CARTAS – Com a palavra, o LEITOR

22 de outubro de 2008

Tráfico de animaisEu sou um jornalista suíço, morando no Rio de Janeiro. Trabalho para atelevisão estatal suíça de língua francesa. Queria fazer uma reportagemsobre a questão do tráfico de animais silvestres e suas implicações na Suíça. Vocês poderiam me dar uma orientação de quem procurar e de onde conseguir imagens e informações estatísticas? Jean-Jacques Fontaine… Ver artigo

Tráfico de animais
Eu sou um jornalista suíço, morando no Rio de Janeiro. Trabalho para a
televisão estatal suíça de língua francesa. Queria fazer uma reportagem
sobre a questão do tráfico de animais silvestres e suas implicações na Suíça. Vocês poderiam me dar uma orientação de quem procurar e de onde conseguir imagens e informações estatísticas?


Jean-Jacques Fontaine –
 fontaijj@yahoo. fr
NR: Jean-jacques: a melhor pessoa para falar sobre o tema é Denner Giovanini, diretor-geral e fundador da Renctas. < http://www.renctas.org.br/pt/home/ > O email dele é cgeral@renctas.org.br . E o telefone é: 61- 3368-8970. O endereço: Caixa Postal 6231 – cep 70740-971 – Brasília – DF



Rio Amazonas
Gostaria, se possível, de receber um artigo do vosso sítio denominado “Amazonas: a nascente é um mito e a foz é uma lenda”, que eu encontrei como referência bibliográfica no livro “Quando o Amazonas corria para o Pacífico”, do cientista Evaristo Eduardo de Miranda, editora Vozes, página 248. Desde já agradeço a atenção.
Fernando Reyes – fernandosreyes@yahoo.com.br
NR: O artigo está na edição 159, da Folha do Meio Ambiente de julho de 2005, paginas 16, 17 e 18. O jornal pode ser conseguido na nossa redação. Telelene: 61-33223033. Para acessar o conteúdo do site precisa ser assinante da edição impressa.


Falácias Urbanas!
As promessas de mudanças no atual Plano Diretor de Porto Alegre caíram num vazio. O que vemos imperar neste processo de construir a cidade é a ótica do empreendedor que visa somente resultados imediatos e econômicos.  Previsões sinalizam um aumento de 40% nos lançamentos imobiliários em relação ao ano passado, totalizando 50 bilhões de reais. Enquanto a Prefeitura libera potenciais construtivos sem avaliar as condições e adensamento dos bairros como Petrópolis, Moinhos de Vento, Bela Vista, Mont Serrat e Rio Branco, dentre outros, o que vemos é um verdadeiro desmonte destes bairros.  Ruas estreitas, arborizadas com muitas casas com jardins e pátios, ou mesmo prédios com poucos andares, vão sendo substituídos por verdadeiras muralhas de concreto. Potenciais construtivos maiores em nossa cidade implicam em mais metros quadrados de área construída, muitos carros circulando e poluindo, e pouca gente. O interesse das incorporadoras e construtoras é apenas um dos interesses que compõem a Cidade. A função da Prefeitura e Câmara de Vereadores é encontrar o ponto de equilíbrio entre os distintos interesses, garantindo o interesse público coletivo.
Assistimos a descaracterização de bairros residenciais com significativa perda da qualidade de vida, da herança cultural e do patrimônio ambiental da Cidade.
É louvável o intenso plantio de mudas de árvores por parte da SMAM. Mas sabemos que grande parte delas morrem e as que sobreviverem nos trarão os mesmos benefícios daqui a 30 anos.
É preciso preservar todas as pequenas  ilhas de vegetação!
Estas levaram anos para se  consolidarem com árvores frondosas e centenárias, com ricos ecossistemas e que se sabem, insubstituíveis. Constituem-se no nosso pulmão verde e auxiliam a melhorar a qualidade do Ar, tão importante nos grandes centros urbanos.  Algumas espécies de pássaros e insetos só sobrevivem em árvores velhas e estarão condenados à extinção caso continue tal processo predatório.
Deve haver desenvolvimento econômico amparado na sustentabilidade do Meio Ambiente e na preservação da biodiversidade.
Porto Alegre está tornando-se uma cidade biocida e indo na contramão da tendência global em cuidar dos recursos naturais.
Esta Primavera foi mais silenciosa na minha rua. Muitas árvores frondosas vieram abaixo pelas mãos dos homens impiedosos.   Toda a vida que está presente nestas árvores, tombaram deixando minha janela vazia e minha rua  sem a alegria do canto dos pássaros.  Daqui para frente, só o matraquear incessante das máquinas e os caminhões com fumaça preta misturando o cimento que construirá a nova Cidade!
Elisabeth Karam Guimarães, 
  Rua Toropi, 126 – Petrópolis  Porto Alegre – RS
 
