Empresas & Meio Ambiente

12 de abril de 2004

VolkswagenEntra agora nesse ano em operação na fábrica da Volkswagen, em Taubaté, SP, um equipamento para tratamento de gases, limpeza do ar e exaustão de estufas de pintura. A Volks está investindo R$ 11 milhões na aquisição dessa tecnologia, fornecida pela Haden (britânica) e pela Dürr (alemã). Com esse controle ambiental, reduz-se em 75% a… Ver artigo

Volkswagen
Entra agora nesse ano em operação na fábrica da Volkswagen, em Taubaté, SP, um equipamento para tratamento de gases, limpeza do ar e exaustão de estufas de pintura. A Volks está investindo R$ 11 milhões na aquisição dessa tecnologia, fornecida pela Haden (britânica) e pela Dürr (alemã). Com esse controle ambiental, reduz-se em 75% a emissão de partículas (tinta) elimina-se mais de 97% dos compostos voláteis (cheiro da tinta).
O complexo abre caminho para a conquista do certificado de qualidade ambiental (ISO 14002) pela fábrica e sua implantação exigirá a instalação de um conjunto de outros equipamentos e obras civis, que incluem até a instalação de incinerador com cerca de 8 metros de diâmetro.
Gás natural – Desde o início deste ano, a fábrica da Volks, em Taubaté, está usando o gás natural como fonte de energia, em substituição ao óleo combustível.
Água limpa – Além de zelar pela qualidade do ar, a Volks tem todo cuidado com o tratamento de efluentes. Toda água passa por rigoroso tratamento físico, químico e biológico. Em julho de 1999, a fábrica começou a operar com uma estação de reciclagem de água ativada por energia solar.
Mais informações:  (11) 753-5407 
e Márcio Lima (16) 2631180


Beach Tech
A sujeira nas praias, além de ameaçar o mar, os rios, e os peixes, ameaça também a saúde dos banhistas, os grandes responsáveis por essa prática de falta de civilidade. Por mais que as campanhas procurem conscientizar os freqüentadores para a poluição das praias, é incrível que muitas pessoas não liguem para o assunto, jogando comida, cigarro, latinhas e plásticos nas praias. A limpeza é sempre demorada e cara, limpando apenas a superfície. Acaba de chegar ao Brasil os equipamentos Beach Tech, fabricados na Alemanha, que são capazes de limpar mais do que o tamanho equivalente a um campo de futebol por hora, atingindo qualquer detrito a até 20 cm de profundidade. Vantagens:
=Raios ultra-violeta destroem as bactérias indesejáveis
=Possui esteira-peneira que separa automaticamente a sujeira da areia
=Tem proteção contra corrosão e baixo nível de ruído
Existem três modelos disponíveis e o menor pode ser conduzido por uma pessoa, como um cortador de grama. Tem modelo motorizado com velocidade de até 6 km/hora, ideal para clube particulares e hotéis resorts à beira mar.
Mais informações: 
fabricante: Kassboherer G. GmbH (Alemanha)
Representante no Brasil: IESC – Rua Corveta Camacuã, 235 SP Tel/fax: (11) 37440278
E-mail: iesc@ibm.net


Motorola 14000
Depois de promover uma rigorosa alteração de seu sistema de gestão ambiental, a Motorola do Brasil recebeu o certificado da ISO 14001. A avaliação foi realizada pelo British Standarts Institute (BSI).
Para Bill Griffin, Diretor de Manufatura do Campus Industrial e Tecnológico de Jaguariúna,  “uma das principais preocupações da Motorola é o bem estar da comunidade e a satisfação de seus clientes, além de aumentar a consciência ambiental de funcionários e parceiros”.
Para continuar oferecendo a garantia dos certificados conquistados, a cada seis meses a Motorola receberá a visita dos profissionais da BSI.
Mais informações: (11) 30305000 (19) 847-6000
Gazeta Mercantil
O mercado ambiental brasileiro é o maior da América Latina e recebeu mais de US$ 2 bi em investimento em 1997. Especialistas do setor estimam que o crescimento desse mercado, nos próximos 3 anos, deva ficar em torno de 8%. Também é crescente o número de empresas empenhadas em adquirir o certificado de gestão ambiental ISO 14000. O fato é que as empresas descobriram que é bom investir em meio ambiente e que vale muito, hoje, o conceito de ecoeficiência. Mais do que marketing é condição de sucesso perante a comunidade, os clientes, fornecedores e os próprios funcionários. Negócio moderno tem que dar lucro para a empresa e para a sociedade.
Com a participação de empresários, cientistas e autoridades, a Gazeta Mercantil e o site Ambiente Global promovem o Seminário Desenvolvimento Sustentável: Gestão e Negócios, a realizar-se no dia 24 de fevereiro, no Centro de Convenções da Gazeta Mercantil, em São Paulo.
Mais informações: (11) 547-3888
E-mail: cmeneghe@gazetamercantil.com.br


FORD ambiental
A Ford plantou, em 1996, o Prêmio Henry Ford de Conservação Ambiental. E todo ano colhe uma safra de elogios e reconhecimento público pela iniciativa. O Prêmio Ford reconhece os trabalhos mais importantes de preservação ambiental desenvolvidos. No Brasil, a iniciativa premia quatro categorias: Individual (quem ganhou foi Maria Teresa Pádua); Ciência e formação em Recursos Humanos (ganho pelo Museu de Biologia Prof. Mello Leitão); Negócios (Agência Mata’Dentro Ecoturismo); e Iniciativa do Ano (que quem faturou foi o Instituto Virtual da Biodiversidade). O Prêmio foi entregue no final do ano passado, em Recife, com a presença do Ministro Sarney Filho, do Meio Ambiente, e do Diretor de Estratégias de Meio Ambiente da Ford Motor Company, Andy Acho. O presidente da Ford do Brasil, Antônio Maciel Neto, reconhece a importância da inciativa e constata que em 99 teve um recorde de inscritos no Brasil: 100 projetos desenvolvidos. Espera muito mais inscrições para 2000.
Mais informações:  (11) 754-9585 ou Internet: www.ford.com.br/novidades


