Editorial

16 de fevereiro de 2012

Caro leitor

Prato feito para pressionar o Brasil na RIO+20


Os dados são oficiais e foram divulgados agora em fevereiro pelo INPE e pela ministra Izabella Teixeira, do Meio Ambiente. A sociedade brasileira tem que se indignar, pois o desmatamento não pára de crescer e está no seguinte pé:


 PANTANAL – O Pantanal é um santuário reconhecido como Patrimônio Nacional pela Constituição Federal e considerado Reserva da Biosfera e Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, além de abrigar três Sítios Ramsar, Áreas Úmidas de Importância Internacional: Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense, Reserva Particular do Patrimônio Natural Sesc Pantanal e Reserva Particular do Patrimônio Natural Fazenda Rio Negro. Até 2008, o Bioma tinha 83,20% de sua área total com cobertura vegetal remanescente. O menor dos biomas brasileiros, com 151.313 Km² de extensão, registra taxa de desmatamento acumulado de 2002 a 2009 de 15,31%, equivalente a uma área de 23.160 Km². Entre 2008-2009, perdeu 188 Km² de vegetação nativa, correspondente a 0,12% do bioma. Segundo o secretário do MMA, a taxa média atual declinou em relação ao período 2002-2008.


CERRADO – Desde a década de 70, o desmatamento no Cerrado vem seguindo em ritmo alucinante. Boa terra para plantar e para operação do maquinário agrícola, o bioma Cerrrado foi o que mais desmatou em valores absolutos entre 2008-2009: 7.637 Km².


AMAZÔNIA – O desmatamento na Floresta Amazônica é outra realidade que governo nenhum consegue cessar. Foram desmatados entre 2008-2009: 7.464 Km².


CAATINGA – Outro bioma que está sofrendo com o desmatamento é o da Caatinga.  Foram desmatados e 200-2009 nada menos que 1.921 Km².


PAMPA – Entre 2008-2009, o Bioma perdeu 331 Km² de área com a supressão de vegetação nativa, equivalente a taxa de 0,18%. Dos seus 177.767 Km², o Pampa teve quase 54% de área original suprimida ao longo de sua ocupação histórica. Entre 2002 e 2008, foram perdidos 2.183 Km², que equivale a 1,2% do bioma, ou 0,2% de taxa média anual de desmatamento. Alegrete, na fronteira do RS, foi o município que mais desmatou neste período em números absolutos, sendo 51,93 Km² equivalentes a 0,67% da área do município.


MATA ATLÂNTICA – A área desmatada corresponde a 248 Km² no período 2008-2009, representando 0,02 % de perda da cobertura vegetal dentro do Bioma. A Mata Atlântica registrou a menor taxa de desmatamento entre os biomas brasileiros no período de 2008-2009. Dos estados cobertos pela Mata Atlântica, Minas Gerais foi o que mais desmatou, em números absolutos, entre 2008-2009, com supressão de 115,8 Km² de vegetação nativa.


É importante salientar que atrás do desmatamento vem outras formas de destruição e de poluição: CO2 na atmosfera, fauna dizimada, índios em perigo, erosão genética das plantas, extrativistivismo em perigo,  assoreamento dos rios, solos degradados e muita erosão.
Taí um prato feito para pressionar e questionar o Brasil na RIO+20.


silvestre@folhadomeio.com.br