para a sociedade, não terá impacto no clima. Como mais de 80% da matriz energética global depende de combustíveis fósseis, reduzir emissões significa reduzir a geração de energia e  condenar países subdesenvolvidos à pobreza eterna”. Ainda repercute a mensagem central da carta aberta entregue à presidenta Dilma Rousseff antes da Rio+20 – assinada por 18 cientistas brasileiros.
 
 
 
Desperdício em Manaus
 
• A notícia é uma afronta à sustentabilidade. Cerca de 20 toneladas diárias de pescados (sardinhas, jaraquis e pacus)estão sendo descartadas em lixões ou jogados no rio Negro, no Porto de Manaus.
 
• Motivo: uma disputa jurídica que impede o uso de um terminal pesqueiro recém construído para guardar adequadamente os peixes.
 
• O terminal pesqueiro de Manaus já consumiu 16 milhões de Reais e o embargo ocorre porque a União e pessoas físicas
disputam na Justiça a posse do terreno.
 
• Como não há armazém funcionando, que pelo menos não retirem essas 20 ton de peixes saudáveis dos rios Purus e Juruá para depois jogar como pescado apodrecido no rio Negro. Deus castiga…