Cataguazes-Leopoldina
Para o presidente da Cia Força e Luz Cataguazes-Leopoldina, Ivan Botelho, a Usina Maurício, inaugurada em 1908, é símbolo da parceria da empresa com a natureza. Além de ser a sede do Museu Vivo da Eletricidade, a Usina Maurício teve a sua área florestal transformada em RPPN (Reserva do Patrimônio Particular Natural) onde está preservada sua fauna e flora numa  exuberante reserva da Mata Atlântica. O local se tornou um dos últimos refúgios do Gavião Real e abriga também preguiças, macacos, o lobo guará, jaguatirica e vários outros animais, devidamente cadastrados pela empresa. “Nós assumimos um compromisso com o desenvolvimento sustentável das regiões onde atuamos. Isso significa harmonizar o crescimento econômico com a preservação de nossa natureza”, salienta Ivan Botelho.
Para o Ano 2000, a Cataguazes-Leopoldina produziu um belo calendário, onde o gravurista e professor da Escola Guignard da UFMG, Paulo Roberto Lisboa, retratou com a competência de sua pena a beleza das várias espécies encontradas na RPPN da Usina Maurício.
Mais informações: Cia Força e Luz Cataguazes-Leopoldina – fone: (32) 422-0196
CATAGUAZES, MG
Aracruz Celulose
A Aracruz Celulose tem planos para construir nova unidade industrial. As obras devem começar em março e a nova planta ficará pronta em 2002. Com investimento de US$ 700 milhões, a Aracruz Celulose vai aumentar sua produção em 700 mil toneladas anuais. A meta é chegar a 2 milhões de toneladas ano. Com esse propósito, a empresa já deu entrada no pedido de licenciamento ambiental. A Aracruz Celulose dispõe de 133 mil hectares no Espírito Santo para implantar a nova unidade e tem grandes plantios de eucaliptos no sul da Bahia. A preocupação da Aracruz é evitar os problemas que teve nos anos 80, com a primeira expansão industrial, quando foi tremendamente fustigada por ambientalistas contrários ao cultivo de eucalipto.


Ping-Pong
=GM – A General Motors fez reflorestamento com plantio de árvores de macadâmias no Campo de Provas Cruz Alta, em Indaiabuba (SP). Foram plantadas 10 mil árvores da noz, em uma área de 60 hectares.
=SAÚDE – O Banco Mundial aprovou empréstimo US$ 30 milhões para ampliar serviços de saneamento de tratamento de água no Brasil. Para Gobind Nankani,  Diretor do BIRD, as pessoas de baixa renda ainda não têm acesso aos serviços de esgoto e tratamento de água e o empréstimo será importante para melhorar a qualidade de vida dessa gente.
=PAPELCARTÃO 1 – Com o objetivo de identificar os produtos em papelcartão de empresas preocupadas com o meio ambiente, foi criado um selo para identificar embalagens ecologicamente corretas. Segundo o presidente do Comitê da Campanha do Papelcartão, Edgard Avezum Jr. para usar o selo é necessário que a empresa assuma um termo de responsabilidade ética em relação ao meio ambiente.
=PAPELCARTÃO 2 – Respeitar a legislação ambiental e não empregar mão-de-obra infantil são condições essenciais para ter o selo. A campanha é liderada pela Suzano, Ripasa, Papirus, Ibema, Miguel Forte, Nobrecel e Klabim. Mais detalhes é só ligar para (11) 549-3707 / 5081-3468.
=GRADIENTE – A Gradiente Eletrônica recebeu recomendação para certificado ISO 14000. É a primeira empresas nacional, não governamental, a receber o certificado na Zona Franca de Manaus. 
=NOVA DUTRA – O Ministro Sarney Filho, do Meio Ambiente, reforçou o pedido de inquérito da prefeitura de Resende (RJ) contra a concessionária da Via Dutra, por causa de danos causados pela rodovia ao meio ambiente e à saúde da população. Motivos: falta de medidas para contenção de encostas, prevenção de queimadas e incêndios e replantio de árvores em áreas devastadas por obras.



“Não se conquista a riqueza
aperfeiçoando-se
o que já é conhecido,
mas agarrando-se de forma
imperfeita ao desconhecido”.
Do Cartão de Natal do empresário José Carlos Pedreira de Freitas, citando Kevin Kelly.


Silvestre Gorgulho
sgorgulh@zaz.com.br

Empresas & Meio Ambiente

6 de abril de 2004

Volks/Audi =O tratamento de efluentes é de suma importância nas indústrias modernas. A fábrica da Volkswagen/Audi, em São José dos Pinhais (PR) investiu US$ 2 milhões em equipamentos para tratamento de efluentes. A estação, com capacidade de 100 m3/h, trata o esgoto industrial e sanitário da fábrica, além dos efluentes sanitários das 13 empresas fornecedoras… Ver artigo

Volks/Audi
=O tratamento de efluentes é de suma importância nas indústrias modernas. A fábrica da Volkswagen/Audi, em São José dos Pinhais (PR) investiu US$ 2 milhões em equipamentos para tratamento de efluentes. A estação, com capacidade de 100 m3/h, trata o esgoto industrial e sanitário da fábrica, além dos efluentes sanitários das 13 empresas fornecedoras instaladas no terreno da montadora.
=A fábrica busca a norma ISO 14000, por isso foi concebida e projetada para não causar danos ao ambiente, além de oferecer um sistema de gestão ambiental. O sistema de pintura é à base de água,  que reduz em 60% o volume de solventes utilizados no processo.
=Também são isentas de solventes as borrachas e colas usadas na montagem dos automóveis.
Fone: (41) 381-3542 – fax: (41) 381-3548  Estrada PR 25 km 6,75 – Cep: 83183-000  S. José dos Pinhais, PR

Delboni Auriemo
=No Brasil, bem poucos hospitais e municípios estão preocupados com o gravíssimo destino dado aos resíduos hospitalares. A grande maioria dos laboratórios e hospitais desconhecem os procedimentos corretos para esterilizar, armazenar e destruir o lixo. O laboratório Delboni Auriemo de análises clínicas faz o tratamento completo do lixo, antes de colocá-lo em um aterro sanitário.
=O laboratório investiu cerca de US$ 250 mil na construção de uma miniusina de tratamento de lixo, no Núcleo Tecnológico Operacional, em Alphaville, SP, que é responsável pela esterilização diária de 2 mil litros de resíduos.
=Segundo Maurício Viécili, Superintendente do Delboni Auriemo, a tendência mundial é de que os resíduos perigosos sejam tratados pela própria fonte produtora, tirando a preocupação das prefeituras.
=A próxima etapa do laboratório paulista é a implantação de equipamentos de trituração e compactação dos resíduos para produção de blocos e tijolos que terão destino social.
Telefax: (11) 7295-3008 – Av. Juruá, 434 – Alphaville/SP

IPAR
=A IPAR – Recicladora de Papel Ararense – fecha o ano com receitas de R$ 28 milhões, desempenho 75% maior do que no ano passado. Cerca de 50% desse crescimento é creditado à produção e comercialização do Kaeté, papel reciclado para finalidades nobres. Para Liana Baggio, diretora da IPAR, antes do Kaeté, os consumidores recorriam a produtores artesanais, cujo custo é alto comparado à fabricação em escala.
=A demanda do produto já atingiu o Mercosul e atende empresas como a Fiat, Volkswagen, Boticário, HSBC e Mac Donalds. "Descobrimos um nicho de mercado moderno e integrado às aspirações de preservação ambiental que a sociedade tem hoje", diz Liana Baggio.
=Cada tonelada de papel que é reciclada evita que 25 árvores sejam derrubadas.
Fone: (19) 541-2322  fax: (19) 5417535 
email: ipar@siteplanet.com.br