ARIE
Estou fazendo um seminário referente às Áreas de Proteção Ambiental e dentro desse tema escolhi ARIEs – Área de Relevante Interesse Ecológico, que me identifico mais. Sei que vocês têm várias matérias voltadas a esse tema. Como fazer para acessá-las? Sei que precisa ser assinante para ter acesso ao conteúdo do jornal na internet, por isto também gostaria que me enviassem uma proposta para que eu tenha a edição impressa e acesso livre ao site.
Lucas Navarro –
lucas@mlk.com.br
 
Assédio moral
Minha filha recebe a FMA e eu aproveito para ler. Fico, sempre, muito triste com as notícias de destruição e poluição que acabam comprometendo a vida do Planeta. Mas gosto muito do jornal que mostra os problemas, mas também as soluções. Tem um bom equilíbrio entre informação, desafios e curiosidades. Achei interessante a matéria sobre assédio moral. Eu própria passei por este problema.
Estou aposentada há 5 anos de uma jornada de trabalho de 30 anos num hospital. Dois anos antes, eu passei por tudo isso que está na matéria. Quando saí me fizeram uma avaliação por cima e pronto, já estava na rua. Mas antes passei na chefia-geral e contei tudo. Sofro de depressão e falta de audição no ouvido direito. Quando chega a aposentadoria não resta muita coisa para aproveitar na vida.
Glaci Oliveira – Rua Julio Bocacio, 70 – Porto Alegre – RS


Soma – Meio Ambiente
O nosso projeto de Meio Ambiente é recente. Foi criado em de 7 de julho último. Trata-se de um trabalho voluntário e sem fins lucrativos. Na medida do possível, vem desenvolvendo atividades em prol da conscientização ambiental na nossa cidade e no Estado, promovendo parcerias com os órgãos governamentais e ONGs.  Recentemente li neste conceituado jornal (ano 18, edição 185) cartas de vários pontos do País e do exterior. Como estamos precisando de endereços de  entidades para formar mais parcerias, gostaria de obter de vocês e dos leitores estes endereços, pois nossa intenção é somar esforços e trabalhar em conjunto.
João Berto Mendes – Cordenador Geral – Projeto Soma
Rua Odilon Cavalcanti, 15
  58080-500 – João Pessoa-PB


Material didático
Sou professora e estou envolvida em trabalhos de educação e conscientização ambiental e gostaria de solicitar, se possível, da redação e dos leitores algum material impresso sobre meio ambiente, reciclagem ou assuntos seme-lhantes. Edições antigas ou qualquer outro material será de grande ajuda.
Áurea Souto – Rua Peri, 35 26020-010 – Posse Nova Iguaçu RJ – aurea.souto@yahoo.com.br


Participação
Sou estudante de MBA em Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Gostaria de saber se  dentre os projetos de alguma entidade ou ONG eu poderia participar mesmo que voluntariamente de algum. Seria um estágio muito útil para mim.
Isabel Ramos – isabel.umberamos@yahoo.com.br


Mico de circo
Quem está virando mico de circo são os próprios donos de circo. Parabéns pela belíssima reportagem da edição 192 , que mostra muito bem que os bichos sofrem nas mãos do circo, do Ibama e da Justiça.
Antenor G. Vila Real –
Rio de Janeiro – RJ