Falando muito sério...

Favelas, hora de dar

25 de novembro de 2005

“O Rio de Janeiro se gaba de ser a cidade com a maior floresta urbana do mundo. Por outro lado, é campeã de favelização, que cresce pelas encostas comendo o verde pelas beiradas. É preciso decidir qual o campeonato a ganhar: o da conservação ambiental e da qualidade de vida ou o da multiplicação da… Ver artigo

“O Rio de Janeiro se gaba de ser a cidade com a maior floresta urbana do mundo. Por outro lado, é campeã de favelização, que cresce pelas encostas comendo o verde pelas beiradas. É preciso decidir qual o campeonato a ganhar: o da conservação ambiental e da qualidade de vida ou o da multiplicação da pobreza e dos guetos. A corrida é contra o tempo. Um em cada três habitantes da cidade mora em favela ou loteamento ilegal. As favelas crescem 2,4% ao ano, ou oito vezes mais rápido que a cidade formal, que cresce 0,3% ao ano. Em parte, o que acontece no Rio é a parte mais visível de um fenômeno brasileiro”.


Eduardo Pegurier, 12/11/2005 r@eco.com.br
((O)) eco


 


Campeão mundial do desmatamento


“O desmatamento da Amazônia não é uma causa, mas sim um efeito da pobreza, da pressão sobre as florestas e do mau uso dos recursos naturais.
E também é o resultado de políticas públicas mal formuladas ou mal aplicadas”.


De Carlos Caneiro, oficial da FAO, sobre o relatório das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação que aponta o Brasil como o país que mais derrubou árvores no mundo. Foram 150 mil km2 de hectares destruídos em cinco anos. O relatório foi feito a partir de informações dos governos de 229 países.


 


Amazônia, o lugar mais importante


 “O Amazon Film Festival – Mundial do Filme de Aventura é muito importante para a região por divulgar e defender a Floresta Amazônica. O mundo é um desastre e temos que fazer algo a favor da natureza. As coisas podem ficar piores. O clima já está completamente diferente. Em Paris, no inverno você tem sol quente… Um negócio de louco! A Amazônia é o lugar mais importante do mundo para se defender. Conheço a floresta, já trabalhei aqui no meio da floresta para fazer o incrível filme de aventura Fizcarraldo”.


Da atriz Cláudia Cardinale, 11 de novembro, quando
participou, em Manaus, do Amazonas Film Festival.


 


Devastação da Amazônia


“O principal responsável pelo desmatamento não é o governo brasileiro, mas o paradigma mundial de produção de bens materiais, que se impõe a todos como modelo único. Acoçado pela alta dívida externa, o Brasil se vê forçado a assumir este paradigma, quando poderia ser um dos poucos países do mundo a apresentar e realizar uma alternativa. Lamentavelmente não há neste governo massa crítica para ousar outra via. (…) Quanto à Amazônia precisamos cuidar dela senão o mundo usará contra nós o argumento válido sobre toda propriedade privada: ela só se legitima se guardar sua função social. Caso contrário, poderá ser desapropriada. As políticas de governo devem garantir que a propriedade privada brasileira sobre a Amazônia tenha clara função social mundial”.


Leonardo Boff – www.leonardoboff.com –  EcoTerra Brasil


 


Marina devia sair


“Marina Silva está emprestando o nome a um governo que quer o desenvolvimento a qualquer custo e até hoje não apresentou projeto para a proteção da Amazônia. Ela deveria se afastar. A gente não pode emprestar o nome e a história de luta a um governo que não combate a destruição das florestas”.


Do sertanista Sydney Possuelo (13/11/2005) –
em entrevista ao  “Estadão”


 


Fogo amigo: PT versus PT


“A ministra Marina Silva tem uma visão amazônica do meio ambiente. Antes de ela vir aqui falar besteira, deveria conhecer o Pantanal para não cometer erros. Aliás, acho que podia bem ter economizado esse dinheiro da viagem a Campo Grande para o governo do Lula”.


Do governador Zeca do PT, do Mato Grosso do Sul, sobre a
visita da ministra do Meio Ambiente a Campo Grande, depois da morte do ambientalista Francisco Anselmo Gomes de Barros.