Mercedes-Benz
=A Alemanha assumiu a dianteira do desenvolvimento da tecnologia limpa e da preservação ambiental. A Mercedes-Benz não podia ficar atrás, por isso tem se preocupado com a causa ambiental há muito tempo. Lá e cá. Em São Bernardo, Campinas e Juiz de Fora, a Mercedes-Bens está investindo, nestes últimos 3 anos, cerca de R$ 16 milhões na implantação do Sistema de Gerenciamento Ambiental.
=Desde 1998, a empresa faz Coletiva Seletiva e Reciclagem de Materiais, recolhendo mais de 100 ton/mês entre papel, plástico e vidro; cartuchos e tonners de impressoras recebem tratamentos diferenciados; há uma forte campanha "Diga Não ao Desperdício";
=Agora a Mercedes-Benz expande seus programas ambientais: com base na Lei da Natureza, a empresa está realizando auditorias ambientais em seus fornecedores. Dos 3.000 fornecedores da Mercedes, pelo menos 400 serão auditados.
Fone: SP (11) 758-7574 Juiz de Fora (32) 219-2013 – fax: SP (11) 758-7420  Juiz de Fora (32) 219-2003

TOP ECOLOGIA '99
Em solenidade realizada no Memorial da América Latina, dia 14 de dezembro, a Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing – ADVB premiou as empresas que investiram em desenvolvimento sustentável. Elas procuraram garantir o crescimento econômico em consonância com o meio ambiente. Entre os 19 cases apresentados, estes foram os vencedores do TOP Ecologia 1999:
=Fundação Bradesco – "Boto em Perigo"
=Van den Bergh/Michelon – Case: "Carretas ECO"
=Solvay Indupa – Case: "A Excelência Ambiental em 7 Passos"
=Governo da Bahia/Conder – Case: "Projeto Metropolitano"
=Eletropaulo – Case: "Verde também é Energia"
ADVB: Telefax (11) 3021-6684 / 9516 
 
Helamin
=Recém instalada no País, a Helamin do Brasil inicia operação com sistema de tratamento de águas industriais não agressivas ao ambiente. O sistema Helamin de tratamento biodegradável de águas de caldeiras e circuitos de resfriamento começa a ser oferecido às indústrias interessadas na redução dos riscos à saúde do trabalhador, danos ambientais e do custo de manutenção e operação industrial.
=Os meios convencionais usados até agora no Brasil são à base de aplicação direta de produtos químicos como hidrazina (que é cancerígeno) e fosfatos (que são responsáveis pela deterioração de veios d'água pela proliferação de algas).
=O sistema Helamin, desenvolvido pelo químico Anton Graf, encontrou há 25 anos um meio não agressivo ao ser humano e ao ambiente. Esse sistema de tratamento de águas industriais é um inibidor de corrosão e crostas compatível com o meio ambiente.
Telefax (11) 8280701/9301  www.helamin.com
 
Ping-pong
= O consumo de fertilizantes no mundo subiu de 12 para 80 milhões de ton/ano nas últimas três décadas.
= Os aspectos econômicos na gestão do Ecoturismo: a adaptação das fazendas para atividades turísticas; o mercado do ecoturismo; treinamento e capacitação de pessoal e um grande fórum de investimento no setor, tudo isto estará no Seminário World Ecotour 2000, a ser realizado em Salvador, de 5 a 8 de abril.
= Desde 1970, o consumo mundial de pescados triplicou. Cerca de 60% dos estoques pesqueiros estão sendo explorados no limite do excesso.
= A Rodada do Milênio foi, na verdade, a Roubada do Milênio. Seattle, não a cidade mas o velho Chefe Pele Vermelha, deve ter dado sua força para que o comércio mundial respeite mais o meio ambiente.

"Nenhuma folha seca cai, sem que tenha conseqüências eternas".
Cacique Seattle

Silvestre Gorgulho – sgorgulh@zaz.com.br

Empresas e Meio ambiente

Selo Ruído: Inmetro/Ibama começam exigência

25 de março de 2004

Joel Bastos, presidente do CEMPRE e Gerente de Meio Ambiente da Coca-Cola    Agora é para valer: todos os liquidificadores (nacionais e importados) comercializados no Brasil devem ter nas embalagens o Selo Ruído. Esse selo demonstra os níveis acústicos do aparelho em funcionamento. Cada marca tem um nível diferente para a escolha final do consumidor…. Ver artigo


Joel Bastos, presidente do CEMPRE e Gerente de Meio Ambiente da Coca-Cola


   Agora é para valer: todos os liquidificadores (nacionais e importados) comercializados no Brasil devem ter nas embalagens o Selo Ruído. Esse selo demonstra os níveis acústicos do aparelho em funcionamento. Cada marca tem um nível diferente para a escolha final do consumidor.




  • Explica a coordenadora do Programa Silêncio do Ibama, Silvânia Medeiros Gonçalves, que agora as indústrias devem respeitar os consumidores, dando-lhes o conforto acústico doméstico.



  • E atenção montadoras: vem aí também o Selo Ruído para automóveis. O objetivo do CONAMA é reduzir para 74 decibéis o limite máximo de ruído dos carros brasileiros. Aliás, esse é o limite para os carros europeus.



  • A verdade é que quando um país adota mecanismos para reduzir a poluição sonora, está incentivando a fabricação de produtos mais adequados ao conforto e bem-estar. E a poluição sonora é a terceira maior poluição do ambiente, segundo a OMS. Menor apenas que a da água e do ar.


Mais informações: (61) 316-1332


Eucatex faz parceria com ONG e Ibama




  • Deram-se as mãos a Eucatex, o Ibama e a Associação Pró-Carnívoros, uma ONG cuja especialidade é pesquisar e preservar as condições de vida dos animais carnívoros, como onças, jaguatiricas, guaxinim, lobos e seus habitats naturais.



  • A Eucatex – uma das maiores fabricantes de produtos para os segmentos da construção civil e indústria moveleira – quer reforçar sua política de responsabilidade social. 



  • A partir de agora, explica o presidente da Eucatex, Flávio Maluf, todos os nossos produtos receberão um selo de identificação do Ibama e da Associação PróCarnívoros, orientando clientes e consumidores na colaboração com essas entidades. “Somos uma empresa preocupada com excelência da qualidade de vida no Planeta”, salienta.


ABCP: ambiente ganha com estradas de concreto




  • A Associação Brasileira de Cimento Portland, uma entidade de pesquisa mantida pela indústria de cimento, tem um grupo de engenheiros, geólogos e arquitetos que trabalham buscando vantagens ambientais dos produtos à base de cimento. Uma das experiências foi a pavimentação de rodovias com concreto no lugar de asfalto. Algumas vantagens encontradas:


1. Experiências realizadas pelo programa Cool Communities, dos EUA, mostram que esse tipo de superfície gera menos aquecimento atmosférico do que os revestimentos asfálticos
2. Por serem mais claros, os pavimentos de concreto exigem menos iluminação, com menor consumo de energia. 
3. Esse revestimento, segundo a ABCP, é mais durável, demandando menos manutenção.
4. Por fim, como o concreto é inteiramente composto de minerais inertes, quando houver necessidade de demolição, todo o resíduo gerado poderá ser reciclado em novos pavimentos.




