Editorial

Caro Leitor

19 de junho de 2008

O Piauí tem freqüentado as páginas da Folha do Meio com certa regularidade. Infelizmente, as matérias publicadas não colaboram para o portfólio positivo do Estado. Por várias edições publicamos reportagens sobre a transformação da mata da Caatinga em carvão. Processo revertido em tempo pelo OAB/PI, Ministério Público e ambientalistas. Agora o estado volta às páginas… Ver artigo

O Piauí tem freqüentado as páginas da Folha do Meio com certa regularidade. Infelizmente, as matérias publicadas não colaboram para o portfólio positivo do Estado. Por várias edições publicamos reportagens sobre a transformação da mata da Caatinga em carvão. Processo revertido em tempo pelo OAB/PI, Ministério Público e ambientalistas. Agora o estado volta às páginas do jornal pela desertificação provocada pela exploração de minérios.
 Triste destino para um estado que apresenta em sua vegetação aspectos do Semi-árido nordestino, da pré-Amazônia e do Planalto Central do Brasil. Refletindo as condições de umidade das diversas zonas, as regiões ecológicas distribuem-se em faixas paralelas, com a caatinga arbórea e arbustiva. No sudeste predomina a floresta decidual no Baixo e Médio Parnaíba. Cerrado e cerradão, no centro-leste e sudoeste. E as formações pioneiras de restinga, mangue e aluvial campestre, na zona litorânea. Tudo isto corre risco de morte.
 Nesta edição, muito mais sobre o rio São Francisco e a obra de transposição do governo federal. As obras iniciaram há cerca de dois anos, via Exército, mas só neste ano o governo encomendou a especialistas a elaboração de um estudo de cenários. O estudo vai levar em conta várias situações, a partir da opinião de expertises de diversas áreas para, só depois disto, recomendar ou não o prosseguimento das obras.
 Enquanto isto, o Instituto Chico Mendes, filhote do Ibama, continua com presidente interino. Quase um ano após sua criação, o Ministério do Meio Ambiente não consegue indicar o presidente do órgão devido às pressões que sofre de todos os setores. Todo mundo tem um afilhado para ocupar o cargo. Para driblar as pressões, o ministro Carlos Minc criou uma nova regra para a escolha do presidente e do plano de trabalho da instituição. Nesta edição explicamos o processo.
 Também vítima de pressões, a ex-ministra do MMA, Marina Silva, reassume no Senado e faz severas críticas ao governador do estado do Mato Grosso, Blairo Maggi (PPS). Na contra-mão da história, o governador continua defendendo o desmatamento para dar lugar à pecuária e à monocultura. Parece não saber que, agindo assim, as futuras gerações de seu estado nascerão em um deserto. Maggi foi reeleito governador do Mato Grosso com 65,39% dos votos válidos.
Ao que se vê, o governador tem amplo apoio a sua política vintage, totalmente década de 70, época dos militares.  Notícia boa é a lista preparada pela ONU com dicas sobre a adoção de hábitos saudáveis. São coisas simples que todos nós podemos adotar no dia-a-dia e diminuir o impacto sobre o planeta. Sem muito sacrifício. Que tal começar já?


 


—————————————————————


 


PREZADOS ASSINANTES: ao agradecer o apoio e a força que recebemos de todos os nossos
assinantes, a equipe que faz a Folha do Meio Ambiente  gostaria de pedir sua compreensão e atenção para ao pagar sua assinatura, por favor, não deixe de enviar por fax (61-3226-4438) ou por email
(
assinatura@folhadomeio.com.br) a devida identificação com endereço completo do responsável pelo depósito. Temos alguns depósitos bancários feitos sem a devida identificação, o que nos impossibilita de enviar o jornal. Pedimos, urgentemente, que esses assinantes nos enviem os dados de identificação. Obrigado!