SOS para o Parque do Itatiaia

3 de março de 2004

Diretor do Parque faz um apelo à sensibilidade dos brasileiros

 


 







Parece que o crime ambiental compensa nas matas verdes
  e amarelas do primeiro Parque do Brasil


O Parque Nacional do Itatiaia foi a primeira Reserva Ambiental de seu gênero criada no país, em 14 de junho de 1937 e fica situado na Serra da Mantiqueira, na divisa dos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.


É o Parque do Amor e da Cultura, que inspirou nosso poeta-compositor Vinícius de Moraes a aqui escrever e deixar diversos poemas, e Guignard, um dos expoentes da nossa pintura, que usou o Parque como cenário para alguns de seus quadros mais famosos.


Incentivando a Educação Ambiental, nós, aqui do Parque, também captamos este espírito artístico que está em toda parte, apresentando nosso Musical “ViVerdeSom”: Borzeguim – uma homenagem ao nosso padrinho espiritual Tom Jobim.


Pois este mesmo Parque que se interliga a 5 municípios, e que de tão rico na sua biodiversidade já teve sua flora e fauna como tema de inúmeras teses de Doutorado das principais Universidades brasileiras, está sofrendo hoje uma das suas piores agressões, que é a extração criminosa do palmito Jussara, espécie da Mata Atlântica ameaçada de extinção.


É triste ver centenas de árvores de palmito tombadas, como se estivéssemos em guerra.


Em nosso Parque, 40% das árvores são de palmito jussara, fonte de cobiça de uma quadrilha covarde, que ameaça todos os funcionários, querendo roubar nossas vidas.


O palmito jussara é definitivamente o alimento dos nossos bichinhos e passarinhos, e é lamentável ver os restaurantes da região servindo banquetes de palmito jussara aos consumidores.


Estamos e vamos continuar combatendo os palmiteiros dentro e no entorno da nossa Reserva. Só no mês de Dezembro passado, com a ajuda do Batalhão Florestal da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro apreendemos 3 toneladas de palmito jussara, e fechamos 2 indústrias de palmito clandestinas em Volta Redonda.


Mas não adianta nada, se você, leitor, não fizer uma reflexão: o nosso país tem menos de 5% de Áreas de Conservação e o Parque Nacional do Itatiaia não é apenas do IBAMA – Ministério do Meio Ambiente. Este Parque, assim como as outras Unidades de Conservação do país, é do povo brasileiro. Portanto, diga não ao consumo do palmito jussara do Parque Nacional do Itatiaia.


E eu espero, ardente e esperançosamente, que esta história não tenha o final da “Crônica de Uma Morte Anunciada”, de Gabriel Garcia Marques, mas, antes, que se revele o belo e feliz desfecho de seu “O Amor nos Tempos do Cólera”.


* Léo Nascimento – Diretor do Parque Nacional do Itatiáia
Fone: (24) 352-1461
Telefax: (24) 352-1652
pnitatiaia@resenet.com.br


Novo alerta


Extração ilegal do palmito compromete saúde


Não é só a grave questão de devastação do Parque do Itatiaia que agride a consciência brasileira. Há também a questão da saúde pública, pois a segunda conseqüência da extração ilegal do palmito jussara é a falta de higiene sanitária do produto, atestada por laudo judicial da Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, que condenou conservas de palmito de fábricas fechadas pela Fiscalização do Parque.


A Agência de Vigilância Sanitária determinou a suspensão da fabricação, da distribuição e da comercialização de 15 tipos de palmito produzidos por 5 empresas do Pará. Segundo a Vigilância eles estariam sendo fabricados ou embalados sem o alvará sanitário.


O presidente da Associação dos Fabricantes de Palmito reconhece que não há controle sanitário sobre a produção do palmito no Pará e que existem 600 pequenas fábricas clandestinas.


Segundo Leo Nascimento, Diretor do Parque, a campanha em defesa da natureza e de alerta ao consumidor já dá sinais de evolução. “Sabemos que é só um começo e uma gota num oceano de turbulências, mas, continuaremos, com vontade e determinação, combatendo a extração ilegal, a comercialização ilegal, a industrialização ilegal e o consumo ilegal do palmito jussara”, afirma.


Parque Nacional do Itatiaia


1 – O Parque foi criado dia 14 de junho de 1937 pelo Decreto Federal 1713.


2 – Está localizado entre os estados do Rio e Minas, abrangendo o municípios de Resende, Itatiaia, Itamonte, Alagoas e Bocaina de Minas.


3 – O Parque de Itatiaia tem 30 mil hectares, sendo que 20 mil ha estão nas mãos de particulares.


4 – A União criou o Parque, mas não indenizou os proprietários de fazendas, sítios e hotéis. A comercialização de terras continua livre.


5 – A ação dos palmiteiros, o lixo, criação de gado, a degradação das nascentes aumentam a devastação do Parque.