  • O grupo de trabalho da ABCP aponta também aplicações de concreto e argamassas no controle de problemas ambientais, como o envelopamento de resíduos tóxicos e radiativos com concreto, construção de barreiras acústicas em rodovias, isolamento de mananciais contra resíduos tóxicos e inúmeras outras aplicações. A formação do grupo foi inspirada em ações de entidades internacionais, como o Cembureau, da Europa, e o Environmental Council AOS Concrete Organization, dos EUA.


Mais informações: 
fone (11) 3760-5300 e fax: (11) 3760-5370
Av. Torres de Oliveira, 76 Cep: 05347-902 São Paulo,SP


Ação do SEBRAE busca respeito ao meio ambiente




  • O Sebrae, em vários estados, está ministrando cursos de sensibilização e capacitação, ensinando empresários a aumentar os lucros, conservando energia e ampliando possibilidades de negócios com reciclagem e uso correto de recursos naturais. 



  • O objetivo desses cursos, é divulgar a campanha os 5 que são mais: menos água, mais produtividade; 2) menos energia, mais lucro; 3) menos matéria-prima, mais competitividade; 4) menos lixo, mais satisfação do consumidor; 5) menos poluição, mais qualidade ambiental.



  • O lucro é bom e conseguir o lucro ambientalmente correto é muito melhor.


Água subterrânea: Unesp alerta para contaminação




  • O homem explora, usa e abusa. As conseqüências de tantas intervenções não tardam a chegar. Veja o caso da água potável que, apesar de abundante na natureza, está se tornando um bem escasso. E o mesmo está acontecendo com os lençóis freáticos. Tese desenvolvida pelo professor Carlos Toledo Franco de Godoy, da Faculdade de Ciência e Tecnologia da UNESP (campus de Presidente Prudente) mostra como os reservatórios são vulneráveis à contaminação.



  • O professor Carlos Godoy estudou uma área de 250.540 m2 na região de Presidente Prudente e as análises químicas revelaram: os resíduos de nitrato são muito superiores ao permitido para uma água considerada potável; foram detectados a presença de cloro e sódio em quantidades indicativas de contaminação. O nitrato é proveniente do esgoto e do chorume derivado do lixo.



  • O professor Godoy alerta que, para enfrentar os problemas focalizados em sua tese, existem medidas preventivas, tanto na forma de legislação no que diz respeito à disposição dos resíduos tóxicos e ao aproveitamento dos recursos da água subterrânea.



  • Num país onde o Estado não tem controle sobre construção de poços artesianos, onde os lixões se proliferam e onde o tratamento do esgoto é precaríssimo, a solução fica difícil. E ela depende sempre de uma ação mais efetiva do poder público.


Mais informações: 
Faculdade de Ciência e Tecnologia – Unesp
fone: (18) 2215388 ramal 476
celular (18) 9722771


Ibama padroniza transporte de produtos nucleares




  • O licenciamento para transporte de produtos nucleares radioativos será padronizado pelo Ibama para vigorar em todo o país a partir de maio.



  • As ações terão caráter preventivo para garantir os mínimos riscos à população e ao meio ambiente até a carga chegar ao destino. Um Termo de Referência Padrão para o licenciamento desse tipo de transporte, incluindo rotas e riscos potenciais de cada produto deverá estar concluído até o final do mês. 



  • Pelas novas regras, os pedidos deverão ser encaminhados diretamente ao Ibama, que os enviará para análise dos órgãos ambientais estaduais e só, então, será emitido um parecer definitivo aos interessados. Um mapa de riscos definindo as rotas menos perigosas para transporte de cada tipo de produto nuclear radioativo está sendo elaborado pelo Ibama com a ajuda dos estados. Hoje, toda carga oficial desses produtos só entra no país com um certificado de segurança internacional na embalagem. 


Mais informações: Ibama – Brasília-DF Fones: (61) 316-1015 Fax: (61) 3221827


Ping-pong




  • ECOFUTURO – Novo instituto na praça: sem fins lucrativos, a Suzano – que há 75 anos opera nas áreas de papel e petroquímica – criou o Instituto Ecofuturo que tem por objetivo buscar o desenvolvimento sustentável. 


Fone: (11) 817-0592




  • LIXO – Será realizado em São Paulo, dia 23 de maio, o “Seminário Lixo Municipal – Gerenciamento Integrado”, patrocinado pelo CEMPRE e IPT. Será debatido o panorama geral sobre o Lixo Municipal no Brasil e no mundo e vários projetos de coleta seletiva, aterro sanitário, compostagem e cooperativa de catadores de lixo serão apresentados. 


Informações: (11) 5182-6544/ 6543 e (11) 3767-4449 




  • SENHA – A senha do computador está literalmente nas mãos de cada usuário. Em São Paulo, a NS Micro, lançou no mercado o “U are U” (em inglês, você é você). O programa promete acabar com o problema de senha, pois transforma a impressão digital do usuário em uma senha pessoal de acesso. A chance de uma pessoa ter impressão digital igual à outra é de uma em 64 milhões. Preço do programa US$ 350. 


Mais informações: (11) 3061-5433




  • Amianto – O CONAMA criou um grupo de trabalho para discutir o banimento do amianto, mineral de larga aplicação na construção civil e de comprovado efeito negativo sobre o organismo humano. A maior polêmica é sobre a data em que a indústria brasileira deixará de utilizar o amianto. O ministro Sarney Filho informou que a expectativa é de que até 2005 o amianto não seja mais utilizado na fabricação de produtos como telhas, caixas d’água e tubulações.


Silvestre Gorgulho – sgorgulh@terra.com.br

Empresas & Meio Ambiente

Banco do Brasil

25 de março de 2004

Antes eles eram excluídos, hoje são clientes preferenciais. O Banco do Brasil garante que vai facilitar empréstimos para que os agricultores façam opção pelo cultivo de produtos sem agrotóxicos. Essa facilidade levou o mercado a perceber que os produtores que cultivam alimentos sem o uso de defensivos químicos viraram estrelas do agrobusiness. Tanto assim que… Ver artigo


Antes eles eram excluídos, hoje são clientes preferenciais. O Banco do Brasil garante que vai facilitar empréstimos para que os agricultores façam opção pelo cultivo de produtos sem agrotóxicos. Essa facilidade levou o mercado a perceber que os produtores que cultivam alimentos sem o uso de defensivos químicos viraram estrelas do agrobusiness. Tanto assim que começam a ter tratamento diferenciado no sistema de crédito financeiro.
BB é o primeiro a apostar no segmento e vai oferecer atendimento especial para quem optou por esse tipo de agricultura. Veja como a realidade hoje é outra, pois há alguns meses atrás os agricultores mal conseguiam explicar aos gerentes o que era um cultivo orgânico. E por que a mudança? Simples, porque vários estudos apontam que a agricultura sem agrotóxico tem um potencial de crescimento que impressiona o mais incrédulo apostador da bolsa de valores. E mais: o Centro Comercial Internacional (da OMC) estima que esse segmento deve movimentar cerca de US$ 20 bi nos mercados japonês, europeu e norte-americano só nesse ano.
Resumindo a história: a boa vontade significa mais do que amor ao meio ambiente. Significa que o maior banco agrícola do Brasil sabe que a carência de alimentos orgânicos gira em torno de 25% e que produtos sem agrotóxicos têm mercado garantido, ou seja, o risco de calote é muito menor.


ACESITA investe em educação ambiental
= Esse é um trabalho fruto de parceria com a superintendência regional de ensino e o Instituto Católico de Minas Gerais: a Acesita está reciclando professores para melhorar o nível da educação ambiental.
= A jornada de trabalho consta de uma grande conferência, quatro minicursos e sete oficinas, com atividades aplicadas à escola.
= Para Maurício Ferreira, Gerente do Departamento de Meio Ambiente da Acesita, ” o objetivo é difundir metodologias, técnicas e recursos instrucionais para a aplicação na educação ambiental.


Bill Gates doa dólares para diminuir doenças
= O dono da Microsoft revoluciona não só a nova economia como o próprio conceito de empresa cidadã. O bilionário Bill Gates doou US$ 750 milhões para estabelecer um fundo de luta contra doenças evitáveis, como pólio, desinteria, tuberculose, coqueluche, sarampo e tétano.
= O fundo faz parte da Aliança Global para Vacinação e Imunização e foi lançado no Fórum Mundial de Economia, em Davos, por um grupo de líderes empresariais, bancos e fundações e agências da própria ONU.
= A idéia é cuidar da saúde do mundo. Para o presidente do Banco Mundial, James Wolfenshon, “doenças são uma das causas primárias para uma família cair na pobreza. Se a globalização deve funcionar, então deve servir para as crianças do mundo todo. Pela OMS cerca de 30 milhões de crianças nascidas a cada ano em países pobres não recebem essas vacinas.


MONSANTO ganha
certificado ambiental
= A Monsanto do Brasil acaba de receber duas certificações de reconhecimento à sua política ambiental e de segurança/saúde de funcionários: a ISO 14000, de gestão ambiental, e a BS 8800, referentes à segurança e saúde do trabalhador.
= A ISO 14000 foi concedida pela Environmental Resources Management Consulting and Verification Service, da Inglaterra.
= A empresa foi reconhecida pelo trabalho desenvolvido no seu complexo industrial, localizado em São José dos Campos-SP, onde são produzidos os herbicidas da linha Roundup e outros insumos químicos.
= Pedro Tagliari, diretor da unidade da Monsanto, disse que a adesão voluntária às normas ambientais demonstra o comprometimento com as condições do planeta e do desenvolvimento sustentável e “esse certificado só é dado realmente às empresas que tem preocupação com as questões ambientais”.


Gradiente lança projeto para recolher baterias
= A Gradiente Telecom, única fabricante nacional de telefones móveis, está investindo R$ 1 milhão em uma campanha pioneira entre as empresas do setor para reco           lher as baterias de celular da marca Gradiente que ficam fora de uso.
= Para tornar esse serviço acessível e disponível em todo o país, a Gradiente fechou uma parceria com os Correios. Envelopes especiais com porte pago e proteção interna podem ser encontrados nos principais pontos de venda e assistências técnicas Gradiente.
= O processo é simples e segundo o diretor-geral da Gradiente Telecon, Sidnei Brandão, “o consumidor retira o envelope nos pontos de venda, preenche seus dados, coloca a bateria inutilizada e entrega em qualquer agência dos Correios”.
= Hoje o Brasil já possui cerca de 23 milhões de baterias de celular e esse é um produto tóxico que pode contaminar as pessoas, o solo e até o lençol freático.
= A reciclagem e a reutilização dos componentes das baterias visa justamente neutralizar a contaminação pelas substâncias tóxicas. A bateria de celular, segundo Sidnei Brandão, é como uma pilha envolvida em uma embalagem plástica. Por meio de um processo de moagem, o plástico é separado de seu conteúdo interno e derretido para uso posterior. E os componentes que podem ser lítio íon, níquel metal hidreto ou cádmio, as células energéticas passam por um aquecimento, fundição e, finalmente, por meio de um processo químico, são separadas para que voltem ao seu estado primário.
= Não existem empresas de reciclagem de bateria no Brasil. Entre os países que já estão adotando este procedimento de baterias estão os Estados Unidos, Canadá, Japão e França.
Mais informações: (11) 814-8222


Fórum Brasil-Alemanha de Tecnologias ambientais
= A Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha realiza do dia 2 a 5 de maio, em Belo Horizonte, o Fórum de Tecnologias Ambientais. Esse é o mais importante encontro entre empresários e especialistas do setor ambiental dos dois países.
= Finalidade do Fórum: discutir as soluções para problemas ambientais urbano-industriais no Brasil, além de apresentar as novas tecnologias alemãs.
= Temas: processamento e tratamento de resíduos e efluentes industriais e sistemas eficientes de custo acessível e ecologicamente viáveis para a solução dos problemas do lixo urbano.
Mais informações: Ricardo Rose (11) 5181-0577
3M: gestão ambiental dá economia de US$ 810 mi
= Os números estão contabilizados: em 25 anos, a 3M deixou de despejar 270 mil toneladas de poluentes na atmosfera e 30 mil toneladas de efluentes nos rios. E foi justamente combatendo a poluição nos 60 países onde atua que a empresa conseguiu economizar US$ 810 milhões desde 1975.
= Para se ter uma idéia desse montante, vale lembrar que o valor daria para cobrir duas vezes e meia o faturamento das três fábricas da  3M no Brasil: em Sumaré, Itapetinga e Ribeirão Preto.
= Para o Diretor de Tecnologia da 3M do Brasil, Er de Oliveira, o grande desafio é mostrar que a prevenção da poluição tem um retorno, além de marketing e imagem, também financeiro.


Ping-Pong
= ALCOA – Anualmente, desde 1993, a Alcoa  premia as melhores realizações nas áreas do Meio Ambiente, Saúde e Segurança em suas quase 200 fábricas espalhadas no mundo. Em 1999, dos seis projetos vencedores, dois foram realizados por unidades brasileiras: o “Projeto Plantio de Árvores da Alcoa Alumínio” que objetiva plantar um milhão de árvores até 2008 e “A Excelência em Mineração” da Alcoa Poços de Caldas. Mais informações: (11) 3741-6869
= LIXO – Depois do desastre do derramamento de óleo na Baía de Guanabara, a Petrobras contratou uma empresa para fazer a reciclagem de todo o lixo recolhido nas praias. Em um mês, a coleta do material chegou a 6.841 toneladas de detritos das praias das ilhas de Paquetá, do Governador e Magé. O bicho homem é mesmo um desastrado com seu meio ambiente. Mais informações: (21) 534-2204
= DENGUE – Estados Unidos e Brasil assinaram convênio para acordo de pesquisa para controle biológico do mosquito da dengue. A dengue está espalhada no Brasil e Paraguai. Cientistas da Flórida usam um agente de controle biológico chamado Edhazardia aedis, um protozoário que infecta somente a larva do mosquito Aedes Aegypti e não causa danos a outros insetos, animais e plantas.
= CLEAN – Seminário promovido pela Getúlio Vargas SP vai discutir políticas ambientais nos setores ligados a açúcar e álcool, em parceria com a Usaid. O objetivo do seminário é informar os empresários sobre as vantagens da implementação do CDM – Clean Development Mechanism  – sistema que previne contra o efeito estufa e pode atrair recursos de países do primeiro mundo. O evento será dia 7 de abril.
= LUZ VERMELHA – Alerta máximo para as lagoas na  Barra da Tijuca. Todas as cinco lagoas (Jacarepaguá, Camorim, Marapendi e Lagoínha) estão no limite máximo de despejo desordenado de esgoto in natura. Coitadas, vão acabar igualzinho à Lagoa Rodrigo de Freitas. Todas fedendo e mortas. É ação do Homem que dizem ser inteligente, mas gosta de sujar a própria cama onde dorme…
= OLHO VIVO – Os empresários estão aprendendo que vale a pena contratar auditorias para avaliar os passivos ambientais, antes de investir em novas unidades. O CONAMA está atento e, sobretudo, está aprendendo a usar a Lei contra os Crimes Ambientais.


“Se a água tivesse que ter sido inventada, jamais seria pelo peixe. Vê melhor quem está de fora e não quem está mergulhado no problema”
Provérbio chinês

Empresas & Meio Ambiente

Trem das Águas e o Ecoturismo em S. Lourenço

24 de março de 2004

Principal cidade do Circuito das Águas, no sul de Minas, São Lourenço oferece mais um belo atrativo turístico-cultural aos seus visitantes: o Trem das Águas. O projeto foi desenvolvido pela ONG Terra das Águas – Movimento Viva São Lourenço Viva, em parceria com a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária e a prefeitura de Soledade de… Ver artigo




  • Principal cidade do Circuito das Águas, no sul de Minas, São Lourenço oferece mais um belo atrativo turístico-cultural aos seus visitantes: o Trem das Águas.



  • O projeto foi desenvolvido pela ONG Terra das Águas – Movimento Viva São Lourenço Viva, em parceria com a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária e a prefeitura de Soledade de Minas, que há 25 anos era um dos mais importantes entroncamentos da Rede Ferroviária Federal. Mais de 90% da população de Soledade são ex-ferroviários. 



  • O trem turístico, uma Maria Fumaça de fabricação americana do início do século, faz o trajeto pelo vale do Rio Verde, entre as duas cidades, puxando 4 vagões de passageiros e um vagão-lanchonete.



  • A região é fantástica para o turismo rural e para o ecoturismo. As antigas estações de São Lourenço e Soledade, além de atenderem os passageiros, passam a ser também centros de artesanato.



  • No projeto completo, o Trem das Águas pretende chegar até a cidade de Cruzeiro, em S. Paulo, passando por S. Sebastião do Rio Verde, Itanhandu e Passa Quatro. O trem atravessará o túnel da Serra da Mantiqueira, de 998 metros, inaugurado por D. Pedro II, local onde o então capitão-médico Juscelino Kubitschek serviu as forças mineiras da Revolução Constitucionalista de 1932 e iniciou sua trajetória política rumo ao Palácio do Catete e construção de Brasília. 


Mais informações: (35) 332-2577
www.starweb.com.br/mysite/trem.htm


Brasil vai a Costa Rica 
saber mais sobre gestão de RPPN




  • Costa Rica, tão pequena quanto eficiente e inovadora na área de gestão ambiental (foi o primeiro país da América Latina a fazer conversão da dívida externa em projetos de meio ambiente) vai mostrar aos técnicos do Ministério do Meio Ambiente e Ibama seus programas de gestão de unidades de conservação e de reservas privadas. 



  • Com o apoio do BID, viajam para Costa Rica a gerente do Programa de Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) do Ibama, Célia da Silva Pereira, e os outros técnicos da Diretoria de Unidades de Conservação e Vida Silvestre.



  • Criado em 1990, o programa RPPN conta com 421 reservas cadastradas no Ibama, sendo 268 federais e 153 estaduais. 



  • O mais novo proprietário de uma RPPN no Rio de Janeiro é o cantor e compositor Ney Matogrosso. A escritora e imortal da ABL, Raquel de Queiróz, também fez de sua fazenda “Não Me Deixes”, em Quixadá-CE uma RPPN. 



  • O jornalista Roberto Marinho e a Fundação Boticário, do Paraná, estão concluindo a inscrição e transformando suas fazendas em RPPN. 



  • Noventa e cinco processos de novas RPPNs estão parados nos estados por falta de recursos para vistoria das propriedades: são 21 na Bahia, 20 em Mato Grosso, 10 em Santa Catarina, 9 em Goiás, 9 em Mato Grosso do Sul, 9 em São Paulo e 7 no Rio Grande do Sul.


Mais informações: 
IBAMA – 70800-200 Brasília-DF
Fones: (61) 316-1015/16/18
Fax: (61) 3221827 e 3161017


ABRELPE tem nova diretoria




  • A ABRELPE, uma associação que reúne todas as empresas e atividades que compõem os setores da limpeza urbana e dos resíduos especiais, está com nova diretoria.



  • A diretoria eleita para o período de 2000 a 2002 é composta por:
    Presidente – Alberto Bianchini (MOSCA)
    Vice-Presidente de Limpeza Pública – Roberto Rocha (ENTERPA AMBIENTAL)
    Vice-Presidente de Grandes Geradores – Luiz Carlos Russo Pereira (TRANSPOLIX)
    Diretor Secretário – Tadayuki Yoshimura (VEGA AMBIENTAL) 
    Diretor Tesoureiro – Ricardo Gonçalves Valente (CORPUS)
    Diretor Administrativo – José Eduardo Costa Freitas (VILLANOVA)
    Diretor de Marketing – Eduardo Castagnari (CAVO)



  • A Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, que vai ter um cronograma anual de eventos profissionalizantes, aproveitando o potencial de sua sede para disseminar conhecimentos especializados e conceitos de interesse do setor, lançou o V Prêmio Abrelpe de Reportagem. Tema: “O Lixo e a Vida”.


Mais informações: 
Caixa Postal 61.590 
Cep: 05424-970 São Paulo – SP 
Internet: www.abrelpe.com.br 
Fone: (61) 3021-2825 


?Intrometer-se é a única possibilidade de manter-se realista?


Esse apelo do escritor alemão Heinrich Böll, Prêmio de Literatura de 1972, para que a sociedade civil jamais seja omissa e sempre se engaje nas lutas pelos valores democráticos, é lema da Fundação Heinrich Böll


Dez vezes mais precisão no GPS




  • GPS, a bússola moderna, que tem hoje mais de quatro milhões de usuários em todo mundo, está dez vezes mais preciso.



  • Após mais de uma década da liberação do sistema de posicionamento global para o uso civil pelo ex-presidente Reagan, o presidente Bill Clinton assinou uma determinação que entrou em vigor às 21:00 horas do dia primeiro de maio, eliminando a disponibilidade seletiva.



  • Essa disponibilidade seletiva era, justamente, um erro artificial (por questões de segurança militar) introduzido propositadamente pelo Departamento de Defesa no sistema destinado ao uso civil. 



  • Com a mudança, os dispositivos de navegação já existentes ficarão dez vezes mais precisos, sem que os usuários tenham que fazer investimentos na compra de novos equipamentos. Quatro anos de discussões entre a Casa Branca, o Pentágono, a CIA e outros órgãos do governo e o desenvolvimento de uma nova tecnologia que permite ao Departamento de Defesa obstruir a precisão apenas em determinadas regiões motivaram a determinação. 



  • Uma coisa é certa: a oferta do sistema gratuito americano, agora aperfeiçoado, deve desestimular outro país ou consórcio a construir um sistema concorrente. Quatro milhões de pessoas em todo o mundo usam o sistema GPS da navegação das mais diversas formas: do trânsito, lazer à exploração de petróleo.



  • Com essa medida de Clinton, estima-se que o mercado de usuários duplique nos próximos 3 anos, movimentando mais de 16 bilhões de dólares pôr ano.


ECOTECH – Feira de Negócios Ambientais




  • Holanda e Brasil se deram as mãos para fazerem a maior Mostra de Equipamentos e Produtos e Serviços Ambientais: uma feira Internacional, dentro da Semana do Meio Ambiente, em São Paulo, com nome de 1a Grande Feira de Negócios para Recuperação e Proteção Ambiental. O evento será de 7 a 9 de junho, no Expo-Center Norte e a organização está sendo feita numa “joint-venture” holandesa e brasileira: a Royal Dutch Jaarbeurs e o Grupo Gessulli. 



  • Hoje o mercado voltado ao meio ambiente movimenta cerca de US$ 6 bi ao ano na América Latina, sendo que só o mercado brasileiro corresponde a cerca de US$ 2,5 bi/ano.



  • Estima-se que apenas em saneamento, o mercado brasileiro deste início de século vai movimentar em torno de US$ 8 bi. A Ecotech, além da mostra em si, fará um seminário paralelo com Forum de Debates e lançará um livro de educação ambiental.


Mais informações: 
Royal Dutch Fone: (15) 262-3133 Fax (11) 262-3575 
Gessulli Eventos: fone: (15) 262-4142 e fax (15) 262-4252 
Email:
ecotech@jaarbeursbrasil.com.br


Ping-pong




  • QUALIDADE – O Sebrae-DF começou cadastrar empresas interessadas em obter o ISO 14000. A série ISO 9000 é um conjunto de normas que estabelece bases para funcionamento , garantia de controle e a comprovação da eficácia dos sistemas de qualidade adotadas pelas empresas. Essas normas são de suma importância para se obter o reconhecimento internacional de produtos e serviços. 


Mais informações: (61) 362-1701




  • DIREITO AMBIENTAL – Nasce um novo debate entre o Meio Ambiente e o Trabalho pelo livro do Procurador do Estado de SP, Guilherme José Purvin de Figueiredo: “Direito Ambiental e a Saúde dos Trabalhadores”. O livro, da Editora LTr, de 243 páginas, analisa os aspectos jurídicos das formas de tutela da vida e da saúde dos trabalhadores em seu ambiente de trabalho. Mostra também as condições na União Européia e Mercosul. 


Mais informações: fone/fax: (11) 825-8733




  • ÁGUA – A ONU alerta: em 2.025 a escassez de água atingirá 2,8 bilhões de pessoas no Mundo. E a ciência reafirma: além de ser o maior reservatório de água doce, o Brasil também possui um dos mais ricos mananciais subterrâneos do Planeta. O aqüifero Guarani é maior do que os territórios da Espanha, França, Espanha e Inglaterra juntos. E pode estocar água até o ano de 2.300. A natureza foi tão pródiga com o Brasil. Será que os brasileiros não podiam dar uma mãozinha para a natureza e poluírem menos?



  • GEOLOGIA – De 6 a 17 de agosto, acontece o 31ª Congresso Internacional de Geologia, que reunirá no Rio de Janerio (Riocentro) mais de 5 mil geocientistas de 150 países. Tema principal: “Geologia e o Desenvolvimento Sustentável: Desafios para o Terceiro Milênio”. 


Mais informações: (21) 826-0068




  • MÃE – Como é mês de maio a gente pode dizer: ainda bem que Meio Ambiente é igual Dia das Mães: não tem ninguém contra!

Empresas & Meio Ambiente

Daimler Chrysler

22 de março de 2004

ganha prêmio ambiental







 


 



 


O uso de fibras naturais para a produção de encostos de cabeça utilizados em veículos comerciais da marca Mercedes-Benz no Brasil foi um dos cinco projetos que receberam, em dezembro, em Stuttgart, na Alemanha, o Prêmio Liderança Ambiental, promovido pela DaimlerChrysler. 


Uma equipe multifuncional, composta por nove profissionais de diferentes áreas da DaimlerChrysler do Brasil que atuam no projeto, foi homenageada, como forma de reconhecimento da companhia pelo comprometimento com a proteção ambiental. O projeto brasileiro concorreu com mais de cem trabalhos apresentados por outras equipes de colaboradores de empresas do grupo DaimlerChrysler nos Estados Unidos, Alemanha, México, Índia, Inglaterra, Áustria, Canadá e Suécia. 


O novo processo de pintura a pó para o Smart e o desenvolvimento de células de combustível também estiveram entre os temas premiados. Um dos jurados do prêmio foi Carl von Treuenfels, presidente da WWF na Alemanha. 


O Prêmio Liderança Ambiental, que está em sua primeira edição, dá continuidade ao tradicional prêmio CHEER – Chrysler Honors Environmental Excellence with Recognition, que foi promovido pela Chrysler Corporation durante seis anos, a partir de 1994, com o objetivo de homenagear e reconhecer a excelência ambiental. Neste período, cerca de 3.700 colaboradores, envolvidos em 435 projetos, concorreram ao prêmio. 


“Na DaimlerChrysler, a proteção ambiental está firmemente integrada, como meta corporativa, a todos os processos, daí a importância de incentivar o comprometimento dos colaboradores com o tema”, diz Manfred Straub, diretor de Compras de Materiais da DaimlerChrysler do Brasil, um dos integrantes da equipe do projeto brasileiro. 


Produção de encostos 
de cabeça com fibras naturais 


O uso de fibras naturais nos encostos de cabeça dos veículos comerciais da marca Mercedes-Benz no Brasil é fruto do Programa Pobreza e Meio Ambiente na Amazônia – Poema, criado em 1992, que reúne pesquisadores da Universidade Federal do Pará, profissionais da DaimlerChrysler do Brasil, Secretaria da Agricultura do Pará, Unicef e parceiros locais. 


Além do benefício ambiental do projeto, que permitiu a utilização de matéria-prima de origem vegetal, ecologicamente correta, em substituição à espuma de poliuretano, o desenvolvimento do projeto Poema ofereceu a comunidades carentes, localizadas ao norte do delta amazônico, a oportunidade de obter um rendimento extra com a plantação, preparação e processamento de fibras de coco. 


Mais Informações: 
DaimlerChrysler do Brasil. – Av. Alfred Jurzykowski, 562 – São Bernardo do Campo – SP 
Rodovia BR 040, Km 773 – Juiz de Fora – MG



LIXO ALIMENTÍCIO
Problemas e caminhos para a reciclagem no Século 21


O gerenciamento dos resíduos sólidos gerados pelo processamento e consumo dos alimentos é um tema que ganha cada vez mais espaço nas discussões sobre questões ambientais em todo o mundo; um dos maiores especialistas brasileiros no assunto, André Vilhena, diretor executivo do Cempre, uma das principais entidades dedicadas à reciclagem, aborda a evolução, os problemas e as perspectivas para o problema do lixo no país, durante palestra do 3º Fórum Internacional da Alimentação Fora do Lar.


Apesar da preocupação criada no Brasil principalmente a partir da década de 1990 quanto ao melhor gerenciamento do lixo criado pelo mercado de alimentação, o tratamento adequado dos resíduos sólidos ainda constitui uma realidade distante tanto em ambientes industriais quanto urbanos. Desde 1992, o Cempre (Compromisso Empresarial para a Reciclagem), entidade privada sem fins lucrativos e mantida por 16 empresas particulares, busca atuar na pesquisa e difusão de informações sobre o tema, disponibilizando-as aos formadores de opinião e aos diversos agentes da sociedade.


O diretor executivo do Cempre, André Vilhena, um dos principais especialistas sobre reciclagem do País, foi convidado para proferir uma palestra com o tema “Reciclagem no Food Service”, que acontece durante o 3º Fórum Internacional da Alimentação Fora do Lar, evento simultâneo à Abia Food Service 2001, que reúne as principais empresas distribuidoras do setor, de 3 a 6 de abril, no Pavilhão Branco do Expo Center Norte, em São Paulo.


A palestra de Vilhena enfoca a evolução, os problemas e as perspectivas para o tratamento correto do lixo alimentício, como embalagens e resíduos orgânicos. Durante sua exposição, o diretor do Cempre tratará também dos procedimentos diários recomendados para os profissionais e empresários do food service quanto à reciclagem do lixo. 


André Vilhena também é conhecido entre os profissionais das áreas ecológica e ambiental por ter participado da organização do “Manual do Lixo”, que já tem duas edições publicadas em conjunto com o Instituto de Pesquisa e Tecnologia (IPT) e a Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia.


Mais informações:
 www.cempre.org.br



Envipco instala 
equipamentos na Rede Extra Hipermercados 


Desde o início deste ano, começam a funcionar em dez lojas da Rede Extra Hipermercados de São Paulo e Grande São Paulo, 40 equipamentos da empresa americana Envipco, para coleta seletiva de embalagens tipo PET e latinhas. 


A instalação dos equipamentos é o resultado do grande sucesso da primeira fase do projeto, que aconteceu no Extra de São Caetano do Sul, Região Metropolitana de São Paulo. Lá foram instaladas, pela empresa Envipco do Brasil, duas máquinas: uma de coleta seletiva de garrafa de refrigerante tipo PET e outra de coleta de latinhas.


Em um levantamento, feito dez meses após a instalação das primeiras máquinas, em dezembro de 2000, constatou-se que foram recolhidas 47 toneladas plástico e 12 de alumínio – um total de 1, 7 milhão de embalagens. Com a chegada das 40 máquinas é possível fazer uma previsão de que, baseando-se nos números iniciais, poderão ser recolhidas aproximadamente 1540 toneladas de embalagens até o final de 2001. Cidades como Guarulhos e Carapicuíba e os bairros da capital paulista, como Aeroporto e Aricanduva, serão beneficiados na nova fase com a instalação dos equipamentos.


O grande diferencial dos equipamentos de coleta seletiva da Envipco é o sistema que fornece bônus aos usuários. Com eles, é possível fazer trocas por mercadorias ou até mesmo fazer doações a entidades assistenciais. Com a instalação nas dez lojas da Rede Extra Hipermercados, o usuário poderá optar por fazer doações para o Unicef, que, há dois anos, realiza uma campanha com o objetivo de tirar crianças dos lixões.


Segundo Mario Eduardo Jussiani, presidente da Envipco do Brasil, o sucesso das máquinas pode ser explicado pelo fato da troca de embalagens pelos bônus representar um benefício para o usuário. “Não há dúvida de que é realmente um incentivo o fato da embalagem ter um valor agregado”, destaca, lembrando que também a conscientização ambiental tem crescido de forma importante no Brasil. 


Otimista em relação à implantação das máquinas no Brasil, Mário, que desde 1998 vem estudando o mercado brasileiro para a instalação dos equipamentos, demonstra um entusiasmo ainda maior em relação à coleta seletiva de embalagens tipo PET. Com experiência de dez anos no setor de meio ambiente, ele acredita que, em pouco tempo, com a instalação das máquinas em outros estados brasileiros, o índice de reciclagem das garrafas plásticas poderá subir dos atuais 20% para 80%, igualando-se, assim, ao índice nacional da reciclagem das latinhas de alumínio. “As embalagens tipo PET vão deixar de ser as grandes vilãs do meio ambiente”, sentencia Jussiani. 


Além das máquinas de coleta seletiva de latinhas e garrafas plásticas, a Envipco do Brasil faz planos de lançar, nos próximos meses, a máquina de coleta seletiva de vidro. Ainda em fase de negociação de parcerias, que deverão ser feitas com indústrias fabricantes de vidro, a expectativa é de que aumente, em pelo menos 20%, a reciclagem de vidro de embalagens no Brasil, que atualmente é de 40%.